Do “eu penso” da Ciência Moderna à consciência possível na Ciência da Informação: uma relação possível sob a égide da responsabilidade social da informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/cirev.2019v6n3a

Palavras-chave:

Ciência da Informação. Ciência moderna. Consciência possível. Intersujeito/usuário. Responsabilidade social.

Resumo

Esta pesquisa investiga o contexto social da informação, porque, com o advento da ciência moderna, o sujeito cognoscente rompeu com o saber “sacralizado” da antiga Idade Média constituído pela igreja e por seu caráter teológico. Aponta que a ciência moderna trouxe o conceito de racionalidade do indivíduo e sua relação de intersubjetividade ancorada. Desse modo, a ciência moderna propiciou novas conjecturas para se pensar sobre a humanidade, interpretando suas necessidades, principalmente nesse contexto racional. Nesse sentido, a pesquisa compreende o contexto da responsabilidade social da informação com base na ciência moderna e na consciência possível por meio de regimes de informação apresentados por Isa Freire (2001). Conclui-se que, por mais que a ciência moderna e a consciência possível estejam separadas pelas cronologias e por significados conceituais, ambas têm uma convergência, sobretudo no que diz respeito aos “intersujeitos/usuários” da informação e à relação social que ela desempenha na atual realidade da Ciência da Informação.

Biografia do Autor

Luiz Eduardo Ferreira da Silva, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Ciência da Informação

Departamento de Ciência da Informação

Universidade Federal da Paraíba

Downloads

Publicado

07/01/2020

Como Citar

Silva, L. E. F. da. (2020). Do “eu penso” da Ciência Moderna à consciência possível na Ciência da Informação: uma relação possível sob a égide da responsabilidade social da informação. Ciência Da Informação Em Revista, 6(3), 3–14. https://doi.org/10.28998/cirev.2019v6n3a

Edição

Seção

Artigos Originais | Original Articles