AUTOESTIMA DA MULHER NEGRA NO CINEMA: RESSIGNIFICAÇÕES E NOVAS FORMAS DE RETRATAÇÃO.

Autores

  • Paula Berle Bezerra de Melo UFAL

Palavras-chave:

Mulheres negras, auto estima, cineastas negras, audiovisual independente.

Resumo

Neste manuscrito pretende-se analisar as novas formas de representação da mulher negra no cinema nacional. Para isso utilizou-se os trabalhos de três cineastas negras contemporâneas, que em suas produções trazem personagens infantis, adolescentes, adultas e idosas para discutir as lutas, dores e relações desses indivíduos na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Berle Bezerra de Melo, UFAL

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Referências

DE SOUZA, Edileuza Penha; DOS SANTOS, Elen Ramos. O DIA DE JERUSA: REPRESENTAÇÕES DE GÊNERO IDENTIDADE, MEMÓRIAS E AFETOS. Revista Gênero, v. 17, n. 1, 2017.

DOS SANTOS, Beatriz Gerolim. A (AUTO) REPRESENTAÇÃO DA MULHER NEGRA NO CINEMA BRASILEIRO CONTEMPOR NEO. O Mosaico, n. 15, 2017.

HOOKS, Bell. Vivendo de amor. O livro da saúde das mulheres negras: nossos passos vêm de longe, v. 2, p. 188-198, 2000.

LAHNI, Cláudia Regina et al. A mulher negra no cinema brasileiro: uma análise de Filhas do Vento. Revista Científica Centro Universitário Barra Mansa, p. 80-88, 2007.

Publicado

2022-11-30

Como Citar

Berle Bezerra de Melo, P. . (2022). AUTOESTIMA DA MULHER NEGRA NO CINEMA: RESSIGNIFICAÇÕES E NOVAS FORMAS DE RETRATAÇÃO. REVISTA ELETRÔNICA EXTENSÃO EM DEBATE, 11(09). Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/extensaoemdebate/article/view/14487

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.