As (Im)Possibilidades de Sustentabilidade do Modo de Vida Ribeirinho: Estudo sobre um Grupo Social na Área Insular do Município de Belém-Pa

Autores

  • João Luiz da Silva Lopes UFPA

Palavras-chave:

Ribeirinho, tempos, práticas econômicas, ambiente, complexidade

Resumo

O estudo propõe-se a compreender e explicitar o modo de vida ribeirinho, referentes a sua produção social (material e simbólica) relacionada ao tempo ecológico e sua interação com outras lógicas temporais e econômicas. Na intenção de poder contribuir com a desconstrução e superação da idéia que concebe este segmento como população preguiçosa, isolada e em atraso espacial e temporal. A perspectiva da complexidade orientou a percepção sobre a realidade investigada, a partir de pesquisa qualitativa. Os resultados da pesquisa mostram que os valores culturais, as simbologias, as condições naturais que variam de acordo com os ritmos ecológicos, os equipamentos técnicos, influenciam na organização socioambiental, orientam a realização das práticas produtivas e garantem a reprodução dos ribeirinhos nas franjas dos processos econômicos dominantes, a partir de estratégia que combina a vivência no cruzamento dos tempos ecológico e mecânico. Menciona-se a necessidade da construção de uma abordagem complexa que permita a percepção da co-existência, da tensão, do antagonismo, do conflito e da complementaridade, entre os vários tempos e lógicas econômicas. Assim como a compreensão da correlação de forças, na forma de conceber o ambiente, em escala local, regional, nacional e global.

Downloads

Publicado

16/05/2018

Como Citar

Lopes, J. L. da S. (2018). As (Im)Possibilidades de Sustentabilidade do Modo de Vida Ribeirinho: Estudo sobre um Grupo Social na Área Insular do Município de Belém-Pa. Latitude, 5(2). Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/1011

Edição

Seção

Dossiê Ensino de Sociologia e Currículo