O ensino da escrita etnográfica como caminho na construção do olhar antropológico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n23p333-345

Palavras-chave:

ensino de antropologia, etnografia, relativização

Resumo

O ensino de antropologia para estudantes de outras áreas de conhecimento, como as licenciaturas e a pedagogia pode seguir dois caminhos. No primeiro, apresenta-se o conjunto de teorias antropológicas e sua relação com a educação, discute-se o estatuto epistemológico dessas disciplinas e propõe-se uma reflexão majoritariamente teórica. No segundo caminho, articula-se o ensino da antropologia ao fazer antropológico, mais diretamente à escrita etnográfica. Nesse artigo, argumentaremos que ao seguir o segundo caminho, o professor insere os estudantes em um modelo de conhecimento que depende do confronto cotidiano entre as identidades do pesquisador e aquelas que ele pretende analisar. Descrever o "outro" promove o encontro e a relativização do "eu", mas esse processo não é isento de conflitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Rosistolato, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Antropólogo especializado em temas educacionais. Doutor em Ciências Humanas (antropologia), professor do Programa de Pós-Graduação em Educação-PPGE e do Departamento de Fundamentos da Educação, da Faculdade de Educação da UFRJ. 

Ana Pires do Prado, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Antropóloga, professora do Programa de Pós Graduação em Educação da UFRJ e do departamento de Fundamentos da Educação da UFRJ.

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. de. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. O trabalho do antropólogo. Brasília: Editora

CLIFFORD, J. A experiência etnográfica. Antropologia e literatura no século XX; organizado por José Reginaldo dos Santos Gonçalves. Rio de Janeiro: Editora URJ, 2002.

CORSARO, W. A. Entrada no campo, aceitação e natureza da participação nos estudos etnográficos com crianças pequenas. Educ. Soc. [online]. 2005, vol.26, n.91, pp. 443-464.

FOOTE-WHYTE, W. Sociedade de esquina: a estrutura social de uma área urbana pobre e degradada. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2005.

GEERTZ, C. Obras e vidas: o antropólogo como autor. Rio de Janeiro: editora UFRJ, 2002.

GIUMBELLI, E. Para além do "trabalho de campo": reflexões supostamente malinowskianas. Rev. bras. Ci. Soc. [online]. 2002, vol.17, n.48, pp.91-107. ISSN 0102-6909.

GROSSI, M. P.; TASSINARI, A.; RIAL, C. (Orgs.). Ensino de antropologia no Brasil. Blumenau: Nova Letra/ABA, 2006.

MALINOWSKI, B. Argonautas do Pacífico Ocidental. Os Pensadores, São Paulo, Abril Cultural, 1998.

PEIRANO, M. Etnografia não é método. Horiz. antropol. [online]. 2014, vol.20, n.42, pp.377-391. ISSN 0104-7183

Revista Contemporânea de Educação. Número temático: estudos etnográficos em educação. V. 13, N. 26 (2018).

Revista Horizontes Antropológicos. Dossiê “Antropologia, Etnografia e Educação”. In; Horiz. antropol. vol.23 no.49 Porto Alegre Sept./Dec. 2017.

Revista Linha Críticas. Dossiê Antropologia e Educação. In: Linhas Críticas. v. 21, n. 44, 2015.

Revista Vibrant. Dossiê Antropology and education. Vibrant – Virtual Brazilian Anthropology, v. 12, n.2. July to December 2015. Brasília, ABA.

ROSISTOLATO, R. P. R.. A liberdade dos etnógrafos em educação e seu mosaico interpretativo. Revista Contemporânea de Educação, v. 13, p. 1-9, 2018.

ROSISTOLATO, R. P. R.; PIRES DO PRADO, A. P. ; KOSLINSKI, M. C. ; CARVALHO, J. T. ; MOREIRA, A. M. . Dinâmicas de matrícula em escolas públicas na cidade do Rio de Janeiro. Pro-Posicoes (UNICAMP. Impresso), v. 27, p. 237-261, 2016.

ROSISTOLATO, R. P. R.; PIRES DO PRADO, A. P. O lugar da antropologia na formação de educadores. Revista Café com Sociologia, v. 4, p. 98-111, 2015.

ROSISTOLATO, R. P. R.; PIRES DO PRADO, A. P. Etnografia em pesquisas educacionais: o treinamento do olhar. Linhas Críticas (UnB), 2014.

SARTORI, A. O ensino de antropologia para quem não vai ser antropólogo. Florianópolis, v. 13, n. 01, p. 99 – 119, jan/jun. 2012.

TAVARES, F.; GUEDES, S.L.; CAROSO, C. Experiências de ensino e prática em antropologia no Brasil. Brasília- DF; Ícone Gráfica e Editora/ABA, 2010.

TRAJANO FILHO, W.; RIBEIRO, G. L. (Orgs.). O campo da antropologia no Brasil. Rio de Janeiro: Contra Capa/ABA, 2004.

Downloads

Publicado

2019-04-25

Como Citar

ROSISTOLATO, Rodrigo; PIRES DO PRADO, Ana. O ensino da escrita etnográfica como caminho na construção do olhar antropológico. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 23, p. 333–345, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n23p333-345. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6206. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Ensino de Antropologia"

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.