A assistência estudantil no Brasil: uma avaliação na gestão da Universidade Federal do Pará.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p370-387

Palavras-chave:

Análise multivariada. Gestão universitária. Políticas públicas. Universidades

Resumo

O objetivo desse estudo foi analisar a operacionalização da política de assistência estudantil na Universidade Federal do Pará. O método foi descritivo, feito na forma de levantamento, com amostragem não probabilística por tipicidade e tratamento quantitativo de dados. O universo de pesquisa foi formado por estudantes que recebiam ou já haviam recebido alguma forma de assistência estudantil, incluindo estrangeiros. Participaram da pesquisa 74 entrevistados e os dados foram tratados com estatística descritiva e técnicas multivariadas. Os resultados mostraram três fatores, denominados como Qualidade do Atendimento, Acompanhamento Institucional e Relevância da Assistência Estudantil. Os escores revelaram entrevistados satisfeitos com a gestão por parte da instituição. A análise de agrupamentos classificou os entrevistados em três grupos, com diferentes avaliações quanto à instituição, mas que convergiram quanto à necessidade da assistência estudantil. Os resultados recomendam a ampliação da assistência estudantil na instituição e o aprimoramento das técnicas de gestão

Biografia do Autor

Geraldine Fifame Dona Fadairo, Museu Paraense Emílio Goeldi

Administradora pela Universidade Federal do Pará. Atualmente é aluna do Mestrado em Diversidade Sóciocultural do Museu Paraense Emílio Goeldi,

Carlos André Corrêa de Mattos, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutor em Ciências Agrárias (2012) pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e Mestre em Gestão e Desenvolvimento Regional (2008) pela Universidade de Taubaté (Unitau). Cursou MBA em Gestão Empresarial (2004) e Gerenciamento de Projetos (2005) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Bacharel em Administração (2002) pela Universidade da Amazônia (Unama), na trajetória profissional atuou em organizações públicas e privadas. Dentre as áreas de concentração, destacam-se: Gestão de Organizações Públicas, Estudos Organizacionais, Competitividade, Agronegócio e Organização Agroindustrial. Atualmente é professor da Faculdade de Administração (FAAD) da Universidade Federal do Pará (UFPa

Ana Margarida Santiago, Universidade da Amazônia (UNAMA)

Aluna de Doutorado em Administração pela Universidade da Amazônia - UNAMA (2019), na linha temática de Gestão do Desenvolvimento, fez mestrado em Administração pela UNAMA (2016-2018), especialização em Gestão Financeira Empresarial pela Universidade Federal do Pará - UFPA (2013-014), e Graduação em Administração pela Faculdade Estácio do Pará (2010-2014). Integrante do Grupo de Pesquisa em Gestão Social e do Desenvolvimento Local (GESDEL/UNAMA). Atuação profissional nas áreas de Ciências Sociais Aplicadas, Administração e Administração de Empresas

Carlos André de Mattos Teixeira, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Bacharel em Engenharia de Telecomunicações pela Universidade Federal do Pará e Mestrando na área de Computação Aplicada à Inteligência Computacional no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica (PPGEE - UFPA). É membro dos Laboratórios de Pesquisa Operacional (LPO) e Avaliação de Redes de Alto Desempenho (LPRAD) da Universidade Federal do Pará, onde atua em projetos de pesquisa relacionados à Pesquisa Operacional, Inteligência Artificial e Avaliação de Desempenho aplicados à Redes de Computadores, Redes Móveis e Structural Health Monitoring

Referências

ANDIFES – Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior. PNAES é tema de seminário promovido pela Andifes, 2018. Disponível em: http://www.andifes.org.br/pnaes-e-tema-de-seminario-promovido-pela-andifes/. Acesso em: 05 jan. 2019.

ANDRADE, A. M. J.; TEIXEIRA, M. A. P. Áreas da política de assistência estudantil: relação com o desempenho acadêmico, permanência e desenvolvimento psicossocial de universitários. Avaliação (Campinas; Sorocaba), São Paulo, v. 22, n.2, p. 512-528, jul. 2017.

ARAÚJO, C. B. Z. M. A permanência de estudantes nos cursos de graduação no Brasil: uma categoria em construção. Temas em Educação, João Pessoa, v. 22, n. 2, p. 25-43, jul. / dez. 2013.

ARAÚJO; J. C. F.; LEITE, L. S. Avaliação da política de apoio ao estudante desenvolvida pela UNIRIO: o projeto bolsa permanência. Ensaios: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 84, p. 777-806, jul. / set. 2014.

BARDAGI; M. P.; HUTZ, C. S. “Não havia outra saída”: percepção de alunos evadidos sobre o abandono do curso superior. Psico-USF, Itatiba, v. 14, n. 1, p. 95-105, jun. / abr. 2009.

BRASIL, Ministério da Educação. Portaria Normativa nº 39, de 12 de dezembro de 2007. Institui o Programa Nacional de Assistência Estudantil - PNAES. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/portaria_pnaes.pdf. Acesso em 22 de set. 2018.

COSTA, F. J. Mensuração e desenvolvimento de escalas. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2011.

COSTA, S.L.; DIAS, S. M. B. A permanência no ensino superior e as estratégias institucionais de enfrentamento da evasão. Jornal de Políticas Educacionais, Curitiba, v. 9, n. 17 e 18, jan. / dez. 2015.

