A Comissão Pastoral da Terra de Alagoas

repertório e formas de interações

Autores

  • Cristiano das Neves Bodart Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
  • Geysson dos Santos Pereira

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2022.n.1.13602

Palavras-chave:

Movimentos Sociais, Partidos Políticos, Estado, Repertório, Interação

Resumo

Tomando da Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Alagoas como objeto de estudo, o artigo realiza uma análise de seu repertório utilizado nas interações com os partidos políticos e com o Estado. Foram identificadas as estratégias de ação, classificadas em categorias analíticas destacadas pela literatura recente e observada sua lógica, seus objetivos, potencialidades e limitações. A operacionalização metodológica se deu a partir de análises de base de conteúdos jornalísticos e entrevistas a atores envolvidos diretamente com a CPT-Alagoas. A pesquisa fundamenta-se na Teoria do Confronto Político, sobretudo em autores como Charles Tilly (2006; 2010) e Sidney Tarrow (2009), assim como em contribuições da Teoria dos Novos Movimentos Sociais, sobretudo nas contribuições de Melucci (1996) e Gohn (2007). Foi observada a existência de diálogos entre a Comissão Pastoral da Terra com os partidos políticos de esquerda, porém buscando manter autonomia. Em relação ao Estado há um discurso em prol do diálogo, embora sua atuação seja marcada por confronto; quando não conflitiva, predominando ações não institucionalizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano das Neves Bodart, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP. Professor do Centro de Educação e do Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Referências

ALONSO, Angela. Repertório, segundo Charles Tilly: história de um conceito. Sociologia e Antropologia, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 21-41, Jun. 2012.

BODART, Cristiano das Neves. Atuação dos partidos políticos e dos movimentos sociais na construção e manutenção de um espaço institucionalizado de participação social. Tese de doutorado. Programa de Pós-graduação em Sociologia. Universidade de São Paulo, 2016.

CANUTO, Antônio; LUZ, Cássia Regina da Silva; WICHINIESKI, Isolete. (Orgs.). Conflitos no Campo Brasil 2011. Goiânia: CPT Nacional Brasil, 2012.

FERREIRA NETO, José Ambrosio. A atuação da Comissão Pastoral da Terra (CPT) em Campos dos Goytacazes, RJ: uma análise do Assentamento Zumbi dos Palmares. 150 f. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós-graduação em Extensão Rural. Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.

GOHN, Gloria Maria. Teoria dos Movimentos Sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. 6ª ed. São Paulo, 2007.

LEITÃO, Leonardo Rafael Santos. Oportunidades políticas e repertórios de ação: o movimento negro e a luta de combate à discriminação racial no Brasil. Tese. Programa de Pós-graduação em Sociologia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2012.

LIMA, José Carlos da Silva. CPT de Alagoas: uma pastoral em movimento a serviço das famílias empobrecidas do campo. In: Terra em Alagoas: temas e problemas. Maceió: EDUFAL, 2013.

LIMA, José Carlos da Silva. Terra, poder e liberdade: a ocupação sem terra na Flor do Bosque. Dissertação de mestrado. Programa da Pós-graduação em História. Universidade Federal de Alagoas, 2016.

MACHADO, Adriano Henrique. A influência dos setores católicos na formação do Partido dos Trabalhadores: da relação com os movimentos sociais à ideia de formar um novo partido. Fortaleza, 2009.

MITIDIERO JÚNIOR, Marco Antonio. A ação territorial de uma igreja radical: Teologia da libertação, luta pela terra e atuação da Comissão Pastoral da Terra no estado da Paraíba. 502 fls. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Geografia Humana, Universidade de São Paulo, 2008.

PEREIRA, Matheus Mazzilli; SILVA, Camila Faria da. Ação contenciosa: repertórios, táticas e performances. In: 18º Congresso Brasileiro de Sociologia. Brasília. 26 a 28 de junho de 2017.

SANTOS, Jéssica Ferreira dos. Lutas Sociais no campo de Alagoas: a mobilização da Comissão Pastoral da Terra, 2014.

SCHERER-WARREN, Ilse. Sujeitos e movimentos conectando-se através de redes. Revista Política & Trabalho. Edição 19. 2003.

SILVA, Marcelo Kunrath. Movimentos sociais no Brasil: institucionalização e contestação. In: Congreso Latinoamericano y Caribeño de Ciencias Sociales, Ecuador, 2015.

TARROW, Sidney. O poder em movimento: movimentos sociais e confronto político. Tradução de Ana Maria Sallum. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

TILLY, Charles. Why? What happens when people give reasons... and why. Princeton: Princeton University Press, 2006.

TILLY, Charles. Movimento Social como política. Revista Brasileira de Ciência Política, nº 3, jan.-jun., pp. 133-160, 2010.

Sites visitados

Blog da CPT Alagoas. Disponível em: http://cptalagoas.blogspot.com/ . Acesso em: jun. 2018.

GazetaWeb. Disponível em: http://gazetaweb.globo.com/portal/ . Acesso em: jun. 2018.

TNH1. Disponível em: http://www.tnh1.com.br/ . Acesso em: jun. 2018.

CadaMinuto. Disponível em: http://www.cadaminuto.com.br/ . Acesso em: jun. 2018.

Downloads

Publicado

2022-09-22

Como Citar

BODART, Cristiano das Neves; DOS SANTOS PEREIRA, Geysson. A Comissão Pastoral da Terra de Alagoas: repertório e formas de interações. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 16, n. 1, p. 210–233, 2022. DOI: 10.28998/lte.2022.n.1.13602. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/13602. Acesso em: 27 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >> 

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.