No Tempo de Agostinho Neto, Não Existiam Gays

Arquivos Queer e a Luta por uma História LGBTIQ+ em Angola

Autores

  • Caio Simoes de Araujo University of the Western Cape

Palavras-chave:

Angola; Arquivos queer; História LGBTIQ ;

Resumo

Este artigo pretende oferecer uma releitura queer da história de Angola, de maneira a reconhecer os corpos, vivências, e desejos daquelas pessoas convencionalmente excluídas da história nacional devido a sua orientação sexual e identidades de gênero. Baseado em entrevistas de histórias de vida bem como em pesquisa arquivística, o artigo recorre à noção de um arquivo queer para propor uma narrativa alternativa para a memória coletiva angolana, demonstrando que a diversidade sexual e de género fazem parte da história do país, e do continente africano. Adotando uma abordagem cronológica que vai do período pré- ao pós-colonial, pretende-se demonstrar que a luta por uma história LGBTIQ+ pode ter um papel importante em legitimar as demandas presentes do ativismo LGBTIQ+ em Angola, bem como possibilitar imaginações emancipatórias do futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

A PROVÍNCIA DE ANGOLA. April Ashley. A Província de Angola, 7 mar. 1970.

A PROVÍNCIA DE ANGOLA. Charito: um brasileiro ganhou o concurso de ‘travesti’ na Tamar. A Província de Angola, 17 fev. 1972.

AFONSO, Aline; CAETANO, Catarina. Angola Gender Country Profile. Luanda: PAANEII, 2014.

AMARAL, Ilídio. Luanda e o seus musseques: problemas de geografia urbana. Finisterra, CEG, Lisboa, v. 8, n. 36, p. 293-325, 1983.

ARAÚJO, Caio. Sujeitos sem História? Cidadania Sexual, Temporalidade, e os Desafios da Pós-colonialidade em Moçambique. In CASTEL-BRANCO, Carlos Nuno; ALI, Rosimina; CHICHAVA, Sérgio; FORQUILHA, Salvador; MUIANGA, Carlos. Desafios para Moçambique 2022. Maputo: IESE, pp. 403-425, 2022.

ARAÚJO, Kelly. Um só povo, uma só nação. O discurso do Estado para a construção do Homem Novo em Angola (1975-1979). 2005, 105 f. Dissertação (mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

ARQUIVO DE IDENTIDADE ANGOLANO, Carregue os seus direitos consigo: guia prático de direitos à luz da legislação angolana. Luanda: Arquivo de Identidade Angolano, 2019.

ASSIS, Joaquim. Práticas sociais e políticas das ONGs em Angola. Metodologias e relações de poder: O caso da ADRA e da Visão Mundial. Mulemba. FCS-UAN, Luanda, v. 5, n. 10, p. 261-288, nov. 2015.

CARNEIRO, Jaime. Pobre Bairro Operário: onde ainda mora a tradição, mas reinam o vício e a decadência. A Tribuna dos Musseques, 23 jan. 1969.

CASCAIS, António Fernando. A Homossexualidade nas malhas da lei no Portugal dos séculos XIX e XX, International Journal of Iberian Studies, vol. 29, n. 2, p. 95-112, jun. 2016.

CASTRO, Líria. Entrevista. Jun. 2022. Entrevistador: Caio Simões de Araújo. Luanda, 2022.

CATROGA, Fernando. Salazar e a ditadura como regime. Cercles: revista d’història cultural. UB, Barcelona, n. 14, p. 110-140, 2011.

CRUZ, Bernardo Pinto. (Des)controlo em Luanda: urbanismo, polícia e lazer nos musseques do império. Lisboa: Outro Modo Cooperativa Cultural, 2020.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Novela angolana suspensa após cena de beijo gay. Diário de Notícias. Lisboa, 2015. Disponível em: <https://www.dn.pt/tv-e-media/televisao/novela-angolana-suspensa-apos-cena-de-beijo-gay-4381500.html>. Acesso em: set. 2023.

DUCADOS, Henda. An all men’s show? Angolan women’s survival in the 30-year war. Agenda. UNISA, Pretoria, n. 16, p. 11-22, 2000.

FABRICIUS, Peter. Angola under Lourenço: more than just a promising future. Portal Africa. 2019, Johannesburg. Disponível em: <https://africaportal.org/feature/angola-under-lourenco-more-just-promising-start/>. Acesso em: set. 2023.

FERNANDES, Carlos. Entrevista. Set. 2022. Entrevistador: Caio Simões de Araújo. Joanesburgo, 2022.

FERREIRA, Eduardo de Sousa. Portuguese colonialism in Africa: the end of an era. UNESCO: Paris, 1974.

FÊNIX. Entrevista. Ago. 2023. Entrevistador: Caio Simões de Araújo. Luanda, 2023.

FOUCAULT, Michel. The will to knowledge: the history of sexuality, vol 1. Londres: Penguin, 1981.

GOMBÁR, Zsófia. Uma comparação: romances traduzidos de temática homossexual no Estado Novo português e no Estado socialista húngaro. Via Atlântica. USP, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 187-205, 2018.

GOVERNO GERAL DE ANGOLA. Vamos aprender a ler: iniciação da leitura, 2º caderno. Luanda: Governo Geral de Angola, 1962.

GUEDES, Armando Marques. Sociedade Civil e Estado em Angola: o Estado e a Sociedade Civil sobreviverão um ao outro? Coimbra: Almedina, 2005.

GUNZA, Roquiana. Entrevista. Jun. 2022. Entrevistador: Caio Simões de Araújo. Luanda, 2022.

HEYWOOD, Linda. Njinga of Angola: Africa’s warrior queen. Cambridge, MA: Harvard University Press, 2017.

HODGES, Tony. Angola: From Afro-Stalinism to Petro-Diamond Capitalism. Oxford: James Curry, 2001.

KANGA, David. Entrevista. Jun. 2022. Entrevistador: Caio Simões de Araújo. Luanda, 2022.

LEÃO, Indira. Transgressões sexuais femininas segundo os processos inquisitoriais de sodomia (1591-1639). Biblos. UC, Coimbra, n. 7, p. 203-224, 2021.

LIBERATO, Ermelinda. 40 Anos de Independência: Uma Reflexão em Torno da Condição da Mulher Angolana. Revista de Estudos Feministas. UFSC, Florianópolis, n. 24, p. 997-1006, set-dez. 2016.

LIVERMON, Xavier. Queer(y)ing Freedom: Black Queer Visibility in Postapartheid South Africa. GLQ. Duke University Press, Durham, n. 18, n. 2-3, p. 297-323, 2012.

LUGARINHO, Mário. A apoteose da Rainha Ginga: gênero e nação em Angola. Revista Cerrados. UNB, s.l., v. 25, n. 41, p. 88-96, 2016.

LUGONES, Maria. Toward a Decolonial Feminism. Hypatia. UC, Cambridge, vol. 25, n. 4, p. 742-759, outono de 2010.

MACQUEEN, Norrie. The Decolonization of Portuguese Africa. Londres e Nova Iorque: Longman, 1997.

MALPIQUE, Cruz. Higiene intelectual e moral do estudante. Luanda: Edição da Caixa Escolar do Liceu Nacional Salvador Correia, 1939.

MAUSSION, Estelle. Life after power: the bitter exile of Angola's ex-president Dos Santos. The Africa Report. 2019, Paris. Disponível em: <https://www.theafricareport.com/16712/life-after-poder-o-amargo-exílio-de-angolas-ex-presidente-dos-santos/>. Acesso em: set. 2023.

MENDES, Hélder. Entrevista. Jun. 2022. Entrevistador: Caio Simões de Araújo. Luanda, 2022.

MONIZ, Egas. A Vida Sexual: Pathologia, vol. 2. Coimbra: França Amado Editor, 1902.

MONTEIRO, Ramiro Ladeiro. A Família nos Musseques de Luanda: subsídios para o seu estudo. FASTA: Luanda, 1973.

MOORMAN, Marissa. Intonations: a social history of music and nation in Luanda, from 1945 to recent times. Athens, OH: Ohio University Press, 2008.

MOTT, Luiz. Francisco Manicongo. Oxford African American Studies Centre, Oxford 2017. Disponível em: < https://projects.kora.matrix.msu.edu/files/16-23-92884/Francisco_Manicongo_DCALAB.pdf>. Acesso em: jun. 2023.

MOTT, Luiz. Raízes históricas da homossexualidade no Atlântico lusófono negro. Afro-Ásia, UFBA, Salvador, n. 33, p. 9-33, 2005.

MOUZINHO, Âurea; CUTAIA, Sizaltina. Reflection on Feminist Organising in Angola. Feminist Africa, UCT, Cape Town, n. 22, p. 33-51, 2017.

MURRAY, Stephen; ROSCOE, Will. Boy-Wives and female husbands: studies of African homosexualities. New York: Palgrave MacMillan, 1998.

OLIVEIRA, Pedro Aires. O Facto Colonial na Política Externa da Primeira República. In: MENESES, Filipe Ribeiro; OLIVEIRA, Pedro Aires. A Primeira República Portuguesa: diplomacia, guerra e império. Lisboa: Tinta da China, pp. 299-332.

OSÓRIO, Luiz Guilherme. A História do Primeiro Grupo LGBT+ reconhecido pelo governo de Angola. Revista Híbrida, s.l. Disponível em: < https://revistahibrida.com.br/mundo/a-historia-do-primeiro-grupo-lgbt-reconhecido-pelo-governo-da-angola/>. Acesso em: set. 2023.

OYEWUMI, Oyeronke. The invention of women: making an African sense of western discourses. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1997.

PEARCE, Justin. Political Identity and Conflict in Central Angola, 1975-2002. Cambridge: Cambridge University Press, 2015.

PIRES, Andrade. Uma luta necessária em defesa da juventude. A Província de Angola, 6 fev. 1970.

PRETO, Augusto. Entrevista. Oct. 2021. Entrevistadora: Líria de Castro. Luanda, 2021.

RAO, Rahul. Out of Time: the queer politics of postcoloniality. Oxford: Oxford University Press, 2020.

ROCHA, João Manuel. Os jornais diários de Luanda em vésperas da guerra colonial. Ler História. IUL, Lisboa, n. 74, p. 213-238, 2019.

ROSAS, Fernando. O salazarismo e o homem novo: ensaio sobre o Estado novo e a questão do totalitarismo. Análise Social. UL, Lisboa, v. 35, n. 157, 1031-1054, 2001.

SANTOS, Hermínio. Cuidado com as doenças venéreas: luta antivenérea. B.A.: Luanda, 1965.

SEBASTIÃO, Pamina. Entrevista. Nov. 2020. Entrevistador: Caio Simões de Araújo. Via Zoom, 2020.

SILVA, Imanni. Entrevista. Set. 2022. Entrevistador: Caio Simões de Araújo. Via Zoom, 2022.

TAMALE, Sylvia. Decolonization and Afro-feminism. Ottawa: Daraja Press, 2020.

TOLEDO, Eliza Teixeira; VIMIEIRO, Ana Carolina. A Vida sexual, de Egas Moniz: eugenia, psicanálise e a patologização do corpo sexuado feminino. História, Ciência, Saúde-Manguinhos. UFPR, Curitiba, n. 28, p. 69-86, 2018.

TROCO, Albano Agostinho. Angola’s president has little to show for his promise of a break with the authoritarian past. The Conversation Africa. Johannesburg, 2021. Disponível em:

<https://theconversation.com/angolas-president-has-little-to-show-for-his-promise-of-a-break-with-the-authoritarian-past-167933>. Acesso em: set. 2023.

Downloads

Publicado

2024-03-25

Como Citar

SIMOES DE ARAUJO, Caio. No Tempo de Agostinho Neto, Não Existiam Gays: Arquivos Queer e a Luta por uma História LGBTIQ+ em Angola. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 18, n. 01, p. 83–108, 2024. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/16538. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê temático

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.