A EJA e os ideais das CONFINTEAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2024v16n38pe15857

Palavras-chave:

Políticas públicas, Ensino, Inclusão

Resumo

Este artigo tem como objetivo narrar a história da EJA no Brasil com um olhar sobre a Educação Física e em diálogo com os ideais das CONFINTEAS. Utilizamos como metodologia um levantamento bibliográfico narrativo qualitativo. Analisamos marcos históricos e legais publicados. Como resultado, apresentamos  documentos que estão em vigor para oportunizar a aprendizagem para aqueles que tiveram acesso limitado à educação formal. Concluímos que estamos em uma lenta e acidentada caminhada para a educação de jovens e adultos voltada  à sustentabilidade humana, conforme definida pelas CONFINTEAS

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Henrique Freire Bourdette Ferreira , Universidade Federal Fluminense

Possui Bacharelado e Licenciatura em Educação Física pela Universidade Estácio de Sá (1997). Mestrado em Ciência da atividade física pela Universidade Salgado de Oliveira (2010). MBA em gestão de negócios pelo IBMEC (2004). Trabalhou como professor pesquisador no Centro de Promoção de Saúde da Petrobras, (2004-2015). Foi Gestor do Clube de futebol Estácio de Sá. Trabalha atualmente com crianças especiais e transtorno da aprendizagem ,se dedicando a docência superior no curso de Pós Graduação em Psicopedagogia na AVM. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Gestão. Atualmente esta realizando Doutoramento no (PGCTIN), Programa de Ciencia Tecnologia e Inclusão e membro do grupo de pesquisa do NEPA(Nucleo de Estudos e Pesquisa em Autismo)da UFF, Universidade Federal Fluminense. Coordenado pela Dr. Diana Negrao .Vem concentrando seus estudos em comparações de respostas motoras no TEA e crianças neurotípicas, com utilização de aplicativos e baterias motoras

Janaína Silva de Souza, Universidade Federal Fluminense

 Diversidade em Inclusão (UFF), Especialista em Leitura e Produção Textual (UFF) e em Gestão Ambiental (UFRJ), Graduada em Letras Português e Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002) e formada em Yoga pelo CDY. Sou professora II na Secretaria Municipal de Educação de Niterói, atualmente estou atuando como membro da Coordenação de Educação em Sustentabilidade, Esporte e Saúde (CESESS) da Subsecretaria de Políticas Educacionais Transversais (SSPET) da SME/FME- Niterói. Tenho experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, em projetos de Educação Ambiental e de bem-estar e saúde integral, com ênfase no Yoga Integral. Idealizei e atuo no Projeto YogaEduca da Rede Municipal de Educação de Niterói no qual são desenvolvidas atividades formativas para profissionais e vivências para crianças, estudantes e profissionais. Atualmente sou membro-fundadora da Associação Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica (AIIIIPE) e participo de grupo de pesquisa Núcleo de Educação Inclusiva Galileu Galilei. Acredito na interdisciplinaridade, na diversidade e na inclusão como formas de promover a formação integral.

Ruth Maria Mariani Braz, Universidade Federal Fluminense

Sou Doutora em Ciências e Biotecnologia pela Universidade Federal Fluminense na área de ensino. Reconhecimento de nível em Portugal pela faculdade de educação da Universidade do Minho. Tenho pós-doc no programa de pós- graduação em Ciências, Tecnologia e Inclusão da Universidade Federal Fluminense. Atualmente leciono no Mestrado Profissional de Diversidade e Inclusão como professor permanente e no programa de pós-graduação em Ciências, Tecnologias e Inclusão da Universidade Federal Fluminense. Desenvolvo pesquisas à formação de professores, Educação Inclusiva, tecnologia assistiva, produção de materiais didáticos. Coordeno o projeto Galileu Galilei, faço parte do grupo de pesquisa: Tecnologias Computacionais no ensino e aprendizagem na ótica da Diversidade, Inclusão e Inovação. Atualmente, sou um dos membros da Associação Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica (AIIIIPe)

Referências

AGÊNCIA BRASIL. Analfabetismo cai, mas Brasil ainda tem 11 milhões sem ler e escrever. 15 jul. 2020. Brasília: EBC, 2020. Disponível em:https://shre.ink/ZxLre. Acesso em 27 jul. 2023.

ALVES LEITE, E.; DA SILVA PINTO, S. C. C.; MARIANI BRAZ, R. M. Análise da Meta 4 do Plano Nacional de Educação: estudos realizados em Mangaratiba – RJ. Reflexão e Ação, v. 30, n. 2, p. 196-211, 30 maio 2022.

ANTUNES, Ricardo. A classe trabalhadora hoje e a nova morfologia do trabalho: informalidade, infoproletariado, imaterialidade e valor. In: VARELA, R. (Org). A Segurança Social é Sustentável. Lisboa: Bertrand editora. 2013.

BRASIL- Resolução CNE/CEB Nº 1, de 5 de julho de 2000. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação e Jovens e Adultos. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB012000.pdf Acesso em: 20/07/2023.

BRASIL . LEI No 10.793, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2003. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.793.htm. Acesso em: 20/7/2023.

BRASIL. Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Programa Nacional de Inclusão de Jovens. Brasília, 2005. Disponível em: https://shre.ink/9Ev4. Acesso em 22 jul. 2023.

BRASIL, Cristina Costa. História da alfabetização de adultos: De 1960 até os dias de hoje. 2010a. Disponível em: https://shre.ink/9lGq. Acesso em: 10 out. 2022.

BRASIL. Audiência Pública promovida pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte. Brasília, 2010b. Disponível em: https://shre.ink/9amx. Acesso em 22 jul. 2023.

BRASIL. CONAE- 2010 - Construindo um Sistema Nacional Articulado de Educação: o Plano Nacional de Educação, Diretrizes e Estratégias de Ação. Brasília: MEC, 2010c. Disponível em: https://shre.ink/tsAqY. Acesso em: 23 jul. 2023.

BRASIL. PNE -2014. Planejando a Próxima Década - Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional de Educação. Ministério da Educação/Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/SASE), Brasília, 2014. Disponível em: https://shre.ink/9aLK. Acesso em: 23 jul. 2023.

BRASIL. Coletânea de textos CONFINTEA Brasil+6: tema central e oficinas temáticas / Organizado por Paulo Gabriel Soledade Nacif, Arlindo Cavalcanti de Queiroz, Lêda Maria Gomes e Rosimere Gomes Rocha. Ministério da Educação/Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Brasília: MEC, 2016. https://shre.ink/9l2J. Disponível em: Acesso em 23 jul. 2023.

BRASIL. LDB: Lei de diretrizes e bases da educação nacional. – 2. ed. – Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2018. Disponível em: https://shre.ink/9Ln9. Acesso em: 20 jul. 2023.

BRASIL, Relatório do 2º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação- 2018. 2. ed. Brasília, DF: Inep/MEC, 2019. Disponível em: https://shre.ink/9luW. Acesso em 20 jul. 2023.

BRASIL, Relatório do 4º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação- 2022. Brasília-DF: Inep/MEC, 2022 Disponível em:https://shre.ink/mTiv. Acesso em 20 jul. 2023.

CARVALHO, Marcelo Pagliosa. As Políticas para a Educação de Jovens e Adultos nos Governos LULA (2003-2010). Universidade Federal do Maranhão. Maranhão. 2011. Disponível em: https://shre.ink/9lkI. Acesso em: 20 jun. 2023.

CARVALHO, Raphael Oliveira da Silva. A Prática da Educação Física na Educação de Jovens e Adultos. Universidade Federal Fluminense. Rio de Janeiro. 2017. app.uff.br. Disponível em: https://shre.ink/9fKU. Acesso em: 23. jun. 2023.

DAMÁSIO, A.R. Em Busca de Espinosa: prazer e dor na ciência dos sentimentos. 1ª Ed.São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

DELORS, Jacques, et al. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. Educação um tesouro a descobrir, 1996, 6. Disponível em: https://shre.ink/abbx Acesso em: 20 jul. 2023.

FERREIRO, Emília. Los adultos no-alfabetizados y sus conceptualizaciones del sistema de escritura. Cuadernos de Investigaciones Educativas. México, (10):1-234, abr. 1983.

FLACH, Simone de Fátima. O direito à educação e sua relação com a ampliação da escolaridade obrigatória no Brasil, Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação [online]. 2009, v.17, n.64. Disponível em: https://shre.ink/9lk8. Acesso em: 7 out. 2022, p. 495-520.

GADOTTI, Moacir. Educação de Adultos como Direito Humano. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire. 2009. Disponível em:https://shre.ink/9lkB. Acesso em: 02 jul.2023.

GÜNTHER, Maria Cecília Camargo. O direito à educação física na educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 2016, 36. Disponível em:http://rbce.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/2142 Acesso em: 20/07/2023.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 5ª ed., Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1981.

HADDAD, Sérgio. Ensino Supletivo no Brasil - o estado da arte, INEP/REDUC: Brasília, 1994.

HOULE, Cyril O. The Literature of Adult Education. A Bibliographic Essay. Jossey-Bass, 350 Sansome Street, San Francisco, CA 94104, 1992. Disponível em: https://eric.ed.gov/?id=ED351572 Acesso em: 26/07/2023.

IBGE - Pesquisa Nacional por Amostra de domicilios - PNAD - Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/17270-pnad-continua.html . Acesso em: 26 jul.2023.

IBGE - Conheça o Brasil - População. IBGEeduca: 2023. Disponível em: https://shre.ink/Hbyj. Acesso em: 26 jul. 2023.

IRELAND,Timothy Denis;SPEZIA,Carlos Humberto (orgs). Educação de Adultos em Retrospectiva: 60 anos de CONFINTEA, Brasília, 2014. Disponível em: https://shre.ink/9lGP. Acesso em: 24 jun. 2023.

KIESSLER, Débora dos Santos. Educação Física escolar e o sedentarismo. 2015. Disponível em: https://bibliodigital.unijui.edu.br:8443/xmlui/handle/123456789/3377.

Acesso em: 26/07/2023.

KNOWLES, Malcolm S.; HOLTON III, Elwood F.; SWANSON, Richard A. The adult learner: The definitive classic in adult education and human resource development. Routledge, 2014. Disponível em: https://api.taylorfrancis.com/content/books/mono/download?identifierName=doi&identifierValue=10.4324/9781315816951&type=googlepdf Acesso em: 25/07/2023.

MACHADO, Maria Margarida. A Trajetória da EJA na década de 90. Políticas Públicas sendo substituídas por Solidariedade. Reunião Anual da Anped 21, p. 59-73, 1998. Disponível em: https://shre.ink/9lG2. Acesso em: 22 jun. 2023.

NAKADAKI, Vitória Evelin. Educação de Jovens e Adultos: um olhar sobre o governo de Jair Messias Bolsonaro. Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, SP, 2020. Disponível em: https://shre.ink/9lGT. Acesso em: 20 abr. 2022.

OLIVEIRA, Vitor Marinho de. Educação física humanista. Rio de Janeiro: Ao livro técnico, 1985, 228-48.

ONU, Declaração Universal dos Direitos Humanos. ONU, 2020. Disponível em:https://shre.ink/kM2y. Acesso em: 02 jul. 2023.

PAIVA, Vanilda Pereira. Educação Popular e Educação de Adultos. 5º Ed. São Paulo: Loyola, Ibrades, 1987.

PEREIRA, Dulcineia de Fátima Ferreira. Revisitar Paulo Freire: Uma Possibilidade de Reencarnar a Educação. Tese de Doutorado em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006. Disponível em: https://shre.ink/9lGz. Acesso em: 20 jun. 2022.

PIERRO, Maria Clara di; HADDAD, Sérgio. Transformações nas políticas de Educação de Jovens e Adultos no Brasil no início do terceiro milênio: uma análise das agendas nacional e internacional. Cad. CEDES. vol. 35, n. 96. Campinas, maio-ago, 2015. Disponível em: https://shre.ink/9lkg. Acesso em: 22 jul. 2023.

QUEIROZ, Adriana Renata Sathler de, et al. Inclusão social através do esporte: vivências de adultos com deficiência física adquirida. 2022. Disponível em: https://www.bdtd.uerj.br:8443/handle/1/19500 Acesso em: 20/07/2023.

STRELHOW, Thyeles Borcarte. Breve história sobre a Educação de Jovens e Adultos no Brasil. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.38, p. 49-59, jun.2010 - ISSN: 1676-2584. Disponível em: https://shre.ink/9lGu. Acesso em: 22 jun. 2023.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, 1990. UNESCO, 1998. Disponível em:https://shre.ink/9lG3. Acesso em: 20. jul. 2023.

UNESCO. Quarto relatório global sobre aprendizagem e educação de adultos: não deixar ninguém para trás; participação, equidade e inclusão. – Brasília: UNESCO, 2020. Disponível em: https://shre.ink/9lG9. Acesso em 10 jul. 2023.

Downloads

Publicado

2024-01-30

Como Citar

FERREIRA , Paulo Henrique Freire Bourdette; SOUZA, Janaína Silva de; MARIANI BRAZ, Ruth Maria. A EJA e os ideais das CONFINTEAS. Debates em Educação, [S. l.], v. 16, n. 38, p. e15857, 2024. DOI: 10.28998/2175-6600.2024v16n38pe15857. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/15857. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.