CRUZ, A. G. Desafios da inclusão no processo contemporâneo de expansão da educação superior brasileira: democratização ou massificação do acesso? Eccos, São Paulo, n. 49, p. 1-23, abr./jun. 2019.

DILLON, W. R.; GOLDSTEIN, M. Multivariate analysis: methods and applications. New York: John Wiley & Sons, 1984.

DUTRA, N. G. R.; SANTOS, M. F. S. Assistência estudantil sob múltiplos olhares: a disputa de concepções. Ensaios: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 25, n. 94, p. 148-191, jan. / mar. 2017.

ESTRADA, A.A.; RADAELLI, A. A política de assistência estudantil em uma universidade pública: a perspectiva estudantil. Revista Eletrônica de Política e Gestão Educacional, São Paulo, v.1, n. 16, p. 32-47, jan. / jul. 2014.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P.; SILVA, F. L.; CHAN, B. L. Análise de dados: modelagem multivariada para a tomada de decisão. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

FÁVERO, M. L. A. Universidade no Brasil: das origens a Reforma Universitária de 1968. Educar em Revista, Curitiba, n. 28, p. 17-36, jul. / dez. 2006.

FERRARI, M. A. L. D.; SEKKEL, M. C. Educação inclusiva: um novo desafio. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, n. 27, v. 4, p. 636-647, out. /dez. 2007.

FONTOURA, J. S. D.; MOROSINI, M. C. A gestão da educação superior no contexto da educação profissional e tecnológica: os diferentes focos na pesquisa. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica. Natal, v. 2, n. 13, p. 137-149, jul. / dez. 2017.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo, Atlas, 2014.

GIMENEZ, F. V. ; MACIEL, C. E. Bolsa permanência na UFSM: novas configurações e velhos desafios. Eccos, São Paulo, n. 47, p. 215-236, set./dez, 2018.

HAIR, J.F.; WILLIAM, B.; BABIN, B.; ANDRESON, R.E. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

IMPERATORI, T. K. A trajetória da assistência estudantil na educação superior brasileira. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 129, p. 285-303, maio / ago. 2017.

LIMA, W. A. S.; DAVEL, E. Implementação de políticas públicas de assistência estudantil: estratégias organizacionais na perspectiva da efetividade. Organizações em Contexto, São Bernardo do Campo, v. 14, n. 27, p. 53 – 91, jan. / jun. 2018.

MARQUES, A. C. H.; CEPÊDA, V. A. Um perfil sobre a expansão do ensino recente no Brasil: aspectos democráticos e inclusivos. Perspectivas, São Paulo, v. 42, p. 161-192, jul. / dez, 2012.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2016.

MAXIMIANO, A.C.; NOHARA, I.R. Gestão pública: abordagem integrada da administração e do direito administrativo. São Paulo: Atlas, 2017.

NASCIMENTO, C. M.; ARCOVERDE, A. C. B. O serviço social na assistência estudantil: reflexões acerca da dimensão político-pedagógica da profissão. In: Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis – Fonaprace. Revista Comemorativa 25 anos: histórias, memórias e múltiplos olhares. Uberlândia: UFU-PROEX, 2012.

OLIVEIRA, G. E.; OLIVEIRA, M. R. N. S. A permanência escolar e suas relações com a política de assistência estudantil. Revista Eletrônica de Educação, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 198-215, ago. / dez. 2015.

REIS, L. C. R. Agentes de implementação: uma maneira de analisar políticas públicas na educação brasileira. In: GODOY, M. A. B.; POLON, S. A. M. (orgs). Políticas públicas na educação brasileira. Ponta Grossa: Atena Editora, 2017.

SEN, A. Elements of a theory of human rights. Philosophy & Public Affair, v. 32, n. 4, p. 315-429, oct. 2004.

SILVA, G.P. Análise de evasão no ensino superior: uma proposta de diagnóstico de seus determinantes. Revista Avaliação, Campinas, v. 18, n 2, p. 311-333, maio / ago. 2013.

SILVA, M. G. M.; NOGUEIRA, P. S. A permanência dos estudantes na educação superior para além da assistência estudantil. Revista da Faculdade de Educação, Cuiabá, v. 25, n. 1, p. 111-129, jan. / jun. 2016.

SILVESTRE, H, C. Gestão pública: modelos de prestação no serviço público. Lisboa: Escolar, 2010.

TRIOLA, M.F. Introdução e estatística. Rio de Janeiro: LTC, 2014.

UFPA – Universidade Federal do Pará. SAEST - Relatório Anual de Atividades 2018. Disponível em: http://saest.ufpa.br/documentos/relatorio/rel.2018.pdf. Acesso em: 30 nov. 2019.

VASCONCELOS, N. Programa Nacional de Assistência Estudantil: uma análise da assistência estudantil ao longo da história da educação superior no Brasil. Ensino em Re-vista, Uberlândia, v. 2, n. 3, p. 399 - 411, jul. / dez. 2010.

Downloads

Publicado

22/06/2020

Como Citar

FADAIRO, G. F. D.; MATTOS, C. A. C. de; SANTIAGO, A. M.; TEIXEIRA, C. A. de M. A assistência estudantil no Brasil: uma avaliação na gestão da Universidade Federal do Pará. Debates em Educação, [S. l.], v. 12, n. 27, p. 370–387, 2020. DOI: 10.28998/2175-6600.2020v12n27p370-387. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/8816. Acesso em: 29 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos