Crianças como propositoras de experiências educativas na educação infantil

diálogo com a perspectiva de John Dewey

Autores

  • Rayffi Gumercindo Pereira de Souza Universidade Federal da Paraíba
  • Leonardo Rolim Severo Universidade Federal da Paraíba
  • Maria Eulina Pessoa de Carvalho Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14nEspp546-559

Palavras-chave:

Educação Infantil, Crianças, Experiência educativa, John Dewey

Resumo

Considerando os contextos das infâncias e da Educação Infantil, este artigo tem como objetivo refletir sobre as crianças como propositoras de experiências educativas. Para tanto, estabelece-se um diálogo com conceitos de educação e experiência de acordo com a perspectiva de John Dewey, considerado um precursor da Escola Nova. Aponta-se a atualidade das reflexões produzidas por este importante filósofo do início do século XX, ao se verificar a importância, necessidade e urgência de reconhecer as crianças como sujeitos protagonistas na experiência educativa da Educação Infantil na contemporaneidade.

Biografia do Autor

Rayffi Gumercindo Pereira de Souza, Universidade Federal da Paraíba

Formado em Pedagogia pela Universidade Federal de Campina Grande (UAEd/UFCG) e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Campina Grande (PPGED/UFCG). Doutorando em Educação pela Universidade Federal da Paraíba. Suas pesquisas e publicações versam sobre Educação Infantil, com ênfase em Práticas pedagógicas, Educação Infantil do e no Campo e relações de gênero. Participa do Grupo de Estudos e Pesquisas Crianças, Infâncias e Educação Infantil (GRÃO/UFCG), também compõe o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Homens e Educação (HOME), e integra o Fórum do Agreste Paraibano de Educação Infantil (FAPEI), vinculado ao Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil (MIEIB).

Leonardo Rolim Severo, Universidade Federal da Paraíba

Pedagogo. Doutor em Educação. Professor Adjunto da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), onde atua no Programa de Pós-Graduação em Educação. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Pedagogia, Trabalho Educativo e Sociedade (GEPPTES).Membro do GT 4 -Didática da ANPEd; da Associação Nacional de Didatica e Práticas de Ensino (ANDIPE); e da Rede Nacional de Pesquisadores/as em Pedagogia (RePPed). 

Maria Eulina Pessoa de Carvalho, Universidade Federal da Paraíba

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal da Paraíba (1978), Mestra em Psicologia Educacional pela Universidade Estadual de Campinas (1989) e PhD em Currículo, Ensino e Política Educacional pela Michigan State University, USA (1997). Pós-doutorado na Universidade de Valencia, Espanha (2011). Professora titular da Universidade Federal da Paraíba, lecionando no Curso de Pedagogia e no Programa de Pós Graduação em Educação. Líder do grupo de pesquisa Gênero, Educação, Diversidade e Inclusão. Pesquisa e orienta em gênero e educação superior, gênero e educação infantil, gênero e formação docente, relações escola-família e dever de casa. Bolsista de produtividade CNPq

Referências

ABBUD, Ieda. John Dewey e a Educação Infantil: entre jardineiras e cientistas. São Paulo: Cortez, 2011.

AUGUSTO, Silvana de Oliveira. A experiência de aprender na Educação Infantil. In: (Orgs.) FLORES, Maria Luiza Rodrigues; ALBUQUERQUE, Simone Santos de. Implementação do Proinfância no Rio Grande do Sul: perspectivas políticas e pedagógicas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; HORN, Maria da Graça Souza. Projetos pedagógicos na Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular para a Educação Infantil. Brasília: MEC, 2017.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC, 2009.

CARVALHO, Viviane. John Dewey e o trabalho pedagógico na educação infantil. Curitiba: Apris, 2015.

CORSARO, WILLIAM. A. Sociologia da infância. Porto Alegre: Artmed, 2011.

DEWEY, John. Arte como experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

DEWEY, John. A escola e a sociedade: a criança e o currículo. Lisboa: Relógio D’Água, 2002.

DEWEY, John. Como pensamos: como se relaciona o pensamento reflexivo com o processo educativo, uma exposição. Tradução de Haydée Camargo Campos, 4 ed. São Paulo: Editora Nacional, 1979.

DEWEY, John. Democracia e educação: introdução à filosofia da educação. 3. ed. Trad. Godofredo Rangel e Anísio Teixeira. São Paulo: Nacional, 1959.

DEWEY, John. Experiência e Educação. 3. ed. Tradução de Anísio Teixeira, São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979.

DEWEY, John. Experiência e Educação. Nova York: The Macmillan Company, 1952.

FERREIRA, Manuela; NUNES, Ângela. Estudos da infância, antropologia e etnografia: potencialidades, limites e desafios. Linhas Críticas, Brasília, Distrito Federal, v. 20, n. 41, p. 103-123, jan/abr, 2014. Disponível em: https://www.32rba.abant.org.br/arquivo/downloadpublic?q=YToyOntzOjY6InBhcmFtcyI7czozNToiYToxOntzOjEwOiJJRF9BUlFVSVZPIjtzOjQ6IjI4MDAiO30iO3M6MToiaCI7czozMjoiZjA5YzZjN2Q2ZTcwZWJhZTc5OGVjODAyMTdhZmMyYTQiO30%3D. Acesso em 10 de fev. de 2022.

GALLO, Sílvio. Educação Infantil: do dispositivo pedagógico ao “ir junto” com as crianças. In: (Orgs) Abramowicz, Anete; TEBET, Gabriela Guarnieri de C. Infância e pós-estruturalismo. São Carlos: Pedro e João Editores, 2019.

HORN, Maria da Graça Souza. Brincar e interagir nos espaços da escola infantil. Porto Alegre: Penso, 2017.

KUHLMANN JÚNIOR, Moyses. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. 5 ed. Porto Alegre: Mediação, 2010.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia; KISHIMOTO, Tizuko Morchida PINAZZA, Mônica Appezzato. Pedagogia(s) da Infância: dialogando com o passado construindo o futuro. Porto Alegre: Artmed, 2007.

QVORTRUP, Jens. A infância enquanto categoria estrutural. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n.2, p. 631-643, maio/ago. 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/M9Z53gKXbYnTcQVk9wZS3Pf/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 08 de fev. de 2022.

SARMENTO, Manuel Jacinto. As crianças e a infância: definindo conceitos, delimitando o campo. In: PINTO, Manuel; SARMENTO, Manuel Jacinto (Orgs.). As crianças contextos e identidades. Braga: Universidade do Minho, Centro de Estudos da Criança, 1997, p. 7-30.

SOUZA, Rayffi Gumercindo Pereira de; CAMPOS, Kátia Patrício Benevides; OLIVEIRA, Maria das Graças. Educação Infantil e arte: crianças e docentes como propositores de experiências educativas e artísticas. In: Infância, arte e produção cultural. Estância Velha - RS: Z Multi Editora, 2021. p. 147-170. Disponível em: https://www.zmultieditora.com.br/flipbook/deploy/pdf/e02f01362ec1ce32eacd882ba2dfcdb110da2678.pdf. Acesso: 5 abr. de 2022.

VYGOTSKI, Lev Semenovich; LURIA, Alexander Romanovich; LEONTIEV, Alexis N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2010.

WILLIAMS, Morgan K. John Dewey in the 21st Century. Journal of Inquiry & Action in Education, 9(1), p. 91-102, 2017. Disponível em: https://eric.ed.gov/?id=EJ1158258. Acesso: 10 fev. de 2022.

Downloads

Publicado

10/06/2022

Como Citar

SOUZA, R. G. P. de; SEVERO, L. R.; CARVALHO, M. E. P. de . Crianças como propositoras de experiências educativas na educação infantil: diálogo com a perspectiva de John Dewey. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. Esp, p. 546–559, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14nEspp546-559. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13392. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos