Promoção da autonomia escrita no livro didático de português

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n31p674-691

Palavras-chave:

Produção textual, Livro didático, Autonomia relativa

Resumo

Este artigo faz uma análise das atividades de ensino da produção textual propostas no livro didático. Nosso objetivo é refletir sobre o quanto e se estas atividades promovem a construção da autonomia nas produções escritas dos alunos. Nosso objeto de estudo são as atividades presentes no exemplar do professor do livro intitulado Português: linguagens, 4ª edição, volume único, do ensino médio, de Cereja e Magalhães, da Atual Editora, 2013. Nossa análise baseia-se nos estudos de Bakhtin (2003, 2006); Zozzoli (2002, 2006); Belmiro (2000); Ginsburg, 1989; Leffa, 2000; Possenti (2009) e Renaut (2004), entre outros.  Este estudo exploratório, é de caráter qualitativo e de cunho interpretativista. Os resultados revelam que as propostas de ensino de produção escrita analisadas não promovem a autonomia relativa do sujeito escritor e, ao invés disso, reforçam práticas de ensino de escrita direcionadas e limitadoras. 

Biografia do Autor

Rosângela Oliveira Cruz Pimenta, Universidade Federal de Alagoas

Professora Adjunta Doutora do Centro de Educação da área de Linguagem, da Universidade Federal de Alagoas.

Louise Anne da Silva Lima, Universidade Federal de Alagoas

Graduanda em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Federal de Alagoas

Paulo Nin Ferreira, Universidade Federal de Alagoas

Professor Adunto doutor do Centro de Educação da Universidade Federal de Alagoas

Downloads

Publicado

26/06/2021

Como Citar

PIMENTA, R. O. C.; LIMA, L. A. da S.; FERREIRA, P. N. Promoção da autonomia escrita no livro didático de português. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 31, p. 674–691, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n31p674-691. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/10983. Acesso em: 23 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos