Ensino por investigação e aproximações com a aprendizagem baseada em problemas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n25p222-239

Resumo

O avanço da tecnologia e a utilização de novas ferramentas digitais gerou um impacto nas instituições de ensino, possibilitando revisões em práticas educativas tradicionais. A presente pesquisa constitui-se em um estudo qualitativo de revisão bibliográfica, com o objetivo de discutir e esclarecer os pontos de convergência que apresentam a perspectiva do ensino por investigação e a Aprendizagem baseada em Problemas, e assim, contribuir com a prática pedagógica de educadores.  Concluímos que ambas apresentam fundamentos teóricos e metodológicos comuns, que buscam   fomentar o pensamento autônomo por parte de alunos e professores, visando uma aprendizagem efetiva e aprimoramento do espírito de investigação.  

Biografia do Autor

Andreia de Freitas Zompero, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Pós doutora em ensino de Ciências. Docente do Programa de Ensino de Ciências e Educação Matemática da UEL. Docente do Programa de pós graduação em meodologias para o ensio de linguagens e tecnologias da UNOPAR.

Docente do curso de Ciênia Biológicas da UEL

Mariana Aparecida Bologna Soares de Andrade, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutora em Educação para Ciência pela Unesp de Bauru. Docente do departamento de Biologia Geral da UEL e do programa de Ensino de Ciências e Educação Matemática.

Tânia Belizario Mastelari, Universidade Pitágoras (Unopar)

Docente do curso de Psicologia da Unopar. Mestre em metodologias para o ensino de linguagesn e tecnologias pela Unopar.

Edilaine Vagula, Universidade Estadual de londrina (UEL)

Doutora em Educação. Docente do Departamento de Educação da Universidade Estadual de londrina

Referências

AGUERRI, Miriam; BRAVO-TORIJA, Beatriz. El uso de pruebas en la resolución de problemas reales en 4º de ESO:¿ debemos dragar el río Ebro?. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, p. 300-316, 2017.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Didática e interdisciplinaridade. Papirus Editora, 2008.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos?. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 2, p. 139-154, 1998.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, v. 32, n. 1, p. 25-40, 2011.

BYBEE, Rodger W. Scientific inquiry and science teaching. In: Scientific inquiry and nature of science. Springer, Dordrecht, 2006. p. 1-14.

CYRINO, Eliana Goldfarb; TORALLES-PEREIRA, Maria Lúcia. Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cadernos de Saúde Pública, v. 20, p. 780-788, 2004.

DEWEY, John. Como pensamos. Companhia Editora Nacional, 1959a.

DEWEY, John. Democracia e educação: introdução à filosofia da educação. Companhia Editora Nacional, 1959b.

DEWEY, John. Experiência e educação Tradução de: Anísio Teixeira. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971.

DEBOER, George E. Historical perspectives on inquiry teaching in schools. In: Scientific inquiry and nature of science. Springer, Dordrecht, 2006. p. 17-35.

FARIAS, Pablo Antonio Maia de; MARTIN, Ana Luiza de Aguiar Rocha; CRISTO, Cinthia Sampaio. Aprendizagem ativa na educação em saúde: percurso histórico e aplicações. Rev. bras. educ. méd, v. 39, n. 1, p. 143-150, 2015. Acesso em: 21 de janeiro de 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v39n1/1981-5271-rbem-39-1-0143.pdf

FRANÇA, Cyntia Simioni. Possibilidades e limites na construção do conhecimento histórico em conexão com o mundo virtual. Dissertação (Mestrado em História Social). Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2009. Antíteses, v. 2, n. 3, p. 533-535, 2009.

FREITAS, Raquel Aparecida Marra da Madeira. Ensino por problemas: uma abordagem para o desenvolvimento do aluno. Educação e Pesquisa, v. 38, n. 2, p. 403-418, 2012.

GASPARIN, João Luiz. Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. rev. 2. reimpr. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

MARIN, Maria José Sanches et al. Aspectos das fortalezas e fragilidades no uso das metodologias ativas de aprendizagem. Rev bras educ méd, v. 34, n. 1, p. 13-20, 2010.

