Notas sobre violência epistêmica, vigilância epistemológica e alternativas à produção do conhecimento em Ciências Sociais

Autores

  • Rosina Pérez Menafra Instituto de Ciências Sociais - Universidade Federal de Alagoas

Palavras-chave:

ciências sociais, modernidade, eurocentrismo, conhecimento-emancipação.

Resumo

O artigo trata sobre o contexto de surgimento das ciências sociais na Europa, caracterizado por um imaginário assentado principalmente na negação de alteridades e na auto-afirmação da Europa e de Ocidente como portadores e defensores da civilização e da evolução social da humanidade. Analisa o papel ativo que as ciências sociais desempenharam na legitimação desse imaginário e na consolidação da modernidade como modelo civilizatório hegemônico, a partir de discursos e práticas orientados a extirpar, ocultar e marginalizar as formas de conhecimento alternativos aos ocidentais. Por último, apresenta algumas perspectivas críticas surgidas nos últimos anos desde diversos campos do conhecimento, que diagnosticam uma crise no paradigma moderno e propõem uma alternativa aos modelos arraigados nas ciências sociais.

Biografia do Autor

Rosina Pérez Menafra, Instituto de Ciências Sociais - Universidade Federal de Alagoas

Socióloga, graduada pela Universidad de la República – UdelaR, Uruguai e aluna do Programa de Pós-Graduação em Sociologia do Instituto de Ciências Sociais da Universidade Federal de Alagoas.

Downloads

Publicado

14/11/2010

Como Citar

Menafra, R. P. (2010). Notas sobre violência epistêmica, vigilância epistemológica e alternativas à produção do conhecimento em Ciências Sociais. Latitude, 1(2). Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/78

Edição

Seção

Artigos