O gás hilariante, a máscara do coringa e a comédia combativa

o humor na formação do professor de química

Autores

  • Hélio da Silva Messeder Neto Universidade Federal da Bahia (UFBA)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p306-330

Palavras-chave:

Humor, Ensino de Química, Formação de Professores, Pscicologia Histórico-Cultural

Resumo

O humor na formação do professor de química ainda é um assunto pouco explorado na literatura nacional. Embora alguns trabalhos apontem sua relevância, o tema ainda carece de estudos que mostrem as potencialidades e as lacunas de se trabalhar com o riso e o risível na formação do docente em química. De modo a contribuir com o tema, esse texto, de cunho teórico, busca definir o humor e o riso a partir de elementos histórico-culturais e, logo depois, fazer apontamentos sobre como o humor pode perpassar a formação do docente, contribuindo para que ele realize sua atividade pedagógica com consciência e destreza. O texto ainda apresenta elementos para que o professor possa pensar o uso do humor de forma prática na sala de aula, alertando para possíveis armadilhas que possam aparecer no percurso de tornar a aula mais engraçada. O artigo advoga pelo humor combativo, de modo que ele perpasse a formação do professor de química, pois só esse tipo de humor pode causar indignação e gerar a necessidade de um posicionamento diante da barbárie instaurada e vivenciada nestes tempos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hélio da Silva Messeder Neto, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Possui graduação em Química pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), mestrado e doutorado pelo programa de pós graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências da UFBA Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal da Bahia.É professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências da UFBA/UEFS. Tem experiência na área de Ensino de Ciências atuando principalmente nos seguintes temas: Ludicidade na perspectiva histórico-crítica, Divulgação Científica, Psicologia Histórico-Cultural e Pedagogia Histórico-Crítica no Ensino de Ciências. É lider do grupo de pesquisa ENCONCIENCIAs ( Grupo de Pesquisa em Ensino Concreto de Ciências).

 

http://lattes.cnpq.br/5284620682449345

Referências

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2020.

ASBAHR, Flávia da Silva Ferreira; SOUZA, Marilene Proença Rebello de. “Por que aprender isso, professora?” Sentido pessoal e atividade de estudo na Psicologia Histórico-Cultural. Estudos de Psicologia (Natal), v. 19, n. 3, p. 169-178, 2014.

BAKHTIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais Tradução de Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 2010.

BENEDICTO, Erik Ceschini Panighel. Humor e Riso na Educação Escolar: teoria e prática vivenciadas em sala de aula. São Paulo: Biblioteca 24 horas, 2016.

BERGER, Peter L. O riso redentor: a dimensão cômica da experiência humana. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2017.

CLEOPHAS, Maria das Graças; SOARES, Márlon Herbert Flora Barbosa (Orgs.). Didatização lúdica no ensino de Química/Ciências: Teorias de Aprendizagem e outras interfaces. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2018.

D’ANCONA, Matthew. Pós-verdade: a nova guerra contra a verdade em tempos de Fake News. São Paulo: Faro Editorial, 2018.

DUARTE, Newton. Vigotski e o" aprender a aprender": crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

EAGLETON, Terry. Humor: o papel fundamental do riso na cultura. Rio de Janeiro: Record, 2020.

FISHER, Mark. Realismo capitalista: é mais fácil imaginar o fim do mundo do que o fim do capitalismo?. 1. ed. São Paulo: Autonomia Literária, 2020.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. 4. ed., v. 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

GUERRA, Christiane; BOTTA, Mariana Giacomini. O meme como gênero discursivo nativo do meio digital. Domínios de Lingu@ gem, v. 12, n. 3, p. 1859-1877, 2018.

INSFRAN, Fernanda Fochi Nogueira et. al. (Orgs). Fraturas expostas pela pandemia: escritos e experiências em educação. Campos dos Goytacazes, RJ: Encontrografia, 2020.

LEONTIEV, Alexei. Sobre o desenvolvimento histórico da consciência. In: LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte Universitário, p. 89-142, 1978.

LIMA, Luiza Renata Felix de Carvalho. A ludicidade na formação de professores de química: princípios para uma perspectiva crítica. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2021.

LOPES, Alice Ribeiro Casimiro. Livros didáticos: obstáculos ao aprendizado da ciência química. Química Nova, São Paulo, v. 15, n.3, p. 254-261, 1992.

MARTINS, Lígia Márcia. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2013.

MESSEDER NETO, Hélio da Silva. O lúdico no ensino de química na perspectiva histórico-cultural: além do espetáculo, além da aparência. Curitiba, PR: Prismas, 2016.

MINOIS, Georges. História do riso e do escárnio. São Paulo: Editora Unesp, 2003.

OLIVEIRA, Kaio Eduardo; PORTO, Cristiane de Magalhães; CARDOSO JUNIOR, Leonardo Fraga. Memes sobre ciência e a reconfiguração da linguagem da divulgação científica na cibercultura. Acta Scientiarum. Education, v. 42, n. 1, e52938, 2020.

PATTO, Maria Helena Souza. Mutações do cativeiro: escritos de psicologia e política. São Paulo: Hacker Editores/Edusp, 2000.

PEREIRA, Jocimario Alves; SILVA JUNIOR, Jairo Ferreira; SILVA, Everton Vieira. Instagram como Ferramenta de Aprendizagem Colaborativa Aplicada ao Ensino de Química. Revista Debates em Ensino de Química, v. 5, n. 1, p. 119-131, 2019.

RAMOS, João Eduardo Fernandes; PIASSI, Luís Paulo. Humor, Ciência, Literatura, Críticas Sociais e tudo mais: o guia dos mochileiros das galáxias no ensino de ciências. In: CELESTIO, F. Ensino, pesquisa e Extensão no Brasil: uma abordagem pluralista. Piracanjuba, GO: Editora Conhecimento Livre, 2020.

REZENDE, Felipe Augusto de Mello; SOARES, Márlon Herbert Flora Barbosa. Análise teórica e epistemológica de jogos para o ensino de química publicados em periódicos científicos. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 19, p. 747-774, 2019.

RIBEIRO, Wandy. Cresce mais de 20% o consumo de antidepressivo no Brasil. Disponível em: https://www.ictq.com.br/farmacia-clinica/1105-cresce-mais-de-20-o-consumo-de-antidepressivos-no-brasil. Acesso em: 08 mai. 2021.

SALAS, Paula. Ansiedade, medo e exaustão: como a quarentena está abalando a saúde mental dos educadores. Nova Escola, São Paulo, 01 jul. 2020. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/19401/ansiedade-medo-e-exaustao-como-a-quarentena-esta-abalando-a-saude-mental-dos-educadores. Acesso em: 12 mai. 2021.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 10. ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

SAVIANI, Dermeval. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 18. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

SAVIANI, Dermeval. Antecedentes, origem e desenvolvimento In: MARSIGLIA, Ana Carolina (Org). Pedagogia histórico-crítica: 30 anos. Campinas, SP: Autores Associados, p. 23-42, 2011.

SCOTT, Sophie. Porque nós rimos. Youtube, 30 de abril de 2015. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=UxLRv0FEndM. Acesso em: 05 mai. 2021.

SILVA, Joaquim Fernando Mendes (Org). O lúdico em redes: reflexões e práticas no Ensino de Ciências da Natureza. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2021.

SNYDERS, Georges. Alunos Felizes: reflexão sobre alegria na escola a partir de textos literários. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

SOARES, Márlon Herbert Flora Barbosa. Jogos e atividades lúdicas para o ensino de química. Goiânia, GO: Kelps, 2015.

TIMIMI, Sami. Medicina insana: como a indústria de saúde mental cria armadilhas de tratamento prejudiciais e como você pode escapar delas. Mad in Brasil, 14 out. 2020. Disponível em: https://madinbrasil.org/2020/10/medicina-insana-como-a-industria-de-saude-mental-cria-armadilhas-de-tratamento-prejudiciais-e-como-voce-pode-escapar-delas/ Acesso em: 09 set. 2021.

VIGOTSKI, Lev S. Teoria e método em psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

WORNER, C.H.; ROMERO, A. Una manera diferente de enseñar física: física y humor. Enseñanza de las ciencias, v. 16, n. 1, p. 187-192, 1998.

Downloads

Publicado

2021-11-30

Como Citar

MESSEDER NETO, Hélio da Silva. O gás hilariante, a máscara do coringa e a comédia combativa: o humor na formação do professor de química. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. Esp2, p. 306–330, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p306-330. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13058. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Formação Docente em Química: foco e intersecções para ampliar o entendim

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.