Uso de videoconferência para defesas de teses e dissertações na UFMG em tempos de COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/cirev.2021v8n1c

Palavras-chave:

Videoconferência, Comunicação científica, Tese e dissertação, COVID-19.

Resumo

Devido a pandemia provocada pelo surto do novo coronavírus (SARS-CoV-2) causador da COVID-19, as atividades de ensino pesquisa, extensão foram inicialmente suspensas e posteriormente ajustadas ao formato remoto. Dentre todas as atividades desenvolvidas nas universidades, destacam-se as mudanças na realização das defesas de teses e de dissertações, em que são apresentados os resultados de pesquisas científicas desenvolvidas nos Programas de Pós-graduação, a partir de 2020. Isso gerou a necessidade de programas de pós-graduação se adaptarem a essa realidade momentânea para continuarem suas atividades por meio de soluções tecnológicas de informação, de forma remota e com a presença virtual da banca. Nesse cenário, este estudo tem por objetivo apresentar as ações implementadas pelos programas de pós-graduação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), no período da pandemia, para a realização das sessões de defesas de teses e de dissertações por videoconferência, visando destacar os benefícios dessa prática no contexto da comunicação científica. Para tanto, como técnica de coleta de dados, optou-se por realizar uma pesquisa documental através de consulta a sites de departamentos de pós-graduação da UFMG e uma coleta de dados com uso de questionário online para identificar informações sobre a realização das sessões de defesas. Os participantes da pesquisa compreenderam 34 programas de pós-graduação com notas 6 e 7, selecionados na plataforma SUCUPIRA e que foram posteriormente analisados. Os resultados da pesquisa indicam que a maioria dos programas divulga agenda de defesas online por videoconferência, sendo que em alguns casos, aberto ao público em geral. Tem-se utilizado aplicativos como Zoom, Microsoft Teams, Google Meet e YouTube. Porém, não foram localizados registros de que esses materiais audiovisuais tenham sido armazenados em qualquer tipo de sistema, levando-se a refletir sobre ações de disponibilização e preservação dessas gravações.

Biografia do Autor

Rafael Gonçalves Dias, Universidade Federal de Minas Gerais.

Doutorando no Programa de Pós-Graduação Gestão & Organização do Conhecimento da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/Brasil)

Célia da Consolação Dias, Universidade Federal de Minas Gerais.

Professora Adjunta do Departamento de Organização e Tratamento da Informação da Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/Brasil).

Downloads

Publicado

04/06/2021

Como Citar

Dias, R. G., & Dias, C. da C. (2021). Uso de videoconferência para defesas de teses e dissertações na UFMG em tempos de COVID-19. Ciência Da Informação Em Revista, 8(1), 43–62. https://doi.org/10.28998/cirev.2021v8n1c

Edição

Seção

Artigos Originais | Original Articles