O IMAGINÁRIO SOCIAL DOS PARTICIPANTES DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA REALIZADA NUM MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL.

Autores

Palavras-chave:

Espaços não escolares, Formação, Imaginário social, Museu, Representações sociais.

Resumo

Este artigo tem como objetivo problematizar o imaginário social de sujeitos acerca do Museu de História Natural e Jardim Botânico da Universidade Federal de Minas Gerais (MHNJB/UFMG). Para tanto, parte de uma ação extensionista desenvolvida, em 2018, entre a Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais, campus de Belo Horizonte (FaE-CBH/UEMG), e o MHNJB/UFMG. Dentre os encontros promovidos por essa ação, o denominado “Espaços educativos para além da sala de aula”, por sua temática, relaciona-se diretamente com a pesquisa que aqui se apresenta. Os sujeitos desta pesquisa constituíram-se de participantes desse encontro, aos quais, valendo-se de uma abordagem qualitativa e apoiando-se nos instrumentos metodológicos elaboração de representações semióticas e questionário estruturado, perguntou-se: Qual o seu olhar, à primeira vista, sobre o MHNJB/UFMG? Dentre as reflexões realizadas, concluímos que atividades em espaços não escolares, como o museu, respondem a demandas sociais concretas de formação humana e acadêmica.

Biografia do Autor

Daniel Cardoso Alves, Universidade do Estado de Minas Gerais

Doutorando em Educação (FaE/UFMG). Professor efetivo da FaE/UEMG - CBH. Lotado no Departamento de Fundamentos Sócio Históricos e Filosóficos da Educação (DFSHFE). Coordenador do Projeto de Extensão "Ciclo de Formação Docente no Museu". Mestre em Ciências Ambientais (UESB-BA). Especialista em Análise do Espaço Geográfico (UESB-BA). Licenciado em Geografia (UESB-BA).

Referências

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira; OZELLA, Sérgio. Núcleos de significação como instrumento para a apreensão da constituição dos sentidos. Psicologia Ciência e Profissão, 2006.

BARÃO, Cristina de Carvalho. Entre brumas e concretudes... o museu dinâmico de Ciências de Campinas como imaginante espaço de educação. 2007. 121 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

BARTON, David.; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas pedagógicas. Trad. Milton Mota. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BEILLEROT, J. A sociedade pedagógica. Porto: Rés, 1985.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari Knoop Investigação Qualitativa em Educação – uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia e prática docente. (Docência em Formação). São Paulo: Cortez, 2012.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação – uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 4. ed. São Paulo: Moraes, 1980.

GATTI, Bernadete Angelina. Professores do Brasil: impasses e desafios / Coordenado por Bernadete Angelina Gatti e Elba Siqueira de Sá Barreto. – Brasília: UNESCO, 2009.

GHANEM JUNIOR, Elie George Guimarães. Educação formal e não-formal: do sistema escolar ao sistema educacional. In: ARANTES, V. A. (Org.). Educação formal e não-formal. São Paulo: Summus, 2008.

GOHN, M. da G. Educação não-formal e o educador social: atuação e desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

IMBERNON, Francisco. Formação docente e Profissional – Formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2011.

JODELET, Denise. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, Denise. (org.). As representações sociais, Paris. PUF, 1989.

JORGE, Gláucia Maria dos Santos; CORREA, H. T. A experiência de ensinar leitura e produção de textos nas modalidades presencial e a distância. In: III Encontro Nacional sobre Hipertexto - Interfaces, Belo Horizonte. v. I, 2009.

KRESS, Gunther. Literacy in the new media age. London: Routledge, 2003.

KRESS, Gunther; BEZEMER Jeff. Escribir en un mundo de representación multimodal. In: KALMAN, Judith e STREET, Brian (Coord.) Lectura, escritura e matemáticas – Diálogos com a América Latina. Mérico: single XXI, 2009.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos, para que? 12 ed. - São Paulo: Cortez, 2010.

LUCINDO, Nilzilene Imaculada. O Professor no Museu: o que revela uma ação de extensão do Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG. Caminho Aberto - Revista de Extensão do IFSC, v. 01, p. 13-22, 2014. Disponível em: file:///C:/Users/DELL/Downloads/1543-5739-1-PB.pdf. Acesso em Acesso em 10 mar. 2019.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

NASCIMENTO, Silvania Sousa do; VENTURA, Paulo César Santos Ventura. A dimensão comunicativa de uma exposição de objetos técnicos. Ciência & Educação, Bauru, v. 11, n. 3, p. 445-456, 2005.

PORFIRIO, Luciana Cristina. As perspectivas da educação em Museus na formação continuada dos professores das séries iniciais. Diálogos Acadêmicos, v. n,03, p. 01-11, 2011. Disponível em: http://uniesp.edu.br/sites/_biblioteca/revistas/20170627111159.pdf. Acesso em: 10 mar. 2019.

SANTOS, Milton. Metamorfose do espaço habitado. São Paulo: EDUSP, 2008. [HUCITEC,1988]

STREET, Brian. ‘Multimodality and New Literacy Studies’ Festschrift for Gunther Kress, 2009. Inédito. STREET, B. Multimodalidade. In: FRADE, Isabel Cristina Alves Silva; VAL, Maria da Graça Costa; BREGUNCI, Maria das Graças de Castro. Glossário Ceale de termos de Alfabetização, leitura e escrita par educadores. Belo Horizonte, CEALE/Faculdade de Educação da UFMG. 2014. Disponível em: http://www.ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/multimodalidade. Acesso em: 18 abr. 2019.

STREET, Brian. Entrevista Com Brian Street. Tradução: Gilcinei Teodoro Carvalho. Língua Escrita. Belo Horizonte, n.7, 01 Jul. 2009. Entrevista. Disponível em: http:/www.ceale.fae.ufmg.br/linguaescrita/artigo.php?id=1&pg=2. Acesso em: 22 abr. 2019.

STREET, Brian. La graphique et le traitement graphique de l’information. Paris: Flammarion, 1977.

STREET, Brian. Literacy in theory and practice. Cambridge, England: Cambridge University Press, 1984.

STREET, Brian. Perspectivas Interculturais sobre o letramento. Filologia e Lingüística Portuguesa, São Paulo, SP. Humanitas, 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 16ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

TRILLA, Jaume. A educação não-formal. In: ARANTES, V. A. (Org.). Educação formal e não-formal. São Paulo: Summus, 2008.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG. Plano de Desenvolvimento Institucional. Disponível em: http://intranet.uemg.br/comunicacao/arquivos/PDI_final_site.pdf. Acesso em: 10 jul. 2018.

VAN PRAET, M.; POUCET, B. Les musées, liex de contre-éducation et de partenariat avec l´école. Éducation & Pédagogies, [Sévres], n.16, p. 22-29, 1992.

Downloads

Publicado

23/12/2021

Como Citar

Alves, D. C. (2021). O IMAGINÁRIO SOCIAL DOS PARTICIPANTES DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA REALIZADA NUM MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL. REVISTA ELETRÔNICA EXTENSÃO EM DEBATE, 8(10). Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/extensaoemdebate/article/view/9093