MASETTO, Marcos Tarciso. PBL na Educação?. In: XII Endipe – Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino, 2004, Curitiba. Anais do XIII Endipe. Curitiba, 2004. v. 1.

MITRE, Sandra Minardi et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & saúde coletiva, v. 13, p. 2133-2144, 2008.

MORAN, José Manuel. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Papirus Editora, 2007.

BACICH, Lilian; MORAN, José. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Penso Editora, 2018.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformular o pensamento. (19a ed.). Rio de Janeiro: Beltrand Brasil, 2011.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL et al. Inquiry and the national science education standards: A guide for teaching and learning. National Academies Press, 2000.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL et al. A framework for K-12 science education: Practices, crosscutting concepts, and core ideas. National Academies Press, 2012.

DA SILVA NUNES, Teresa; MOTOKANE, Marcelo Tadeu. Análise de hipóteses escritas na solução de problemas em sequências didáticas investigativas. Revista de educación en biología, v. 20, n. 1, p. 72-86), 2017. Acesso em: 25 de janeiro de 2018. Disponível em: http://www.revistaadbia.com.ar/ojs/index.php/adbia/article/view/450/pdf

OECD-PISA. Draft Science Framework. Paris: OECD, 2015. Disponível em: http:www.oecd.org/pisa/pisaproducts/Draft%20PISA%202015%20Science%20Framework%20.pdf

PEDASTE, Margus et al. Phases of inquiry-based learning: Definitions and the inquiry cycle. Educational research review, v. 14, p. 47-61, 2015.

PENAFORTE, Julio. John Dewey e as raízes filosóficas da aprendizagem baseada em problemas In: Aprendizagem baseada em problemas: anatomia de uma abordagem educacional. Ceará: Hucitec, 2001.

PRADO, Marta Lenise do et al. Arco de Charles Maguerez: refletindo estratégias de metodologia ativa na formação de profissionais de saúde. Esc. Anna Nery Rev. Enferm, v. 16, n. 1, p. 172-177, 2012. Acesso em: 14 de novembro de 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v16n1/v16n1a23.pdf

PRAIA, João; CACHAPUZ, António; GIL-PÉREZ, Daniel. A hipótese e a experiência científica em educação em ciência: contributos para uma reorientação epistemológica. Ciência & Educação (Bauru), v. 8, n. 2, p. 253-262, 2002. Acesso em: 27 de dezembro de 2017. Disponível em: http://scielo.br/pdf/ciedu/v8n2/09.pdf

RIBEIRO, Luis Roberto de Camargo. A aprendizagem baseada em problemas (PBL): uma implantação na educação em engenharia na voz dos atores. 2005. Tese (Programa de pós-graduação em Educação) ¬– Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

ROCHA, Juliana Schaia et al. O uso da aprendizagem baseada em problemas na Odontologia: uma revisão crítica da literatura. Revista da ABENO, v. 16, n. 1, p. 25-38, 2016.

DOS SANTOS, Cenilza Pereira; SOARES, Sandra Regina. Aprendizagem e relação professor-aluno na universidade: duas faces da mesma moeda. Estudos em Avaliação Educacional, v. 22, n. 49, p. 353-369, 2011.

SCHMIDT, Henk G. Foundations of problem‐based learning: some explanatory notes. Medical education, v. 27, n. 5, p. 422-432, 1993. Acesso em: 05 de dezembro de 2018. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/10fa/dd08dadab95a2ed4626214371c81aaf58d31.pdf

VIGNOCHI, Carine Moraes et al. Considerações sobre aprendizagem baseada em problemas na educação em saúde. Revista HCPA. Porto Alegre. Vol. 29, n. 1 (2009), p. 45-50, 2009.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

23/12/2019

Como Citar

ZOMPERO, A. de F.; ANDRADE, M. A. B. S. de; MASTELARI, T. B.; VAGULA, E. Ensino por investigação e aproximações com a aprendizagem baseada em problemas. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 25, p. 222–239, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n25p222-239. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/7740. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos