Narrativas socioeducativas

a educação superior e o empoderamento feminino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p623-641

Palavras-chave:

Educação Superior, Prouni, Desigualdades de Gênero, Empoderamento Feminino

Resumo

Este estudo analisou as repercussões do acesso à educação superior enquanto preconizador do processo de empoderamento feminino. Foram registradas narrativas de 20 egressas de uma Instituição de Ensino Superior privada, que se graduaram com bolsa do Programa Universidade para Todos (PROUNI). As narrativas socioeducativas foram analisadas à luz dos pressupostos de empoderamento feminino proposto por Melo (2012) e os resultados evidenciaram conquistas positivas, principalmente a partir da dimensão sociocognitiva, que preconiza transformações significativas nas trajetórias sociocultural, econômica, subjetiva e política dessas mulheres. Algumas trajetórias apresentam avanços mais consistentes quando comparadas a outras, o que nos leva a concluir que o empoderamento é um processo em constante construção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valéria Rezende Freitas Barros, Centro Universitário Unihorizontes Mestrado Acadêmico em Administração

Atualmente é professora do curso de Administração de Empresas da Faculdade do Futuro, Manhuaçu/MG, ministrando as disciplinas, Administração de Materiais e Patrimônio, Administração da Produção e Pesquisa Operacional I. Graduada em Administração pelo Centro Universitário Unihorizontes, Belo Horizonte (2012), Mestre em Administração pelo Centro Universitário Unihorizontes, Belo Horizonte (2015) e pós-graduada em Docência na Educação Profissional e Tecnológica pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, campus Rio Pomba (2019). Atuou como professora no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, campus Rio Pomba (2016 a 2017) e São João del-Rei (2019). Ministrou as seguintes disciplinas: Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos (Tecnologia em Logística) (2019); Organização, Sistemas e Métodos (Técnico em Administração) (2019); Logística Empresarial (Técnico em Administração e Tecnologia em Logística) (2019); Empreendedorismo (Técnico em Informática) (2019); Sociologia Aplicada a Administração (Bacharelado em Administração) (2017); Introdução a Administração (Bacharelado em Administração) (2016); Administração de Marketing II (Bacharelado em Administração) (2016); Administração de Projetos (Bacharelado em Administração) (2016); Contabilidade (Curso Técnico Integrado em Informática) (2016); Técnicas de Atendimento e Rotinas de Trabalho (Curso Técnico em Administração, Curso Técnico em Serviços Jurídicos) (2016); Organização Sistemas e Métodos (Bacharelado em Administração) (2016); Teoria das Organizações (Bacharelado em Administração) (2016). Foi bolsista de Mestrado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) (2013-2015), linha de pesquisa (Relações de Poder e Dinâmica nas Organizações) e área de concentração (Organização e Estratégia) no Centro Universitário Unihorizontes. Foi membro do Núcleo de Relações de Trabalho e Tecnologias de Gestão (NURTEG) e bolsista de Iniciação Científica (FAPEMIG) (2011-2012) no Centro Universitário Unihorizontes.

Marlene Catarina de Oliveira Lopes Melo, Centro Universitário Unihorizontes Mestrado Acadêmico em Administração

Bolsista Sênior do CNPq. Professora Titular do Centro Universitário Unihorizontes. Professora Titular aposentada da UFMG. Reitora do Centro Universitário Unihorizontes. Doutora em Ciências das Organizações pela Université Paris IX - Dauphine - França, 1983, mestrado em Administração (Administração Geral e Relações Industriais) pelo Departamento de Ciências Administrativas da UFMG, 1978, especialização - Diploma de Estudos Aprofundados - DEA, pela Université Paris IX - Dauphine - França, 1980 e bacharelado em Comunicação Social - Jornalismo pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG, 1972. Coordenadora do Núcleo de Relações de Trabalho e Tecnologia de Gestão ? NURTEG. Membro titular do Conselho Curador da Fundação Nacional de Desenvolvimento do Ensino Superior Particular ? FUNADESP, nos biênios 2009-2011 e 2017-2019. Bolsista de Produtividade em Pesquisa - Nível 1b e 1D - do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq. Consultora ad hoc de várias revistas acadêmicas. Consultora ad hoc da CAPES ? Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Representante Estadual da ANGRAD - Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração no Estado de Minas Gerais nos biênios de 2010-2014. Consultora ad hoc do Conselho Nacional de Desenvolvimento e Tecnológico - CNPq. Participa ativamente de Bancas Examinadoras de Defesa de Dissertações de Mestrado e Teses de Doutorado. Participa de Bancas para concurso de Professor. Foi representante da área de Administração junto ao CNPq no período de junho de 2002 a junho de 2005. Criou o Curso de Doutorado em Administração da UFMG em 1995. Foi criadora e Coordenadora do Centro de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração ? CEPEAD/UFMG no período de 1993 a 1996. Foi Chefe do Departamento de Ciências Administrativas da UFMG no período de 1983 a 1985. Autora de vários artigos, capítulos de livros e coautora de livros. Áreas de interesse: relações de poder, relações de gênero, processos de regulação de conflitos, gerentes, identidade profissional, simbolismo, empoderamento, cultura, geração e inovação.

