Planejamento de ensino e aprendizagem na Educação Superior: um ato dialógico de articulação entre a teoria e a prática docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n25p36-55

Palavras-chave:

Educação Superior. Planejamento. Prática Docente. Planos de ensino e aprendizagem.

Resumo

Este estudo trata acerca do planejamento de ensino e aprendizagem na educação superior, com enfoque no ato dialógico da teoria com a prática docente. Essa temática ganha importância no contexto atual, quando novas lógicas se definem na construção de conhecimentos e na formação humana. Nesse processo, o trabalho pedagógico pressupõe um diagnóstico como etapa inicial do planejamento e sua execução, o que mostra a importância no exercício da docência e constitui um desafio aos professores na busca de ressignificar a ação docente. A investigação parte de uma abordagem qualitativa e de caráter bibliográfico, com o objetivo de analisar o processo de planejamento do ensino e da aprendizagem na educação superior no contexto da sociedade contemporânea. Apoia-se nas formulações teóricas de Anastasiou; Alves (2009), Freire (200; 2010), Gandin (2001), Gil (2012), Libâneo (1985; 1993; 2003; 2013), Luckesi (2011), Masetto (1998; 2003), Pimenta (1998), Tardif (2002), entre outros, que ampliam a compreensão da necessidade de mudança nos modos de planejar e elaborar planos de ensino e aprendizagem, em atendimento aos desafios da educação superior. Os resultados mostram que, como componente didático-pedagógico no ensino superior, o planejamento representa um mecanismo de orientação da prática docente, trazendo segurança para a operacionalização das atividades necessárias à construção de uma aprendizagem significativa, em que os sujeitos da aprendizagem – professores e alunos – constroem e reconstroem conhecimentos, a partir da identificação de suas fragilidades e do investimento nas potencialidades que nutrem o processo de ensino e aprendizagem. Em vista disso, sugere-se então, o investimento nesse recurso, como mecanismo inclusive, de demonstração de compromisso e respeito com a prática docente, contribuindo para uma educação pautada na emancipação, na criticidade e na esperança de que a educação seja um espaço de democracia e igualdade de oportunidades de direitos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Renato Lima, Universidade Federal do Piauí (UFPI)

Graduado em Pedagogia pelo Centro Universitário Santo Agostinho (PROUNI - UNIFSA) e em Letras - Português/Inglês pelo Instituto de Ensino Superior Múltiplo (IESM). Especialista em Neuropsicopedagogia Clínica e Educação Especial (IESM); Docência para o Ensino Superior (IESM); Educação a Distância (UNOPAR); Docência no Ensino Superior (UNIFSA); Linguística Aplicada na Educação (UCAM) e Tecnologias Educacionais para Prática Docente no Ensino da Saúde na Escola (ENSP/FIOCRUZ). Mestre em Letras - Estudos da Linguagem, pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Membro (sócio efetivo) da ABRALIN (Associação Brasileira de Linguística). Pesquisador do Grupo de Pesquisa: 'Estudos hispânicos' (UESPI), na linha: 'Língua, texto e discurso'; membro do Grupo de Pesquisa: Linguagem, Escola e Sociedade (LES/UFPI), na linha: 'Oralidade e Letramento'; e do Grupo de Pesquisa: 'PROLETRAS: interletramentos práticas de leitura e escrita no cotidiano escolar' (UFPI), na linha: 'Leitura: teorias e prática'. Coautor do livro: 'Multilinguagens, tecnologias e letramentos em EAD: questões didáticas no Ensino Superior' (Pedro & João Editores/2018). Organizador dos livros: 'Ensino Superior: concepção, avaliação e planejamento' (FUESPI/2016); 'Escritos sobre linguagem, discurso e interação' (EDUFPI/2017); 'Linguagem em (con) texto: discurso e práticas cotidianas' (EDUFPI/2018); 'Letramento, gênero e discurso: entre a oralidade e a escrita' (EDUFPI/2018) e 'Ensino de língua em contextos aplicados: perspectivas funcionais' (EDUFPI/2018). Suas pesquisas recentes concentram-se em Educação e Linguagem, amparado pelos pressupostos teórico-metodológicos dos Novos Estudos do Letramento e da Linguística Textual, com ênfase em temas como: Alfabetização; Letramento: estudos em perspectiva de análise teórica e em práticas sociais localizadas; Gêneros discursivos; Retextualização; Ensino e Aprendizagem da Língua Portuguesa; Avaliação Educacional; Formação Docente; Tecnologias educacionais; Multiletramentos e questões relativas à EaD. Atualmente é Professor Substituto, Classe Auxiliar, Nível - I, da UFPI, atuando nos cursos de Licenciatura em Letras - Português e Pedagogia. Professor de Leitura e Produção de Texto do Ensino Fundamental e Médio do Colégio São Francisco de Sales, Diocesano, da Rede Jesuíta de Educação. Coordenador de disciplinas do Centro de Educação Aberta e a Distância da Universidade Federal do Piauí (CEAD/UFPI), atuando no curso de Licenciatura em Computação.

Jovina da Silva, Centro Universitário Santo Agostinho (UNIFSA)

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Piauí (1980), em Pedagogia pela Faculdade Educacional da Lapa (2011) e em Direito pela Faculdade Santo Agostinho (2014). Especialista em Planejamento Educacional (UFPI / 1984); Especialista em Ensino (UFPI / 1986); Especialista em Administração Educacional (UECE / 1996); Especialista em Avaliação Institucional (UNB / 2002); Especialista Docência do Ensino Superior (FSA / 2007); Especialista em Educação a Distância (UNOPAR / 2015). Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Piauí (2007). Atualmente é professora da Faculdade Santo Agostinho. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em: Formação de Professores, Didática e Ensino, Pesquisa em Educação, Avaliação da Aprendizagem, Ética e Cidadania, Currículo e Ensino Superior.

Referências

ANASTASIOU, Léa; ALVES, Leonir P. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 8. ed. Joinville: UNIVILLE, 2009.

ANTUNES, Celso. Como desenvolver as competências em sala de aula. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BENINCÁ, Eli. Prática Pedagógica de sala de aula: princípios e métodos de uma ação dialógica. Cadernos UPF. Passo Fundo/RS, ano 01, nº 04, Ago. 1982.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004.

CUNHA, Maria Isabel da. A docência como ação complexa: o papel da didática na formação de professores. In: ROMNOWSKI, J. P.; MARTINS, P. L. O.; JUNQUEIRA, S. R. A. (Orgs.). Conhecimento local e conhecimento universal: pesquisa, didática e ação docente. Curitiba: Champagnat, 2004. p. 31-42.

DAL MAGRO, Cristian Baú; RAUSCH, Rita Buzzi. Plano de Desenvolvimento Institucional de universidades federais brasileiras. Administração: ensino e pesquisa. Rio de Janeiro, v. 13, nº 3, p. 427–454, jul.-ago.-set., 2012. Disponível em: < https://raep.emnuvens.com.br/raep/article/view/85/167 >. Acesso em: 12 ago. 2018.

ENTWISTLE, H. La relación entre teoria y la practica. In: TIBBLE, J. W. (Org.). Introducción a la ciencia de la educación. Buenos Aires: Paidós, 1976.

FARIAS, Isabel Maria Sabino de et al. O planejamento da prática docente. In: ______. Didática e docência: aprendendo a profissão. Brasília: Liber Livro, 2011. p. 103-127.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 15. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

______. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

FREIRE, Paulo; SHOR, I. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. 9. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

GANDIN, Danilo. Posição do planejamento participativo entre as ferramentas de intervenção na realidade. Currículo sem Fronteira, v.1, n. 1, jan./jun., 2001.

GAUTHIER, C.; MARTINEAU, S.; DESBIENS, J. F.; MALO, A.; SIMARD, D. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Unijuí, 1998.

GIL, Antonio Carlos. Didática do ensino superior. São Paulo: Atlas, 2012.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítica social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1985.

