O ensino de ciência política na educação básica e a educação política como pedagogia para a cultura democrática

Autores

  • Joana da Costa Macedo Seeduc-RJ e UFRJ
  • Roberson Gonçalves Maturano Seeduc-Rj

Palavras-chave:

Ensino de Sociologia, Metodologia pedagógica, Educação política, Cultura democrática.

Resumo

O objetivo deste artigo é mostrar o Jogo da Política como metodologia capaz de abordar o conteúdo de ciência política com os alunos da educação básica. De forma lúdica, ele simula, na prática, os processos de tomada de decisão e de organização das principais agências de controle do sistema político brasileiro, tendo os estudantes como os principais protagonistas. O artigo apresenta o jogo como uma possibilidade metodológica de ultrapassar as margens conceitual e teórica apresentadas nos livros didáticos, compreendendo o ensino de ciência política aplicada como contribuição para a formação de uma cultura democrática entre os jovens.

Abstract

The objective of this article is to present the Jogo da Política as a methodology capable of presenting the content of political science to students of basic education. It simulates in practice, and in a playful way, the decision-making and organization processes of the main agencies of control of the Brazilian political system, with students as the main protagonists. The article presents the game as a methodological possibility of overcoming the conceptual-theoretical margins presented in the textbooks, including the teaching of applied political science as a contribution to the formation of a democratic culture among young people.


Biografia do Autor

Joana da Costa Macedo, Seeduc-RJ e UFRJ

Professora Substituta de Sociologia da Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e professora de Sociologia da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro

Roberson Gonçalves Maturano, Seeduc-Rj

Professora de Sociologia da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro

Referências

ABRANCHES, Sérgio. Presidencialismo de coalizão: o dilema institucional brasileiro. Dados – Revista Brasileira de Ciências Sociais. Rio de Janeiro: IUEPERJ, v. 1, 1988.

BAQUERO, Marcello (Org.). A juventude e os desafios da democracia no Brasil. Porto Alegre: Escritos Editora, 2018.

BAQUERO, Rute Vivian Angelo; BAQUERO, Marcello. Formação cidadã de jovens no contexto de um regime democrático híbrido. Revista Debates. Porto Alegre, v. 8, n. 2, 2014.

BODART, Cristiano das Neves; FEIJÓ, Fernanda. As ciências sociais no currículo do ensino médio brasileiro. Revista Espaço do Currículo (on-line), João Pessoa, v. 13, n. 2, p. 219-234, maio/ago. 2020.

BODART, Cristiano das Neves; LOPES, Gleison Maia. A ciência política nas propostas curriculares de sociologia para o ensino médio. Cadernos da Associação Brasileira de Ensino em Ciências, v. 1, n. 1, p. 131-152, jan./jun. 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, 2000. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/CienciasHumanas.pdf>. Acesso em: 2019.

COSTA, Marisa Vorraber. Currículo e política cultural. In: COSTA, Marisa Vorraber. O currículo nos limiares do contemporâneo. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

FEIJO, Fernanda. Quando o Parlamento Jovem torna-se parte da aula de sociologia do ensino médio que visa a educação política. In: BODART, Cristiano das Neves. O ensino de sociologia e de filosofia no Brasil. Editora Café com Sociologia, 2020.

FOA, Roberto Stefan; MOUNK, Yascha. The danger of desconsolidation: the democratic discontent. Journal of Democracy, v. 27, n. 3, p. 5-17, 2016.

FOA, Roberto Stefan; MOUNK, Yascha. The sighs of desconsolidation. Journal of Democracy, v. 28, n. 1, p. 5-15, 2017.

FUKS, Mario; CASALECCHI, Gabriel Ávila. Formando cidadãos democráticos: considerações sobre os efeitos do Parlamento Jovem mineiro. Cadernos Adenauer XVII, n. 1, 2016.

HOLBEIN, John; HILLYGUS, D. Sunshine. Making young voters: converting civics attitudes into civic actions. Cambrigde University Press, 2020.

KAHNE, Joseph; WESTHEIMER, Joel. Teaching democracy: what schools need to. Democracy and Civic Engagement, v. 85, n. 1, p. 34-66, set. 2003.

LAHIRE, Bernard. A fabricação social dos indivíduos: quadros, modalidades, tempos e efeitos de socialização. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. especial, p. 1393-1404, dez. 2015.

MACEDO, Joana da Costa. A socialização política nos livros didáticos: uma discussão curricular em perspectiva comparada. CABECS – Revista da Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais, v. 3, n. 2, p. 26-47, jul./dez., 2019.

MAÇAIRA, Julia Polessa. O ensino de sociologia e ciências sociais no Brasil e na França: recontextualização pedagógica nos livros didáticos. 2017. 342 f. Tese (Doutorado em Sociologia e Antropologia) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

MATURANO, Roberson Gonçalves. O jogo da política: uma atividade do Programa Missão Pedagógica do Parlamento como formação de uma educação para a democracia. 2018. Monografia (Especialização em Saberes e Práticas da Educação Básica) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

NICOLAU, Jairo. Cinco opções e uma escolha: o debate sobre a reforma do sistema eleitoral no Brasil. Plenarium. Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, n. 4, p. 70-78, 2007.

NICOLAU, Jairo. Representantes de quem?. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.

SANTOS, Fabiano. Patronagem e poder de agenda na política brasileira. Dados, Rio de Janeiro, v. 40, n. 3, 1997.

SETTON, Maria Graça Jacintho. Teorias da socialização: um estudo sobre as relações entre indivíduo e sociedade. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 4, p. 711-724, dez., 2011.

Downloads

Publicado

22/10/2020

Como Citar

Macedo, J. da C., & Maturano, R. G. (2020). O ensino de ciência política na educação básica e a educação política como pedagogia para a cultura democrática. Latitude, 14(1), 50–72. Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/10644

Edição

Seção

Artigos