Georgiana Luna Batinga, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Professora Adjunto da Escola de Gestão e Economia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (DAGEE/UTFPR), campus Curitiba. Possui Doutorado (2018), Mestrado (2014) e Graduação (2008) em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, na linha de pesquisa Estratégia e Marketing. Possui especialização lato sensu em Gestão Estratégica de Marketing e em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância pela Universidade Federal Fluminense. Integra os Grupos de Pesquisa: Estudos em Marketing, Consumo e Sociedade (Gemacons) da PUC Minas e Estudos sobre Narrativas de Si a partir de Corpora e Suportes Diversos (Narrar-se) do CEFET - MG. Desenvolve pesquisas na área de Educação, Consumo e Sociedade, Linguagem e Discursos Organizacionais e Relações de Trabalho, com aportes teórico-metodológicos na Análise do Discurso e Análise Crítica do Discurso. Atualmente trabalha com projetos apoiados na Transformative Consumer Research (TCR), Pesquisa-Ação e Estudos com abordagens multidisciplinares.

 

Referências

AMARAL, G. A. Os desafios da inserção da mulher no mercado de trabalho. Revista Eletrônica do Curso de Pedagogia do Campus Jataí – EFG, 2(13): 1-20. 2012.

BAUER, M. W.; GASKELL, G.; ALLUM, N. Qualidade, quantidade e interesse do conhecimento: evitando confusões. In: M. W. BAUER; G. GASKELL (Orgs). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 8. ed., Petrópolis, Vozes, p. 17-36. 2010.

BOURDIEU, P. A dominação Masculina. Tradução Maria Helena kuhner. 5. ed. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil,160 p. 2007.

BRUSCHINI, C. Trabalho e gênero no Brasil nos últimos 10 anos. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL MERCADO DE TRABALHO E GÊNERO: COMPARAÇÕES BRASIL-FRANÇA, Rio de Janeiro, 2007. Anais... Rio de Janeiro, UFRJ/IFCS. (37): 537-572. 2007.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. 2. ed., Porto Alegre, Bookman, 349 p. 2005.

COSTA, A. A. Gênero, poder e empoderamento das mulheres. Salvador. 2004.

CYRINO, R. Trabalho, temporalidade e representações sociais de gênero: uma análise da articulação entre trabalho doméstico e assalariado. Revista Sociologias, 11(21): 66-92. 2009.

DEERE, C. D.; LEÓN, M. O empoderamento da mulher: direitos à terra e direitos de propriedade na América Latina. Porto Alegre: UFRGS, 504 p. 2002.

DIAS SOBRINHO, J. Educação superior: bem público, equidade e democratização. Avaliação (Campinas), Sorocaba, v. 18, n. 1, 2013.

ELSON, D. Male Bias in Macroeconomics: The Case of Structural Adjustment. In: D. ELSON (Ed.). Male Bias in the Development Process. Manchester: Manchester University Press, 168 p. 1991.

EYBEN, R. Dando suporte às trilhas do empoderamento de mulheres: um breve guia para agências internacionais de desenvolvimento. Revista Feminismos, 1(2):1-21. 2013.

FEM - FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL. Empoderamento de mulheres: avaliação das disparidades globais de gênero. Genebra, 2005.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

FREIRE, P.; SHOR, I. Medo e Ousadia – O Cotidiano do Professor, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

KOKATANUR, R.B. Gram panchayats and women's empowerment. Golden Research Thoughts, 2(8). 2013.

LISBOA, T. K. O empoderamento como estratégia de inclusão das mulheres nas políticas sociais. Fazendo gênero 8 – Corpo, Violência e Poder. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 1-6. 2008.

LOURO, L. C. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. ed. 12. Petrópolis, Vozes, 184 p. 2011.

MELO, M. C. O. L. Mulheres gerentes entre o empoderamento e o teto de vidro. In: M. E. FREITAS; M. DANTAS (Orgs.). Diversidade Sexual e Trabalho. São Paulo, CNL - CENGAGE/NACIONAL, 384 p. 2012.

MENEZES, N. Feminino e Masculino: a presença das mulheres no poder judiciário de Rondônia. MÉTIS: história & cultura, 11(21): 359-368. 2012.

MILL, D. Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância. Campinas – SP: Papirus, 2018.

RAGO, M. Descobrindo historicamente o gênero. Cadernos Pagu, (11): 89-98. 1998.

RAJANKAR, P. P. Women Empowerment Enreaching Endeavour. Golden Research Thoughts, 2(11). 2013.

ROSA, R. M. de. A diferença que faz diferença. Revista Habitus, 1(1). 2003.

SANTOSH, P. R. Empowerment Of Women Through Human Rights Education: an analysis. Golden ResearchThoughts, 2(8). 2013.

SILVA, E. R. Resistência inventiva das mulheres fumageiras do recôncavo baiano. Revista Feminismos, 1. 2013.

SORJ, B. Trabalho remunerado e não-remunerado. In: VENTURI, G.; RECAMÂN, M.; OLIVEIRA, S. (Orgs.). A mulher brasileira nos espaços público e privado. São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo, 248 p. 2004.

Downloads

Publicado

2021-11-30

Como Citar

BARROS, Valéria Rezende Freitas; MELO, Marlene Catarina de Oliveira Lopes; LUNA BATINGA, Georgiana. Narrativas socioeducativas: a educação superior e o empoderamento feminino. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. Esp2, p. 623–641, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p623-641. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/11037. Acesso em: 17 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.