O Significado deslocado: Política, ideologia e identidade no mundo do consumo

Autores

Palavras-chave:

Consumo, identidade, política

Resumo

Este artigo trata da relação cada vez mais imbricada entre consumo e identidade. Parte de uma revisão de literatura baseada nas teorias sociais que abordam a temática para discutir o deslocamento de significado promovido pelo mundo do consumo. Utiliza como plano empírico duas situações específicas. A performance musical da cantora Beyoncée no Superbowl 50 do ano de 2016, quando a artista se apresentou usando uma indumentária que emulava o Partido dos Panteras Negras. E o boicote promovido pelos segmentos mais conservadores do Brasil contra a campanha publicitária da empresa de cosméticos “O Boticário”, no ano de 2015, por conta da vinculação da peça com casais homoafetivos. O que une os dos casos é precisamente o sentido deslocado do consumo para a arena da representação político-identitária. Pretende-se aqui esboçar algumas considerações a respeito destes desdobramentos.

Biografia do Autor

Roque Pinto, Universidade Estadual de Santa Cruz

Professor Titular de Antropologia na Universidade Estadual de Santa Cruz

Referências

TH. Direção: Ava DuVernay. Netflix, 2016 (100min.).

ALEXANDER, Michelle. The New Jim Crow: mass incarceration in the age of colorblindness. New Press: New York, 2010.

BARBOSA, Lívia. Sociedade de Consumo. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

BARBER, Benjamin. Consumido: como o mercado corrompe crianças, infantiliza adultos e engole cidadãos. Rio de Janeiro: Record, 2007.

BAUDRILARD, Jean. A Sociedade de Consumo. Lisboa: Edições 70, 2007 [1968].

BELL, Adam; PRICE, Mark; PERALTA, Katherine. Charlotte police protests: Governor declares state of emergency as violence erupts for second night. The Charlotte Observer, 21 set. 2016. Disponível em: <http://www.charlotteobserver.com/news/local/crime/article103175292.html> Acesso em 22 ago. 2018.

BOURDIEU, Pierre. La Distinction: critique sociale du jugement. Paris: Les Éditions de Minuit, 1979.

BOURDIEU, Pierre. Las Estructuras Sociales de la Economía. Barcelona: Anagrama, 2003.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

CAMPBELL, Colin. Ética Romântica e o Espírito do Consumismo Moderno. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

CANCLINI, Néstor Garcia. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: EDUFRJ, 1999.

CINCO números para entender a desigualdade racial nos EUA. BBC Brasil, 17 ago. 2014. Disponível em: <http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/08/140817_desiguladade_eua>. Acesso em 22 ago. 2018.

Conselho de Autorregulação Publicitária - CONAR. Representação n. 088/15 - Dia dos namorados O Boticário. 2015. Disponível em <http://www.conar.org.br/processos/detcaso.php?id=4142>. Acesso em 04/05/2019.

DOUGLAS, M. e ISHERWOOD, B. (2004). O Mundo dos Bens: para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: UFRJ.

ELIAS, Norbert. Sociedade de Corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Juiz de fora: Ed. UFJF, 2010.

FAUSTINO, Deivison. Frantz Fanon: um revolucionário, particularmente negro. São Paulo: Ciclo Contínuo Editorial, 2018.

FEATHERSTONE, Mike. Cultura de Consumo e Pós-modernismo. São Paulo: Studio Nobel, 1995a.

______. O Desmanche da Cultura: Globalização, Pós-modernismo e Identidade. São Paulo: Studio Nobel, 1995b.

FERGUSON burning: Torched cars, tear gas in massive night riots. Russia Today, 25 nov. 2014. Disponível em: <https://www.rt.com/usa/208535-violence-ferguson-protest-police/> Acesso em 22 ago. 2018

FERGUSON unrest: From shooting to nationwide protests. BBC, 10 ago. 2015. Disponível em: <http://www.bbc.com/news/world-us-canada-30193354> Acesso em 22 ago. 2018.

FRANÇA, Isadora Lins. Identidades coletivas, consumo e política: A aproximação entre mercados GLS e movimento GLBT em São Paulo. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 13, n. 28, p. 289-311, 2007. https://doi.org/10.1590/S0104-71832007000200012

FRANCISCO, F.T.R. A utopia pós racial nos Estados Unidos: reestruturação do racismo e a ascensão de Barack Obama na era do colorblindness. Rev. Hist. UEG - Porangatu, v.6, n.1, p. 01-23, 2017.

GOMES, Marcus Alan de Melo. Mídia e sistema penal. Rio de Janeiro: Revan, 2015.

GUARESCHI, Pedro A. et al. Comunicação e controle social. Petrópolis: Vozes, 2000.

HARRIS, M. Teorías Sobre la Cultura en la Era Posmoderna. Barcelona: Crítica, 2004.

HAYWARD, K. and YAR, M. (2006). The 'Chav' phenomenon: consumption, media and the construction of a new underclass. Crime, Media, Culture, 2006, 2(1), 9-28. https://doi.org/10.1177/1741659006061708

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Ed. 34, 2003.

LEONARD, Tom. Queen of cynicism: No stunt's too shameless for Beyonce, who was once accused of trying to look white but this week posed as a heroine of black power. The Daily Mail, 13 fev. 2016. Disponível em: <http://www.dailymail.co.uk/news/article-3445116/Queen-cynicism-No-stunt-s-shameless-Beyonce-accused-trying-look-white-week-posed-heroine-black-power.html> Acesso em 22 ago. 2016.

LIPOVETSKY, G. O Império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

MACASKILL, Ewen. Oakland riots after verdict in police shooting of Oscar Grant. The Guardian, 9 jul. 2010. Disponível em: <https://www.theguardian.com/world/2010/jul/09/oakland-riots-oscar-grant-shooting-verdict> Acesso em 22 ago. 2018.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

MCCRACKEN, Grant. Cultura e consumo: novas abordagens do caráter simbólico dos bens e das atividades de consumo. Rio de Janeiro: Mauad, 2003.

MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensões do homem. São Paulo: Cultrix, 1995.

MILLER, Daniel. Teoria das Compras. São Paulo: Nobel, 2002.

MILLER, Daniel. Consumo como Cultura Material. Horizontes Antropológicos, 13(28), p. 33-63, 2007. https://doi.org/10.1590/S0104-71832007000200003

NAGOURNEY, Adam. Obama Elected President as Racial Barrier Falls. New York Times, 4 nov. 2008. Disponível em: <http://www.nytimes.com/2008/11/05/us/politics/05elect.html> Acesso em 22.08.2018.

OLIVEIRA, Josiane Silva de. O “olhar antropológico do marketing: contribuições da antropologia ao entendimento do sistema de produção de bens e do comportamento do consumidor. Revista ADM.MADE, ano 10, v. 14, nº 2, p. 21-35, 2010.

ROCHA, Everardo. Totemismo e Mercado: Notas para uma antropologia do consumo. Logos, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, 1996.

ROCHA, Everardo; FRID, Marina; CORBO, Willian. A corte, o chá e o voto: O consumo como arena política. Intexto, Porto Alegre, UFRGS, n. 34, p. 322-341, set./dez. 2015. Disponível em <http://www.seer.ufrgs.br/index.php/intexto/article/view/58463> Acesso em 10 ago. 2018. https://doi.org/10.19132/1807-8583201534.322-341

SANCHEZ, Ray. Milwaukee officer knew Sylville Smith, family says. CNN, 19 ago. 2016. Disponível em: <http://edition.cnn.com/2016/08/17/us/milwaukee-police-shooting/> Acesso em 22 ago. 2018.

SHILS, Edward. Centro e Periferia. Lisboa: Difel, 1992.

SHRUM, L. J. Media consumption and perceptions of social reality: Effects and underlying processes. In: BRYANT, J. & ZILLMANN, D. (Eds.). Media effects: Advances in theory and research. Mahwah: Lawrence Erlbaum Associates, 2002, p. 69-95.

SLATER, Dan. Cultura do Consumo e Modernidade. São Paulo: Nobel, 2001.

SIMMEL, Georg. O dinheiro na cultura moderna (1896). In: SOUZA, Jessé; ÖELZE, Berthold (Orgs). Simmel e a modernidade. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2014, p. 23-40.

TODOROV, T. 2. ed. La Vida en Común: Ensayo de Antropología General. Madrid: Taurus, 2008.

TRENDS in US corrections. Disponível em: <http://www.sentencingproject.org/publications/trends-in-u-s-corrections/> Acesso em: 22 ago. 2018.

TURNER, Bryan. Status. Lisboa: Estampa, 1989.

TURNER, Victor. The Ritual Process. Structure and Anti-Structure. New York: Aldine de Gruyter, 1995 [1969].

UNITED States Census Bureau. Disponível em <https://www.census.gov/quickfacts/table/ RHI125215/00>. Acesso em 22 ago. 2018.

VEBLEN, Thornstein. A Teoria da Classe Ociosa: um estudo econômico das instituições. 2. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987 [1899].

ZIRIN, Dave. In Defense of Beyoncé’s Black Panther Tribute at the Super Bowl. The Nation, 11 fev. 2016. Disponível em: <https://www.thenation.com/article/in-defense-of-black-panther-tributes-at-the-super-bowl> Acesso em 22 ago. 2018.

Downloads

Publicado

15/06/2020

Como Citar

Pinto, R., Ortega, R., & Lavinscky, M. (2020). O Significado deslocado: Política, ideologia e identidade no mundo do consumo. Latitude, 13(1), 132–153. Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/9739

Edição

Seção

Artigos