Cooperação e inovação nos principais parques científicos e tecnológicos do Rio Grande do Sul (Brasil): Tecnopuc, Tesnosinos e Feevale Techpark

Autores

Palavras-chave:

cooperação, inovação, parques científicos e/ou tecnológicos, Rio Grande do Sul (Brasil)

Resumo

Os parques científicos e/ou tecnológicos têm se configurado, em diversas partes do mundo, como elementos constitutivos essenciais das políticas de inovação, apesar de apresentarem limitações importantes ao desenvolvimento tecnológico harmônico em alguns casos. Nas experiências exitosas de parques uma característica sempre presente, e que em boa parte explica esses sucessos, é o da cooperação entre os mais diversos atores. Assim, o artigo possui o propósito de analisar o grau de cooperação para inovar existente nos três principais parques do estado do Rio Grande do Sul (Brasil) no período recente: Parque Tecnológico de São Leopoldo (Tecnosinos), Parque Científico e Tecnológico da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Tecnopuc) e Parque Tecnológico do Vale do Sinos (Feevale Techpark). Para isso foram realizadas entrevistas semiestruturadas com os gestores dos parques e algumas empresas presentes nos parques, e coletadas informações nos sites das empresas. Os resultados da pesquisa mostraram que o nível de cooperação observado nos parques é significativo, promovendo assim à transferência de conhecimentos, porém com muito a melhorar, bem longe do que se percebe nos principais parques do mundo.

Referências

BATHELT, Harald; MALMBERG, Anders; MASKELL, Peter. Clusters and knowledge: local buzz, global pipelines and the process of knowledge creation. Progress in Human Geography, v. 28, n. 1, p. 31-56, 2004.

BATHELT, Harald; TURI, Philip. Local, global and virtual buzz: The importance of face-to-face contact in economic interaction and possibilities to go beyond. Geoforum, v. 42, n. 5, p. 517-624, 2011.

BENKO, Georges; PECQUEUR, Bernard. Os recursos de territórios e os territórios de recursos. Geosul, v. 16, n. 32, p. 31-50, 2001. Disponível em: <http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/view/14006/1284>. Acesso em: 21 mar. 2013.

BOSCHMA, Ron. Proximity and Innovation: A Critical Assessment. Regional Studies, v. 39, n. 1, p. 61-74, 2005.

CASTELLS, Manuel; HALL, Peter. Tecnópolis del mundo: la formación de los complejos industriales del siglo XXI. Madrid: Alianza Editorial, 2001.

CHESBROUGH, Henry. Open innovation: The imperative for creating and profiting from technology. Boston: Harvard Business School Press, 2006.

DETTWILER, Paul; LINDELÖF, Peter; LÖFSTEN, Hans. Utility of location: A comparative survey between small new technology-based firms located on and off Science Parks—Implications for facilities management. Technovation, v. 26, p. 506–517, 2006.

DICKEN, Peter. Mudança tecnológica: “vento de destruição criativa”. In: ______. Mudança global: mapeando as novas fronteiras da economia mundial. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010. p. 91-124.

ETZKOWITZ, Henry. Hélice tríplice: universidade-indústria-governo: inovação em ação. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009.

FAGERBERG, Jan. Innovation: a guide to the literature. In: FAGERBERG, Jan; MOWERY, David C.; NELSON, Richard R. (edited by). The Oxford Handbook of Innovation. Oxford (UK): Oxford University Press, 2005. p. 1-26. Disponível em: <http://fds.oup.com/www.oup.co.uk/pdf/0-19-926455-4.pdf>. Acesso em: 07 ago. 2013.

GONZÁLEZ, Gema. Innovación, redes y territorio en Andalucía. Sevilla (España): Universidad de Sevilla, 2006.

GRANOVETTER, Mark. Economic Action and Social Structure: The Problem of Embeddedness. The American Journal of Sociology, v. 91, n. 3, p. 481-510, 1985.

LAHORGUE, Maria Alice. Parques, pólos e incubadoras: instrumentos de desenvolvimento do século XXI. Brasília: ANPROTEC/SEBRAE, 2004.

LASTRES, Helena M. M.; CASSIOLATO, José E.; ARROIO, Ana. Sistemas de inovação e desenvolvimento: mitos e realidade da economia do conhecimento global. In: ______ (organizadores). Conhecimento, sistemas de inovação e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/Contraponto, 2005. (Coleção Economia e Sociedade). p. 17-50.

LEMOS, Mauro Borges; SANTOS, Fabiana; CROCCO, Marco. Condicionantes territoriais das aglomerações industriais sob ambientes periféricos. In: DINIZ, Clélio Campolina; LEMOS, Mauro Borges (organizadores). Economia e território. Belo Horizonte: UFMG, 2005. p. 171-205.

MARTINS, José de Souza. A sociabilidade do homem simples: cotidiano e história na modernidade anômala. São Paulo: Hucitec, 2000.

MAZZUCATO, Mariana; PENNA, Caetano. The Brazilian Innovation System: A Mission-Oriented Policy Proposal. Avaliação de Programas em CT&I. Apoio ao Programa Nacional de Ciência (Plataformas de conhecimento). Brasília (DF): Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), 2016. Disponível em: <https://www.cgee.org.br/documents/10195/909424/The_Brazilian_Innovation_System-CGEE-MazzucatoandPenna-FullReport.pdf>. Acesso em: 8 abr. 2016.

MÉNDEZ, Ricardo. Innovación tecnológica y reorganización del espacio industrial: una propuesta metodológica. EURE, Santiago de Chile, v. 24, n. 73, p. 31-54, 1998. Disponível em: <http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0250-71611998007300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=es>. Acesso em: 18 out. 2008.

MOULAERT, Frank; SEKIA, Farid. Territorial Innovation Models: A Critical Survey. Regional Studies, v. 37, n. 3, p. 289-302, 2003.

NORTH, Douglass C. Institutions, institutional change and economic performance. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

PÉREZ, Carlota. Revoluciones tecnológicas y capital financiero: la dinâmica de las grandes burbujas financieras y las épocas de bonanza. México (DF): Siglo XXI Editores, 2004.

POLANYI, Karl. La gran transformación: los orígenes políticos y económicos de nuestro tiempo. 2. ed. México: FCE, 2003.

RODRÍGUEZ-POSE, Andrés. Los parques científicos y tecnológicos en América Latina: Un análisis de la situación actual. Washington, D.C.: BID, 2012. Disponível em: <http://publications.iadb.org/bitstream/handle/11319/3132/Los%20parques%20cient%C3%ADficos%20y%20tecnol%C3%B3gicos%20en%20Am%C3%A9rica%20Latina%20%282%29.pdf?sequence=1>. Acesso em: 29 out. 2014.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: espaço e tempo: razão e emoção. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

SCHUMPETER, Joseph A. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura, 1961. Disponível em: <http://www.ordemlivre.org/download.php?file=schumpeter-csd.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2009.

SENNETT, Richard. Juntos: os rituais, os prazeres e a política da cooperação. Rio de Janeiro: Record, 2012.

STORPER, Michael; VENABLES, Anthony J. Buzz: face-to-face contact and the urban economy. Journal of Economic Geography, v. 4, p. 351-370, 2004.

STORPER, Michael; VENABLES, Anthony J. O burburinho: a força econômica da cidade. In: DINIZ, Clélio Campolina; LEMOS, Mauro Borges (org.). Economia e território. Belo Horizonte: UFMG, 2005. p. 21-56.

SUZIGAN, Wilson; ALBUQUERQUE, Eduardo da Motta e. A interação entre universidades e empresas em perspectiva histórica no Brasil. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 2008. (Texto para discussão n. 329). Disponível em: <http://www.cedeplar.ufmg.br/pesquisas/td/TD%20329.pdf>. Acesso em: 24 jul. 2009.

TARTARUGA, Iván G. Peyré. O Orçamento Participativo de Porto Alegre – lugar e território do cidadão? 2003. 159 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/106338>. Acesso em: 5 nov. 2014.

TARTARUGA, Iván G. Peyré. Inovação, território e cooperação: Um novo panorama da Geografia Econômica do Rio Grande do Sul. 2014. 334 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/106435>. Acesso em: 7 nov. 2014.

TARTARUGA, Iván G. Peyré. Inovação e cooperação nos parques científicos e tecnológicos gaúchos: podemos comemorar? Carta de Conjuntura FEE, ano 24, n. 6, jun. 2015. Disponível em: <http://carta.fee.tche.br/wp-content/uploads/2015/06/20150611carta-de-conjuntura-fee-ano-24-n.-06-jun._15.pdf>. Acesso em: 20 ago. 2017.

TARTARUGA, Iván G. Peyré. Cooperação para inovar nas empresas gaúchas: avanços recentes frente aos desafios atuais. Carta de Conjuntura FEE, ano 26, n. 3, mar. 2017. Disponível em: <http://carta.fee.tche.br/article/cooperacao-para-inovar-nas-empresas-gauchas-avancos-recentes-frente-aos-desafios-atuais/>. Acesso em: 15 set. 2017.

UNESCO – UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANISATION. Science and technology park governance: Concept and definition. 2012. Disponível em: <http://www.unesco.org/new/en/natural-sciences/science-technology/university-industry-partnerships/science-and-technology-park-governance/concept-and-definition/>. Acesso em: 10 nov. 2012.

VEDOVELLO, Conceição. Science parks and university–industry interaction: geographical proximity between the agents as a driving force. Technovation, v. 17, i. 9, p. 491-502, 1997.

Downloads

Publicado

12/07/2018

Como Citar

Peyré Tartaruga, I. G. (2018). Cooperação e inovação nos principais parques científicos e tecnológicos do Rio Grande do Sul (Brasil): Tecnopuc, Tesnosinos e Feevale Techpark. Latitude, 11(2). Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/3869

Edição

Seção

Dossiê "Processos sociopolíticos e desenvolvimento econômico no Brasil"