Educação infantil, currículo e cidade

crianças em espaços culturais de Belo Horizonte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n33p355-376

Palavras-chave:

Infâncias, Cidade, Educação Infantil, Currículo

Resumo

Este artigo analisa experiências de crianças e adultos, de uma instituição pública de Educação Infantil, em visitas a espaços culturais da cidade de Belo Horizonte, buscando compreender como as crianças significam a experiência urbana em deslocamentos para a visita a um museu e a um mercado público. Debate-se o direito das crianças à cidade, nas suas dimensões de mobilidade e apropriação, ao mesmo tempo em que se analisam os processos educativos vivenciados em espaços e equipamentos públicos e suas possíveis relações com o currículo. Sustentado pelos estudos da infância e pela produção teórica sobre currículo na Educação Infantil, o trabalho vai ao encontro dos debates acerca da compreensão da cidade e dos equipamentos públicos como lócus de educação da criança pequena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tulio Campos, Centro Pedagógico/UFMG

Professor de Educação Física da Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG - Centro Pedagógico. Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da UFMG na linha de pesquisa Infância e Educação Infantil (2019). Mestre em Lazer pela UFMG (2010). Licenciado em Educação Física pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007).

Levindo Diniz Carvalho, Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais

Professor Adjunto da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFMG. Professor colaborador no programa de Pós-Graduação em Educação e Sociedade da Universidade de Lisboa. Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais, Mestre em Educação e Graduado em Pedagogia. Tem experiências como pesquisador e docente nos campos da educação e infância especialmente nos temas: Educação Integral; Educação Infantil; Infância e cultura; Cidadania na infância. É membro do grupo TEIA - Territórios Educação Integral e Cidadania e coordena o NEPEI - Núcleo de Pesquisa sobre Infância e Educação Infantil ambos da Faculdade de Educação da UFMG.

Mônica Correia Baptista, Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais

Professora associada da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (FAE/UFMG). Pesquisadora do CEALE - Centro de Alfabetização Leitura e Escrita da FAE/UFMG e do NEPEI - Núcleo de Estudos e Pesquisas em Infâncias e Educação Infantil da FAE/UFMG. Graduada em Pedagogia pela Faculdade de Educação da UFMG (1992), Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da UFMG (1995), Doutora em educação pela Universidade Autônoma de Barcelona (2008), Pós-doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro e Universidade Autônoma de Barcelona (2016). Coordenadora do Projeto Leitura e Escrita na Educação Infantil (MEC/UFMG/UNIRIO/UFRJ). Atua, prioritariamente, em temas relacionados às práticas pedagógicas de leitura e escrita junto a crianças de zero a seis anos; formação de professores; políticas públicas e Educação; alfabetização, leitura e escrita; currículo e Educação Infantil.

Referências

AICE. Associação Internacional das Cidades Educadoras. A convivência nas Cidades. Cadernos de debate, nº 4. Rosário, 2016.

AIKTEN, Stuart. Do apagamento à revolução: o direito da criança à cidadania/direito à cidade. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, n. 128, p. 675-697, 2014.

ARAÚJO, Vânia Carvalho de. Quando as crianças nos ensinam sobre a cidade. Educar em Revista, v. 35, p. 319-334, 2019.

ARAÚJO, Vânia Carvalho de. A cidade na infância, a infância na cidade. Educação em Foco, Juiz de Fora/MG, v. 23, n.3, p. 715-736, set./dez., 2018

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; RITCHER, Sandra Regina Simonis. As aprendizagens cotidianas: os cuidados pessoais das crianças como gesto curricular. In: CARVALHO, R. S. de & FOCHI, P. S. Pedagogia do cotidiano na (e da) educação infantil. Em Aberto, v. 30, n .100, p. 45-70, set./dez., 2017.

BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal de Educação. Proposições Curriculares para a Educação Infantil. Desafios da Formação 2. MELO, A.C.F.B.S. (Org.). Belo Horizonte: Secretaria Municipal de Educação, 2015.

BIRCH, Jo. Museum spaces and experiences for children – ambiguity and uncertainty in defining the space, the child and the experience. Children's Geographies, 2018, p. 1-13. Disponível em: https://doi.org/10.1080/14733285.2018.1447088. Acesso em: 20 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CEB/CNE nº 20/2009, de 11 de novembro de 2009. Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 2009.

BRASIL. Lei 12.602, de e de abril de 2012. Diário Oficial da União - Seção 1 - 4/4/2012, Página 1. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2012/lei-12602-3-abril-2012-612643-publicacaooriginal-135683-pl.html. Acesso em: 19 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular. Brasília, DF: MEC. 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf Acesso em: 20 de jul.2021.

CAMPOS, Túlio. A escola e a cidade: experiências de crianças e adultos em excursões na Educação Infantil. 2019. 320f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, 2019.

CARVALHO, Levindo Diniz; GOUVEA, Maria Cristina Soares. Infância urbana, políticas e poéticas: diálogos sobre a experiência de Rosário-Argentina. 151. Cadernos de Pesquisa Educação. PPGE-UFES, v. 21, p. 151-170, 2019.

CARVALHO, Cristina; LOPES, Thamiris. O Público Infantil nos Museus. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 41, n. 3, p. 911-930, jul./set. 2016.

CARVALHO, Levindo Diniz. Crianças e infâncias na educação (em tempo) integral. Educação em Revista, v. 31, n.04, p. 78-98, 2015.

CASTRO, Lucia Rabelo. Da invisibilidade à ação: crianças e jovens na construção da cultura. In: CASTRO, L. R (Org.) Crianças e jovens na construção da cultura. Rio de Janeiro: NAU/FAPERJ, 2001. p. 19-46.

CHRISTENSEN, Pia. Lugar, espaço e conhecimento: crianças em pequenas e grandes cidades. In. MÜLLER, F. (Org.). Infância em perspectiva: políticas, pesquisas e instituições. São Paulo: Cortez, 2010. p. 143-164.

CHRISTEENSEN, Pia. (org) Children in the city: home, neighborhood and community. London: Routledge, 2002.

CORSARO, Willian. Reprodução interpretativa e cultura de pares. In: MÜLLER, F. e CARVALHO, A. M. A. Teoria e prática na pesquisa com crianças: Diálogos com William Corsaro. São Paulo: Cortez Editora, 2009.

FERNANDES, Florestan. Folclore e mudança social na cidade de São Paulo. 2. ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 1979.

FERREIRA, Manuela; NUNES, Ângela. Estudos da infância, antropologia e etnografia: potencialidades, limites e desafios. Linhas Críticas. Brasília, Distrito Federal, v. 20, n. 41, p. 103-123, jan/abr., 2014.

FOCHI, Paulo Sérgio. Criança, currículo e campos de experiência: notas reflexivas. Conjectura: Filosofia e Educação, v. 25, p. 52-72, Caxias do Sul, Dossiê, 2020.

FREITAS, Amanda Fonseca Soares. Corpo, Linguagem e Infância em Movimento: etnografia em uma escola de tempo integral da rede municipal de Belo Horizonte. 2015. 283f. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2015.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1989.

GOBBI, Márcia Aparecida; Anjos, Cleriston I . Apresentação de dossiê temático: Perspectivas para pensar as cidades: infâncias, educação, democracia e justiça. Práxis Educacional, v. 16, p. 13-25, 2020.

GOMES, Rafael Ferreira Diniz.; AZEVEDO, Giselle Arteiro Nielsen. Educação integral e cidades educadoras: experiências educativas em cidades brasileiras. PIXO Revista de Arquitetura, Cidade e Contemporaneidade, v. 5, p. 92-109, 2021.

HARVEY, David. Utopias Dialécticas. In.: Educación y vida urbana: 20 años de Ciudades Educadoras, UNESCO, Barcelona, 2008, p. 45-52.

HOLLOWAY, Sarah; VALENTINE, Gill. Childrens Geographies: playing, living, learning. Dossiê Childhood, n. 7 n. 3, London, Routledge, 2000.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD, 2015. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/9127-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios.html?=&t=destaques. Acesso em: 19 maio. 2021.

INGOLD, Tim. Estar Vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Tradução de Fábio Creder. Petrópolis: Vozes, 2015.

LANSKY, Samy; GOUVÊA, Maria Cristina Soares; GOMES, Ana Maria. Cartografias das Infância em região de fronteiras em Belo Horizonte. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, n. 128, p. 629-996, jul.-set., 2014.

LEAL, Regina Rosa dos Santos. Crianças no museu: experiências de educação, cultura e lazer no Circuito Cultural Praça da Liberdade na Cidade de Belo Horizonte – MG. 2016. 180f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, 2016.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. 2. ed. São Paulo: Moraes, 2001.

LIMA, Mayumi Souza. A Cidade e a Criança. São Paulo: Nobel, 1989.

LOPES, Jader Janer Moreira.; VASCONCELLOS, Tânia. Geografia da infância: territorialidades infantis. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 1, p. 103-127, jan.-jun., 2006.

LÓPEZ, Maria Emília. Cultura e primeira infância. Bogotá/Colômbia: CERLALC, UNESCO, 2013.

MERLEAU-PONTY. Fenomenologia da Percepção. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MÜLLER, Fernanda.; NUNES, B. F. Infância e cidade: um campo de estudo em desenvolvimento. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, p. 659-674, 2014.

MÜLLER, Fernanda. Retratos da infância na cidade de Porto Alegre. 2007. 217 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia. & FORMOSINHO, João. Pedagogia-em-Participação: a documentação pedagógica no âmago da instituição dos direitos da criança no cotidiano. In: CARVALHO, R. S. de & FOCHI, P. S. Pedagogia do cotidiano na (e da) educação infantil. Em Aberto, v. 30, n. 100, p. 115-130, set./dez., 2017.

PORTO, Raquel Cristina Ferreira.; MORAIS, Christianni Cardoso; CARVALHO, Levindo Diniz. 'Cada um merece saber a história de onde vive': O museu Regional de São João del Rei na perspectiva das crianças. Humanidades & Inovação, v. 8, p. 335-352, 2021.

RINALDI, Carla. Diálogos com Reggio Emilia. Escutar, investigar e aprender. 13ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2021.

RINALDI, Carla. O currículo emergente e o construtivismo social. In; EDWARDS, C.; FGANDINI, L. & FORMAN, G. As cem linguagens da criança. Porto Alegre: Artmed, 1999.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Conhecer a infância: os desenhos das crianças como produções simbólicas. In: MARTINS FILHO, Altino José; PRADO, Patricia Dias. Das pesquisas com crianças à complexidade da infância. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2011. p. 27-60.

SILVA, Isabel Oliveira; LUZ, Iza Rodrigues; CARVALHO, Levindo Diniz. Infância e pandemia na região metropolitana de Belo Horizonte: primeiras análises. Belo Horizonte: UFMG/FaE/NEPEI, 2021.

TRINDADE, Viviane Maia. A Criança e a Cidade. Educa BH. v. 4, n. 1. Belo Horizonte: Prefeitura de Belo Horizonte / Secretaria Municipal de Educação, 2016, p. 32-42.

TONUCCI, Francesco. La Ciudad de los Niños: um modo nuevo de pensar la ciudad. Buenos Aires, Losada: UNICEF, 1996.

TONUCCI, Francesco. A criança como paradigma de uma cidade para todos. Entrevista cedida ao Portal Aprendiz em 21 de setembro de 2016. Disponível em: http://cidadeseducadoras.org.br/reportagens/francesco-tonucci-a-crianca-comoparadigma-de-uma-cidade-para-todos/. Acesso em: 16 ago. 2021.

UNICEF. Situação mundial da infância 2019. Crianças em um mundo urbano. United Nations Children’s Fund (UNICEF), fevereiro de 2020. Acessível em United Nations Children’s Fund (UNICEF) Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/media/5566/file/Situacao_Mundial_da_Infancia_2019_ResumoExecutivo.pdf. Acesso em: 12 jul. 2021.

VERBENA e FARIA, Eliete Carmo Garcia. Lugares da infância: mobilidade e práticas cotidianas das crianças nos espaços sociais de interação. 2014. 336f. Tese (Doutorado) – Universidade do Minho, 2014.

Downloads

Publicado

2021-12-22

Como Citar

CAMPOS, Tulio; CARVALHO, Levindo Diniz; BAPTISTA, Mônica Correia. Educação infantil, currículo e cidade: crianças em espaços culturais de Belo Horizonte. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 33, p. 355–376, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n33p355-376. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12686. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.