Pesquisas sobre políticas curriculares para a educação infantil

algumas questões epistemológicas no contexto da BNCC

Autores

  • Ademilson Soares UFMG

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n33p129-149

Palavras-chave:

Pesquisas, Políticas curriculares, Educação Infantil, BNCC

Resumo

O artigo aborda pesquisas sobre políticas curriculares para a Educação Infantil e aponta desafios epistemológicos que emergem no contexto da aprovação em 2017 da Base Nacional Comum Curricular – BNCC. O texto é de natureza teórico-bibliográfica e parte da base de dados produzida por Soares (2020) para identificar as pesquisas sobre currículo para a Educação Infantil. De 1991 trabalhos catalogados somente 22 estudos versam sobre currículo, ou seja, apenas 1,1% do total da produção. O grande desafio é ampliar e aprofundar pesquisas sobre as políticas curriculares, fortalecendo a ação daqueles que atuam no campo da Educação Infantil no contexto de implementação da BNCC. Nesse sentido, Apple (2001; 2006), Hall (2003; 2006) e Ball (2004; 2006) surgem como referências imprescindíveis.

Referências

ALMEIDA, V. S. Base Nacional Comum Curricular: o que diz sobre modos de ser criança na educação infantil? Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Luterana do Brasil, Canoas, 2019.

AMARAL, M. M. A inclusão de crianças com necessidades especiais na Educação Infantil: uma análise do currículo moldado pelas práticas pedagógicas de professoras da rede municipal de ensino de Belém. Dissertação de Mestrado. Belém: UFPA, 2006.

APPLE, M. Educação e poder. Porto: Porto Editora, 2001.

APPLE, M. Ideologia e Currículo. Porto Alegre: Artmed, 2006.

ARIOSI, C. M. F. A Base Nacional Comum Curricular para educação infantil e os campos de experiência: reflexões conceituais entre Brasil e Itália. Revista Humanidades e Inovação, Palmas, v. 6, n. 15, p. 243-256, 2019.

AYACHE, C. B. D. R. O binômio cuidar e educar no currículo da creche – o caso do Centro Andrea Pace de Oliveira. Dissertação de Mestrado. Campo Grande – MS: UCDB, 2006.

BALL, S. Performatividade, privatização e o pós-Estado do bem-estar. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 25, n.89, p. 1105-1126, set./dez. 2004.

BALL, S. Sociologia das políticas educacionais e pesquisa crítico-social: uma revisão pessoal das políticas educacionais e da pesquisa em política educacional. Currículo sem Fronteiras, v.6, n.2, p.10-32, Jul/Dez 2006.

BARBOSA, M. C. S. et al. O que é básico na Base Nacional Comum Curricular para a Educação Infantil? Debates em Educação, Maceió, v. 8, n. 16, p. 11-28, jul./dez. 2016.

BASSOTTO, B. A.; BECKER, E. L. S. Inteligências múltiplas relacionadas aos campos de experiência da Base Nacional Comum Curricular na Educação Infantil. Research, Society and Development, Itajaí, v. 9, n. 6, p. 1-21, 2020.

BIGOLIN, D. A.; SILVA, M. T. V.; CORÁ, E. J. O currículo da Educação Infantil no (com)texto da Base Nacional Comum Curricular. REFFEN, Natal, v. 1, n. 1, p. 68-83, 2020.

BORTOLANZA, A. M. E.; FREIRE, R. T. J. Educação Infantil e a Base Nacional Comum Curricular: concepções de criança, desenvolvimento e currículo. Série-Estudos, Campo Grande, v. 23, n. 49, p. 67-96, set./dez. 2018.

BUSS-SIMÃO, M. Experiências sensoriais, expressivas, corporais e de movimentos nos campos de experiências da Base Nacional Comum Curricular para Educação Infantil. Debates em Educação, Maceió, v. 8, n. 16, p. 184-207, jul./dez. 2016.

CÂMERA, R. S. N. O lúdico no currículo da Educação Infantil: debates e proposiçõies contemporâneas. Dissertação de Mestrado. São Leopoldo – RS: EST, 2011.

CAMPOS, R.; BARBOSA, M. C. S. BNC e Educação Infantil quais as possibilidades? Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 353-366, jul./dez. 2015.

CEZARI, E.; SOUZA, J. S. C.; CUNHA, R. S. A Educação Infantil na Base Nacional Comum Curricular: conceitos e propostas de um currículo. Revista Observatório, Palmas, v. 2, n. especial 2, p. 456-475, out. 2016.

CHARLOT, B. A pesquisa educacional entre conhecimentos, políticas e práticas: especificidades e desafios de uma área de saber. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 31, p. 7-18, jan./abr. 2006.

CONCEIÇÃO, A. P. S. Reinvenção e itinerância de uma educadora da infância e constituição narrativa: compreensões implicadas sobre a práxis educativa com crianças, inspiradas em uma concepção de currículo brincante. Tese de doutoramento. Salvador: UFBA, 2009.

COSTA, R. P. O devir-infantil do pós-currículo. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre: UFRGS, 2007.

COSTA, S. A.; TAPAJÓS, J. A.; SANTOS, C. M. G. Aprendizagem da criança: relação entre a BNCC e a teoria histórico-cultural. Educação em Revista, Marília, v. 21, n. 2, p. 9-20, 2020.

CUNHA, M. D.; SILVA, C. R. Reflexões acerca da estrutura curricular para a Educação Infantil. Ensino Em Re-Vista, Uberlândia, v. 26, n. 1, p. 223-243, jan./abr. 2019.

DELMONDES, M. O.; SILVA, T. M. Os “Campos de Experiências” na Base Nacional Comum Curricular: do positivismo às invenções cotidianas. Linguagens, Educação e Sociedade, Teresina, ano 23, n. 38, p. 72-98, jan./jul. 2018.

DRUMMOND, R. C. R. Escolarização, Infância e Direito; Corte Etário Como Questão para o Currículo? Reunião Anual da ANPEd, 2015.

FEITOSA, S. A.; BARROS, L. J. N. M.; FEITOZA, S. K. Uma experiência sobre rotina escolar e planejamento didático na Educação Infantil na Amazônia. Horizontes, Dourados, v. 7, n. 14, p. 123-136, 2019.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 79, p. 257-272, ago. 2002. Disponível em: <https://bit.ly/1NlhRNC>. Acesso em: 4 jun. 2018.

FRADE, I. C. A. S. BNCC e a alfabetização em duas versões: concepções e desafios. Educ. rev., Belo Horizonte , v. 36, e220676, 2020 .

FRANGELLA, R. C. P. Na procura de um curso: currículo-formação de professores – Educação Infantil – Identidade(s) em em (des)construção (?). Tese de doutoramento. Rio de Janeiro: UERJ, 2006

GHIGGI, G. Educação infantil: o currículo, o ambiente e o brincar. Cadernos de Pesquisa, n. 49, 2019.

GIARETA, P. F. A produção de conhecimento sobre a Base Nacional Comum Curricular no Brasil: levantamento de teses, dissertações e artigos. Revista de Estudios Teóricos y Epistemológicos en Política Educativa, v. 6, e2118101, p. 1-38, 2021.

GOODSON, Ivor. Currículo, narrativa e o futuro social. revista Brasileira de Educação, v.12, n. 35, maio|ago. 2007, pp.241-252.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. 4. ed. Rio de Janeiro: DP&A. 2006. 102 p.

HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

HICKMANN, R. I. Dos direitos das crianças no currículo escolar: miradas sobre processos de subjetivação da infância. Tese de doutoramento. Porto Alegre: UFRGS, 2008.

KIEHN, M. H. K. A. A Educação Infantil nos currículos de formação de professores no Brasil. Dissertação de Mestrado. Florianópolis: UFSC, 2007.

LEITE, C.; FRITSCH, R. Possibilidades e limites da política “autonomia e flexibilidade curricular” em Portugal. Debates em Educação | Maceió | Vol. 12| Número Especial|2020 |DOI: 10.28998/2175-6600.2020v12nEspp321-345

LIMA, T. C. S.; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Katálysis, Florianópolis, v. 10, p. 37-45, 2007. Edição especial. Disponível em: <https://bit.ly/1uXTtbl>. Acesso em: 4 jun. 2018.

LOPES, A. C. Contribuições de Stephen Ball para o estatuto de políticas de currículo. In: BALL, Stephen e MAINARDES, Jefferson. Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

MAINARDES, J. Metapesquisa no campo da política educacional: elementos conceituais e metodológicos. Educ. rev. 2018, vol.34, n.72, pp.303-319.

MELLO, A. P. B. Políticas para a Educação Infantil: o lugar da consciência fonológica na Base Nacional Comum Curricular. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Frederico Westphalen, 2018.

MELLO, A. P. B.; SUDBRACK, E. M.; PACHECO, L. M. D. Consciência fonológicas e Base Nacional Comum Curricular: mapeamento e discussão da produção acadêmica nos anos de 2006 - 2016. Cadernos de Pesquisa: Pensamento educacional, Curitiba, v. 14, n. 37, p. 98-118, maio/ago. 2019.

MELO, A.; MAROCHI, A. C. Cosmopolitismo e performatividade: categorias para uma análise das competências na Base Nacional Comum Curricular. Educ. rev., Belo Horizonte , v. 35, e203727, 2019.

MIKLOS, D. Memória e Infância; Modos Outros de Olhar, Pensar e Sentir o Currículo na Formação de Professores. Reunião Anual da ANPEd, 2019.

MONTEIRO, C. C.; CASTRO, L. O.; HERNECK, H. R. O silenciamento da Educação Infantil: proposta da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Pedagogia em Ação, Belo Horizonte, v. 10, n. 1, p. 194-212, 2018.

MORAIS, A. G.; SILVA, A.; NASCIMENTO, G. S. Ensino da notação alfabética e práticas de leitura e escrita na Educação Infantil: uma análise das três versões da Base Nacional Comum Curricular. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 25, p. 1-25, 2020.

NOGUEIRA, S. N. Escuta Pedagógica; Um Caminho Possível Para Ressignificar o Currículo da Educação Infantil. Reunião Anual da ANPEd, 2019.

NUNES, K. R. Infâncias e Educação Infantil: redes de sentidos e produções compartilhadas nos currículos e potencializadas na pesquisa com as crianças. Tese de doutoramento. Vitória: UFES, 2012.

OLIVEIRA, C. C. G. Significações de Currículo nos Textos Políticos Destinados à Educação Infantil. Reunião Anual da ANPEd, 2019.

OLIVEIRA, P. F. Análise das políticas curriculares para a educação infantil: o caso da BNCC (2015-2017). 205p. Dissertação de Mestrado. Maringá: UEM-PR, 2019.

PASQUALINI, J. C.; MARTINS, L. M. Currículo por campos de experiência na Educação Infantil: ainda é possível preservar o ensino desenvolvente? Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 24, n. 2, p. 425-447, maio/ago. 2020.

PEDRASSA, M. C. Identidade cultural no currículo da Educação Infantil na rede municipal de Vinhedo. Dissertação de Mestrado. Campinas - SP: UNICAMP, 2018.

PEREIRA, Fabio Hoffmann. Campos de experiência e a BNCC: um olhar crítico. Zero-a-seis, Florianópolis, v. 22, n. 41, p. 73-89, 2020.

PORTELINHA, Â. M. S. al. A Educação Infantil no contexto das discussões da Base Nacional Comum Curricular. Temas & Matizes, Cascavel, v. 11, n. 20, p. 30-43, jan./jun. 2017.

PROENÇA, M. A. R. A construção de um currículo em ação na formação do educador infantil. De Alice a Alice: relatos de experiências no país das maravilhas da docência. Tese de doutoramento. São Paulo: PUCSP, 2009.

ROCHA, E. A. C. A pesquisa em educação infantil no Brasil: trajetória recente e perspectiva de consolidação de uma pedagogia. Florianópolis: Editora da UFSC, 1999.

ROCHA, E. A. C.30 anos da educação infantil na ANPEd. In: SOUZA, G. (Org.). Educar na infância: perspectivas histórico-sociais. São Paulo: Contexto, 2010. p. 157-170.

ROCHA, E. A.; ALBUQUERQUE, M. H. K.; BUSS-SIMÃO, M. Formação Docente para Educação Infantil nos Currículos de Pedagogia. Educação em Revista, n. 34, 2018.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 6, n. 19, p. 37-50, set./dez. 2006.

SANTIAGO, D. E.; GOMES, F. G.; SOUZA, F. D. Base Nacional Curricular Comum (BNCC) para a Educação Infantil: um estudo a partir das metodologias de ensino. Revista Caminhando, v. 25, n. 1, p. 185-198, jan./abr. 2020

SANTOS, L. A. Linguagem oral na Educação Infantil: análise de currículos de curso de pedagogia. Dissertação de Mestrado. Maringá - PR: UEM, 2019.

SANTOS, S. V. S. Currículo da Educação Infantil; Considerações a Partir das Experiências das Crianças. Educação em Revista, n. 34, 2018.

SILVA, Ana Cleide da; COUTINHO, Diogenes José Gusmão. Educação infantil: a multiculturalidade na organização curricular com os campos de experiencias da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brazilian Journal of Development, São José dos Pinhais, v. 5, n. 12, p. 28563-28581, dez. 2019.

SILVA, A. C.; COUTINHO, D. J. G. Educação Infantil: a organização curricular e a metodologia sugerida como os campos de experiências da Base Nacional Comum Curricular. Revista IberoAmericana de Humanidades, Ciências e Educação, São Paulo, v. 6, n. 2, p. 29-51, 2020.

SILVA, J. R. Educação Infantil: da constituição de 1988 à BNCC, avanços e entraves. Educere, Cascavel, v. 20, n. 2, p. 371-392, jul./dez. 2020.

SILVA, M.; GUEDES-PINTO, A. L. A leitura para a Educação Infantil na BNCC: continuidades e rupturas. Linha Mestra, Campinas, n. 40, p. 48-58, 2020.

SILVA, T. M.; SOUZA, L. R. S. Os Entrelugares de Uma Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental. Reunião Anual da ANPEd, 2019.

SOARES, A. S. Criança, infância e educação infantil: pressupostos das pesquisas. Educ. rev., Curitiba , v. 36, e64831, 2020.

SOUZA, D. L. Base Nacional Comum Curricular e produção de sentidos de Educação Infantil: entre contextos, disputas e esquecimentos. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2019..

SOUZA, D. L.; SARTURI, R. C. Base Nacional Comum Curricular e processos de atuações na Educação Infantil. Textura, Canoas, v. 22 n. 50, p. 202-220, abr./jun. 2020.

SOUZA, M. M. N. “Minha história conto eu”: multiculturalismo crítico e cultura corporal no currículo da Educação Infantil. Dissertação de Mestrado. São Paulo: USP, 2012.

TIRIBA, L.; FLORES, M. L. R. A. Educação Infantil no contexto da Base Nacional Comum Curricular: em defesa das crianças como seres da natureza, herdeiras das tradições culturais brasileiras. Debates em Educação, Maceió, v. 8, n. 16, p. 157-183, jul./dez. 2016.

TROIS, L. P. O privilégio de estar com as crianças: o currículo das infâncias. Tese de doutoramento. Porto Alegre: UFRGS, 2008.

VEIGA JÚNIOR, A. Produção teórica e teorização em educação a partir da ANPEd. 2012. 115 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2012.

VITTA, F. C. F.; CRUZ, G. A.; SCARLASSARA, B. S. A Base Nacional Comum Curricular e o berçário. Horizontes, Dourados, v. 36, n. 1, p. 64-73, jan./abr. 2018.

Downloads

Publicado

22/12/2021

Como Citar

SOARES, A. Pesquisas sobre políticas curriculares para a educação infantil: algumas questões epistemológicas no contexto da BNCC. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 33, p. 129–149, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n33p129-149. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12976. Acesso em: 20 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate