A construção do currículo de Sociologia entre professores em Florianópolis

Autores

Palavras-chave:

Ensino de Sociologia, Currículo de Sociologia, Formação de Professores, Saberes docentes,

Resumo

As pesquisas sobre ensino de Sociologia têm sido ampliadas nos últimos anos, incorporando temas como história da disciplina, formação de professores, livros didáticos e currículo. No caso das pesquisas sobre currículo de Sociologia, é importante considerar que ele tem sido analisado principalmente a partir dos documentos oficiais, distanciando-se de análises mais empíricas sobre como o currículo é elaborado pelos professores em suas práticas pedagógicas. Neste artigo, nós analisamos como os professores de Sociologia na cidade de Florianópolis (Santa Catarina) organizam os conteúdos de Sociologia a serem ensinados no ensino médio, produzindo seus próprios currículos. Os dados apresentados são oriundos de entrevistas realizadas com professores da rede pública de ensino (em fevereiro e em março de 2020), e analisados a partir da ideia de saberes docentes, buscando compreender quais desses saberes foram mobilizados para a construção do currículo escolar. Observamos que há uma significativa influência da formação acadêmica dos professores, bem como suas afinidades no campo das ciências sociais, na organização dos conteúdos a serem ensinados, e menos uma influência dos documentos oficiais.

Abstract

Research on teaching sociology has been expanded in recent years, incorporating topics such as the history of the subject, teacher training, textbooks and curriculum. In the case of research on the sociology curriculum, it is important to consider that it has been analyzed mainly from official documents, moving away from more empirical analysis of how the curriculum is developed by teachers in their pedagogical practices. In this article we analyze how sociology teachers in the city of Florianópolis (Santa Catarina) organize the sociology content to be taught in high school, producing their own curriculum. The data presented comes from interviews with teachers from the public school system (held in February and March 2020), analyzed based on the idea of teaching knowledge, seeking to understand which teaching knowledge is mobilized for the construction of the school curriculum. We observed that there is a significant influence of the academic training of teachers, as well as their affinities in the field of social sciences, in the organization of the contents to be taught, and less an influence from official documents.


Biografia do Autor

Amurabi Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) com pós-doutorado pela Universidade Autônoma de Barcelona. Professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pesquisador do CNPq.

Luiz Alexandre Devegili, Universidade Federal de Santa Catarina

Licenciado em Ciências Sociais e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Referências

APPLE, M. Ideologia e Currículo. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BODART, C. N.; FEIJÓ, F. As Ciências Sociais no currículo do ensino médio brasileiro. Revista Espaço do Currículo, v. 13, n. 2, p. 219-234, 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/51194>. Acessado em: 08 jan. 2021.

BODART, C. N.; LOPES, G. M. A Ciência Política nas Propostas Curriculares Estaduais de Sociologia para o Ensino Médio. Cadernos de Ensino de Ciências Sociais, v. 1, n. 1, p. 131-152, 2017. Disponível em: <https://cabecs.com.br/index.php/cabecs/article/download/36/34>. Acessado em: 08 jan. 2021.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

BRASIL. Orientações Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Ministério da Educação: Brasília, 2006.

GOMES, A. L. F. Notas críticas sobre as Orientações Curriculares Nacionais (OCN’s) para o Ensino de Sociologia no Ensino Médio, Revista Cronos, v. 8, n. 2, p. 475-486. Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/cronos/article/view/1851>. Acessado em: 08 jan. 2021.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional de professores. In: NÓVOA, Antônio. (org) Vida de professores, Porto: Porto Editora, 2000, p. 31-61.

MEUCCI, Simone; BEZERRA, Rafael Ginane. Sociologia e educação básica: hipóteses sobre a dinâmica de produção de currículo. Revista de Ciências Sociais, v. 45, n. 1, p. 87-101, 2014. Disponível em: <http://www.periodicos.ufc.br/revcienso/article/view/2420>. Acessado em: 08 jan. 2021.

OLIVEIRA, A. O currículo de sociologia na escola: um campo em construção (e disputa). Revista Espaço do Currículo, v. 6, n. 2, p. 355-366, 2013. Disponível em: <https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/15308>. Acessado em: 08 jan. 2021.

OLIVEIRA, A. Trajetórias e práticas pedagógicas entre professores de sociologia, Revista Diálogo Educacional, v. 19, n. 60, p. 308-327. Disponível em: <https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/23887>. Acessado em: 08 jan. 2021.

OLIVEIRA, A.; DEVEGILI, L. A. O Ensino de Sociologia em perspectiva comparada: uma análise dos currículos da província de Santa Fé (Argentina) e do estado de SANTA CATARINA (Brasil). Revista Espaço do Currículo, v. 13, n. 2, p. 153-165, 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/51118>. Acessado em: 08 jan. 2021.

SANTA CATARINA. Orientação Curricular com foco no que ensinar: conceitos e conteúdos para a Educação Básica. Secretaria de Estado da Educação e do Desporto: Florianópolis, 2010.

SANTOS, M. Diretrizes Curriculares Estaduais para o Ensino de Sociologia: em busca do mapa comum. Percursos (Florianópolis. Online), v. 13, n. 1, p. 1-59, 2012. Disponível em: <https://www.revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/2439>. Acessado em: 08 jan. 2021.

SILVA, I. L. F.; ALVES NETO, H. F. O processo de elaboração da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no Brasil e a Sociologia (2014 a 2018). Revista Espaço do Currículo, v. 13, n. 2, p. 262-283, 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/51545>. Acessado em: 08 jan. 2021.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA. Nota da Sociedade Brasileira de Sociologia sobre a supressão do ensino de questões de gênero e orientação sexual nas escolas. 2015. Disponível em: <http://www.sbsociologia.com.br/2020/index.php?formulario=noticias&metodo=0&id=28&url=Zm9ybXVsYXJpbz1ub3RpY2lhcyZtZXRvZG89NCZvcmRlbmFtZW50b25vdGljaWFzPURhdGEmb3JkZW1ub3RpY2lhcz0mcGFnaW5hPTY=&voltar=sim>. Acessado em: 08 jan. 2021.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA. Nota da SBS sobre as demissões de professores e censura ao ensino de Sociologia na Educação Básica. 2016. Disponível em: <http://www.sbsociologia.com.br/home/userfiles/NOTA%20SBS%20SOBRE%20A%20CENSURA%20NO%20ENSINO%20DE%20SOCIOLOGIA.pdf>. Acessado em: 08 jan. 2021.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

YOUNG, M. O futuro da educação em uma sociedade do conhecimento: o argumento radical em defesa de um currículo centrado em disciplinas. Rev. Bras. Educ., v. 16, n. 48, p. 609-623, 2011. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782011000300005&lng=en&nrm=iso>. Acessado em: 08 jan. 2021.

YOUNG, M. Teoria do currículo: o que é e por que é importante. Cad. Pesqui., v. 44, n. 151, p. 190-202, 2014. Disponível em: <http://publicacoes.fcc.org.br//index.php/cp/article/view/2707>. Acessado em: 08 jan. 2021.

YOUNG, M. Por que o conhecimento é importante para as escolas do século XXI? Cad. Pesqui., v. 46, n. 159, p. 18-37, 2016. Disponível em: <http://publicacoes.fcc.org.br//index.php/cp/article/view/3533>. Acessado em: 08 jan. 2021.

Downloads

Publicado

25/01/2021

Como Citar

Oliveira, A., & Devegili, L. A. (2021). A construção do currículo de Sociologia entre professores em Florianópolis. Latitude, 14(Esp.), 209–234. Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/11384