O ensino da música em Portugal e a prova de aptidão artística

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14n34p377-389

Palavras-chave:

Ensino Artístico Especializado da Música, Ensino Vocacional da Música, Prova de Aptidão Artística.

Resumo

Este artigo de reflexão discorre sobre o ensino da música em Portugal, nomeadamente o que ocorre nos Conservatórios e Academias de Música, refere as dificuldades com que este tipo de ensino se debate, as tentativas de inserção desta área no sistema geral de ensino e a problemática da avaliação em música. Tem como principal objetivo fazer uma apreciação do modelo de avaliação dos alunos, vigente desde a criação do Conservatório de Música de Lisboa, ligado à Casa Pia, que se manteve basicamente até aos nossos dias, e centra-se na mudança perspectivada pela Portaria nº 243-B/2012, de 13 de agosto, que introduz o conceito de avaliação pelo desenvolvimento de um projeto e sua apresentação. Conclui que este modelo de avaliação faz rutura com a conceção de avaliação tradicional baseada em exames.

Biografia do Autor

António José Pacheco Pacheco Ribeiro, Instituto de Educação-Universidade do Minho

Departamento de Teoria da Educação e Educação Artísitica e Física

Referências

CABANAS, José Maria Quintana. Teoria da Educação – Concepção antinómica da educação. Porto: ASA, 2002. https://doi.org/10.34632/investigacaoeducacional.2018.3457

CUNHA, Catarina Nunes; ORVALHO, Luísa. O Trabalho de Projeto no Âmbito da Prova de Aptidão Profissional no Ensino Profissional de Música: O caso da ESPROARTE. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, nº 18, p. 134-164, 2018.

DEWEY, John. Experience and Education. New York: Collier Books, 1938.

FOLHADELA, Paula; VASCONCELOS, António Ângelo; PALMA, Eduardo. Ensino Especializado da Música Reflexões de Escolas e de Professores. Lisboa: ME – Departamento do Ensino Secundário, 1998.

FREITAS BRANCO, João de. História da Música Portuguesa. Lisboa: Europa-América, 1995.

GOMES, Carlos Alberto Faísca Fernandes. Contributos Para o Estudo do Ensino Especializado de Música em Portugal. Memória Final do CESE (Especialização em Direcção Pedagógica e Administração Escolar). Escola Superior de Educação, Instituto Jean Piaget, Almada, 2000.

LEONHARD, Charles; HOUSE, David. Foundationes and Principles in Music Education. New York: McGraw-Hill, 1972.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola Pública: A Pedagogia Crítico-Social dos Conteúdos. 5ª ed. São Paulo: Loyola, 1987.

MORIN, Edgar. A religação dos saberes: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Bertrand.

PORTUGAL. Decreto-Lei nº 310/83, de 1 de julho - Insere o ensino artístico nos moldes gerais de ensino em vigor através da reconversão dos Conservatórios de Música em Escolas Básicas e Secundárias, criando as respetivas Escolas Superiores de Música inseridas na estrutura de Ensino Superior Politécnico.

PORTUGAL. Despacho nº 76/SEAM/85, de 9 de outubro – Aprova os planos de estudos dos Cursos Básico e Complementar de Música em regime supletivo.

PORTUGAL. Portaria n.º 691/2009, de 25 de junho – Cria os Cursos Básicos de Dança, de Música e Canto Gregoriano e aprova os respetivos Planos de Estudos.

PORTUGAL. Portaria nº 243-B/2012, de 13 de agosto - Cria os cursos secundários de Dança, de Música e de Canto Gregoriano, aprova os respetivos planos de estudo, a ser ministrados nos estabelecimentos de ensino público e privados e estabelece o regime de organização e funcionamento, avaliação e certificação dos cursos mencionados.

PORTUGAL. Decreto -Lei n º 55/2018, de 6 de julho - Estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, os princípios orientadores da sua conceção, operacionalização e avaliação das aprendizagens, de modo a garantir que todos os alunos adquiram os conhecimentos e desenvolvam as capacidades e atitudes que contribuem para alcançar as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

PORTUGAL. Portaria n.º 229-A/2018, de 14 de agosto - Procede à regulamentação dos cursos artísticos especializados de nível secundário de Dança, de Música, de Canto e de Canto Gregoriano, a que se refere a alínea c) do n º 4 do artigo 7 º do Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho.

TOURINHO, Cristina; OLIVEIRA, Alda. Avaliação da Performance Musical.In: HENTSCHKE, L.; SOUZA, J. (Orgs.). Avaliação em Música: reflexões e práticas. São Paulo: Editora Moderna, 2003. p. 13-28.

VASCONCELOS, António Ângelo. O Conservatório de Música: Professores, organização e políticas. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 2002.

VIEIRA, Maria Helena. O Ensino da Música em Portugal no Início do Século XXI. Estudo sobre as Políticas de Ramificação Curricular. Tese (Doutoramento em Estudos da Criança Especialidade Educação Musical). Instituto de Estudos Criança da Universidade do Minho, Braga, 2006.

Downloads

Publicado

27/04/2022

Como Citar

PACHECO RIBEIRO, A. J. P. O ensino da música em Portugal e a prova de aptidão artística. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. 34, p. 377–389, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14n34p377-389. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12028. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos