Ações do poder público e a prática da umbanda, candomblé e congado: Reflexões sobre a construção de patrimônios culturais

Autores

  • Mariana Ramos de Moraes PUC-Minas

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2010.n.2.839

Palavras-chave:

Religiosidade afro-brasileira, patrimônio cultural, Belo Horizonte

Resumo

Assim como ocorre no âmbito nacional, na capital mineira o poder público municipal trata a religiosidade afro-brasileira como cultura e, neste sentido, desenvolve ações que visam preservar o congado, a umbanda e o candomblé. Este trabalho dialoga com a discussão sobre o patrimônio cultural no Brasil, a fim de refletir sobre as ações da Prefeitura voltadas para essas manifestações religiosas em Belo Horizonte e a forma como esse patrimônio é construído por seus praticantes. Patrimônios culturais são entendidos aqui como elementos mediadores entre diversos domínios sociais e simbolicamente construídos, estabelecendo pontes e cercas entre categorias cruciais, tais como passado e presente

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-05-17

Como Citar

MORAES, Mariana Ramos de. Ações do poder público e a prática da umbanda, candomblé e congado: Reflexões sobre a construção de patrimônios culturais. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 4, n. 2, 2018. DOI: 10.28998/lte.2010.n.2.839. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/839. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.