______. Didática. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

______. O ensino de graduação na universidade: a aula universitária. Texto apresentado na XII Semana de Planejamento Acadêmico Integrado da Universidade Católica de Goiás (UCG), 2003. p. 01-13. Disponível em: < http://professor.pucgoias.edu.br/SiteDocente/admin/arquivosUpload/5146/material/UCG%20-%20ENSINO%20DE%20GRADUA%C3%87%C3%83O%20Novo.doc >. Acesso em: 12 ago. 2018.

______. Organização e gestão escolar: teoria e prática. Goiânia: Alternativa, 1993.

LIMA, Francisco Renato; SILVA, Jovina da. A universidade rumo a educação para a autonomia e superação da crise dos paradigmas modernos. In: SILVA, Jovina da; LIMA, Francisco Renato (Org.). Ensino superior: concepção, avaliação e planejamento. Teresina: FUESPI, 2016. p. 17-36.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MARQUES, Juracy C. A aula como processo: um programa de auto ensino. Porto Alegre: Globo, 1979.

MASETTO, Marcos Tarciso. Professor universitário: um profissional da educação na atividade docente. Campinas: Papirus, 1998.

______. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Sammus, 2003.

MENEGOLLA, Maximiliano; SANT’ANNA, Ilza Martins. Por que planejar? Como planejar? 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MORETTO, Vasco Pedro. Construtivismo: a construção do conhecimento em aula. São Paulo: DPA, 2004.

NÉRICI, Imídeo G. Didática do ensino superior. São Paulo: IBRASA, 1993.

PENTEADO, V. S. Planejamento: plano de curso, plano de ensino ou plano de aula, que prática é essa? Monografia (Especialização em Fundamentos da Educação) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, 2003.

PESSOA, Fernando. O infante. In: PESSOA, Fernando. Mensagem. Lisboa: Parceria António Maria Pereira, 1934, p. 51.

PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. G. C. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2002.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: saberes da docência e identidade do professor. In: FAZENDA, Ivani (Org.). Didática e interdisciplinaridade. Campinas: Papirus, 1998. p. 161-178.

ROJO, Roxane. Esferas ou campos de atividade humana? Verbete. Glossário CEALE: termos de Alfabetização, Leitura e Escrita para educadores. ISBN: 978-85-8007-079-8. Belo Horizonte, MG: FAE-CEALE/UFMG, 2014. Disponível em: < http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/esferas-ou-campos-de-atividade-humana >. Acesso em: 12 ago. 2018.

RUÉ, J. Aprender com autonomia no ensino superior. In: ARAÚJO, U. F.; SASTRE, G. Aprendizagem baseada em problemas no ensino superior. São Paulo: Summus, 2009. p. 157-176.

SACRISTÁN, J. G. Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

SILVEIRA, Regina Lúcia Barros Leal da. Planejamento de ensino: peculiaridades significativas. Revista Ibero Americana de Educacion, (ISSN: 1681-5653), 2005. Disponível em: < https://rieoei.org/historico/deloslectores/1106Barros.pdf >. Acesso em: 12 ago. 2018.

STEFANELLI, Maguida Costa. Plano de unidade didática de assistência de Enfermagem a pacientes submetidos a tratamentos psiquiátricos. Rev. Esc. Enf. USP, 0(3): p. 355-367, 1976. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v10n3/0080-6234-reeusp-10-3-355.pdf >. Acesso em: 20 ago. 2018.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TORRES, Érica da Cruz. Planejamento em educação. 2005. 42 f. Monografia (Especialização em Docência do Ensino Superior) – Universidade Cândido Mendes, Rio de Janeiro, 2005.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Projeto Político Pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas: Papirus, 1998.

ZABALZA, Miguel. O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre, Artmed, 2004.

Downloads

Publicado

2019-12-23

Como Citar

LIMA, Francisco Renato; SILVA, Jovina da. Planejamento de ensino e aprendizagem na Educação Superior: um ato dialógico de articulação entre a teoria e a prática docente. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 25, p. 36–55, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n25p36-55. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6166. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.