Estratégias de desenvolvimento econômico para os países do Sul Global:

fé cega no mercado ou política econômica soberana?

Autores

  • REMO MOREIRA BRITO BASTOS FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2023.n.1.14777

Palavras-chave:

desenvolvimento econômico, estratégia, soberania econômica, política industrial, sociologia do desenvolvimento

Resumo

O objetivo do presente artigo consiste em examinar, à luz da Sociologia do Desenvolvimento, as estratégias de desenvolvimento econômico efetivamente adotadas pelos primeiros países que conseguiram de fato alcançá-lo, pelos que tardiamente o fizeram e pelos que ainda não conseguiram. Será observado que cada estratégia privilegiou as concepções teóricas de uma ou mais escolas de pensamento econômico, levando a resultados históricos que refletem o nível de sucesso de cada estratégia, que são, no decorrer do artigo, cotejados com as devidas fundamentações da perspectiva teórica adotada. No que diz respeito à metodologia, adotou-se uma abordagem qualitativa, fazendo-se uso de pesquisa bibliográfica e documental. Concluiu-se que a compreensão dos condicionantes e determinantes de cada estratégia estudada constitui aporte indispensável, especialmente destinado aos formuladores de políticas de desenvolvimento dos países que ainda perseguem os progressos econômico e social de suas nações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMSDEN, Alice Hoffenberg. A ascensão do “resto”: os desafios ao Ocidente de economias com industrialização tardia. São Paulo: Unesp, 2009.

AMSDEN, Alice Hoffenberg. Asia's next giant: South Korea and late industrialization. New York: Oxford University, 1992.

BAIROCH, Paul. Economics and world history: myths and paradoxes. Brighton: Wheatsheaf, 1993.

BARNES, Donald Grove. A History of English Corn Laws: From 1660-1846. London: Routledge, 2013.

CARVALHO, André Roncaglia de; GALA, Paulo. Brasil, uma economia que não aprende: novas perspectivas para entender nosso fracasso. São Paulo: Edição do Autor, 2020.

CHANG, Ha-Joon. Chutando a escada. São Paulo: Unesp, 2004.

CHANG, Ha-Joon. Maus samaritanos: o mito do livre-comércio. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.¬

D’AGUIAR, Rosa Freire. Catch up. Developing countries in the world economy. Deepak Nayyar. Cadernos do Desenvolvimento, Rio de Janeiro, v. 8, n. 13, p. 321-323, 2018. Disponível em: http://www.cadernosdodesenvolvimento.org.br/ojs-2.4.8/index.php/cdes/article/download/153/152. Acesso em: 1º dez. 2020.

DAVIS, Ralph. The rise of protection in England, 1689-1786. Economic History Review, [S.l.], v. 19, n. 2, p. 306-317, 1966. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1468-0289.1966.tb00975.x. Acesso em: 20 out. 2020.

DEFOE, Daniel. A plan of the English commerce: being a compleat prospect of the trade of this nation, as well the home trade as the foreign. Lanham: Rowman & Littlefield, 1967.

EVANS, Peter B. Embedded autonomy: states and industrial transformation. Princeton: Princeton University, 1995.

FIELDEN, Kenneth. The rise and fall of free trade. In: BARTLETT, C. (ed.) Britain pre-eminent: studies in British world influence in the Nineteenth century. London: Macmillan, 1969. p. 82.

HAMILTON, Alexander. Report on the subject of manufactures. New York: Cosimo, 2007 [1791].

HAMILTON, Earl J. Spanish mercantilism before 1700. In: GAY, Edwin Francis (org.). Facts and factors in economic history: articles by former Students of Edwin Francis Gay. Cambridge: Harvard University, 1932. p. 214-239.

HENDERSON, William Otto. Studies in the economic policy of Frederick the Great. London: Routledge, 2013.

ITAMI, Hiroyuki; ROEHL, Thomas W. Mobilizing invisible assets. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1987.

KUISEL, Richard F. Capitalism and the state in modern France: renovation and economic management in the twentieth century. Cambridge: Cambridge University, 1981.

LIST, Friedrich. Sistema nacional de economia política. São Paulo: Nova Cultural, 1986.

MOREIRA, Maurício M. Industrialization, trade and market failures: the role of government intervention in Brazil and South Korea. London: Macmillan, 1994.

NAYYAR, Deepak. A corrida pelo crescimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014.

NYE, John Vincent. The myth of free-trade Britain and fortress France: tariffs and trade in the nineteenth century. In: DORMOIS, Jean-Pierre; LAINS, Pedro (ed.). Classical trade protectionism 1815-1914. London: Routledge, 2006. p. 13-35. Disponível em: https://library.oapen.org/bitstream/handle/20.500.12657/24286/1005845.pdf?sequence=1#page=21. Acesso em: 9 nov. 2020.

PEREIRA, Luis Carlos Bresser. Globalização e competição: por que alguns países emergentes têm sucesso e outros não. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

REINERT, Erik S. How rich countries got rich and why poor countries stay poor. London: Constable, 2008.

RICARDO, David. Princípios de economia política e tributação. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

RIVERO, Patricia Silveira. Desenvolvimento e inovação no Brasil. Latitude, v. 12, n. 2, p. 461-507, 2017.

SATO, Yukihito et al. Diverging development paths of the electronics industry in Korea and Taiwan. The Developing Economies, [S.l.], v. 35, n. 4, p. 401-421, 1997. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1111/j.1746-1049.1997.tb00854.x. Acesso em: 1º dez. 2020.

TREBILCOCK, Clive. The industrialisation of the continental powers: 1780-1914. London: New York: Longman, 1981.

Downloads

Publicado

2023-08-10

Como Citar

MOREIRA BRITO BASTOS, REMO. Estratégias de desenvolvimento econômico para os países do Sul Global: : fé cega no mercado ou política econômica soberana?. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 17, n. 1, p. 206–230, 2023. DOI: 10.28998/lte.2023.n.1.14777. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/14777. Acesso em: 15 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.