QUANDO A HISTORIOGRAFIA ENCONTRA A NARRATIVA CINEMATOGRÁFICA: UMA ANÁLISE DO FILME A BRUXA.

Autores

  • Sóstenes Maurício Noronha Bezerra UFPA- Universidade Federal do Pará.

Palavras-chave:

Filme; História; Narrativa.

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar de que maneira uma pesquisa histórica pode exercer consequências nas decisões estéticas e narrativas de uma obra audiovisual, desta forma foi selecionado o filme A Bruxa (The Witch: A New-England Folktale), dirigido por Robert Eggers e distribuído nos cinemas a partir de 2016, que conta a história de uma família puritana, na época da formação das treze colônias britânicas na américa do Norte, no século XVII, e após serem expulsos da comunidade, por divergências religiosas, passam a viver seu “verdadeiro cristianismo” se alojando em um local inóspito da colônia, porém, logo começam a serem provados em sua fé e conduta cristã. A partir do filme em questão tecemos algumas análises sobre a relação entre História e Cinema, tendo como principais referenciais teóricos os estudos de Robert Rosenstone que considera o cinema uma forma eficaz de representar o passado, também Marc Ferro que estuda essa consonância entre pesquisa histórica e narrativa cinematográfica. Esta análise não se faz somente em função do filme como película cinematográfica e seus aspectos técnicos, estéticos, gênero ou movimento artístico, todavia enseja uma busca pela simbiose entre pesquisa histórica e narrativa cinematográfica, pois o filme em questão foi realizado sob um prisma histórico, após diversas pesquisas históricas realizadas pelo diretor Robert Eggers, que desde a escrita do roteiro, tinha como objetivo encenar um passado, pelo prisma dos puritanos, representar a religiosidade e a relação entre o sagrado e o profano na mentalidade da época registrada, culminando assim em uma decupagem que evidencia trechos de como a pesquisa histórica pode influenciar em uma narrativa cinematográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sóstenes Maurício Noronha Bezerra, UFPA- Universidade Federal do Pará.

Estudante de Graduação do 3ª Semestre do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Pará (UFPa).

Referências

BARBOSA, Sora. Diretor fala sobre realismo em A Bruxa. Disponível em http://www.centralpandora.com.br/diretor-fala-sobre-o-realismo-em-bruxa acessado em 23/08/2019 às 21:37

BARROS, José D’Assunção. Cinema e História: entre expressões e representações. In: Nóvoa, Jorge, Barros, José D’Assunção (orgs). Cinema-História: Teoria e Representações sociais no cinema. 2 ed. Rio de Janeiro: Apicuri, 2008.

CALVINO, João. As Institutas ou Tratado da Religião Cristã. Livro II. São Paulo: Casa Editora Presbiteriana, 1985. pp. 15

CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (orgs). Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de janeiro, Elsevier, 1997 19ª reimpressão

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Tradução Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil S/A.

C7NEMA. No rasto das bruxas: entrevista com o realizador de «The Witch», Robert Eggers. Disponível em: <http://www.C7nema.net/entrevista/item/45187-no-rasto-das-bruxas-entrevista-com-o-realizador-de-the-witch-robert-eggers.html> acesso em 23/08/2019 às 20:14.

EGGERS, Robert. A BRUXA. Produção: Universal Pictures. 2016. Duração: 1 DVD (92 min.).

EGGERS, Robert . Script: The Witch: A New-England Folktale. New York, WGA, 2013. Disponível em <https://www.scriptslug.com/assets/uploads/scripts/the-witch-2016.pdf> acesso em 18/10/2019 às 13:57.

FARINA, M. Psicodinâmica das cores em comunicação. 5 ed. São Paulo: Edgard Blucher, 2006.

FERRO, Marc. Existe uma visão cinematográfica da História? In: FERRO, Marc. A História Vigiada.Trad: Doris Sanches Pinheiro.São Paulo: Martins Fontes, 1989.

______O filme: uma contra-análise da sociedade? In: Cinema e História. Trad: Flávia Nascimento. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1992.

______, "O filme, uma contra-análise da sociedade?", in História: novos objetos, dir. Jacques Le Goff e Pierre Nora, 311. 3ª ed., Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1988.

GONZALEZ, Justo L. A Era dos Dogmas e das Dúvidas. 1ª ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 2001.

HARTOG, François. As histórias como representação do outro. In: O espelho de Heródoto: ensaio sobre a representação do outro. Belo Horizonte. UFMG, 1999.

KARNAL, Leandro. História dos Estados Unidos: das origens ao século XXI. São Paulo. Ed. Contexto, 2007.

KORNIS, Monica Almeida. História e cinema: um debate metodológico. Estudos históricos, Rio de Janeiro, v.5, n.10, p.237-250, 1992.

LE GOFF, Jacques. “A história nova” in: A História Nova. Trad: Eduardo Brandão, São Paulo: Martins Fontes, 1990.

___________, Jacques. História e memória. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2003.

___________, Jacques; TRUONG, Nicolas. Uma história do corpo na Idade Média. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

NÓVOA, Jorge. Apologia da relação cinema-história In: Jorge Nóvoa, José D’Assunção Barros (Orgs) Cinema-História: Teoria e Representações sociais no cinema. 2 ed. Rio de Janeiro: Apicuri, 2008.

ROSENSTONE, Robert. História em imagens, história em palavras: reflexões sobre as possibilidades de plasmar a história em imagens. American Historical Review. n.93, dez. 1988, p.1173-85 Traduzido a partir da versão em espanhol: El pasado en imágenes: el desafío del cine a nuestra idea de la historia. Barcelona: Ariel, 1997.

___________, Robert. A história nos filmes, os filmes na história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

RAVAZZOLO, Diego Brandão. Ordenha Sangrenta: marcas de historicidade inseridas na narrativa cinematográfica do filme A Bruxa (2016). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Trabalho de conclusão de curso (Graduação), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Licenciatura em História, 2018.

ROCINANTE. Entrevista com Robert Eggers. Disponível em: http://cinerocinante.com.br/2016/06/17/entrevista-com-robert-eggers acessado em 23/08/2019 às 20:45

RUSSELL, Jeffrey B; BROOKS, Alexandre. História da Bruxaria. 2º ed. São Paulo: Aleph, 2019.

VANOYE, Francis; GOLIOT-LÉTÉ, Anne. Ensaio sobre a análise fílmica. Campinas: Papirus, 2012.

QUINSANI, Rafael Hansen. A Revolução Em Película: A Relação Cinema-História e a Transformação do Paradigma Historiográfico. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande Do Sul. 2015. 312 f. Tese (Doutorado) Pós-Graduação em História, Porto Alegre, BR - RS, 2015.

ZANI, Ricardo. Cinema e narrativas: uma incursão em suas características clássicas e modernas. Comunicação e Cultura, UCS, Caxias do Sul, v. 8, n. 15, jan./jun. 2009.

WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. São Paulo: Pioneira, 1997.

Publicado

2022-11-30

Como Citar

Maurício Noronha Bezerra, S. . (2022). QUANDO A HISTORIOGRAFIA ENCONTRA A NARRATIVA CINEMATOGRÁFICA: UMA ANÁLISE DO FILME A BRUXA. REVISTA ELETRÔNICA EXTENSÃO EM DEBATE, 11(09). Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/extensaoemdebate/article/view/14630

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.