“Porque se sujar faz mais alegria!”

a hospitalidade dos dizeres das crianças e da infância para pensar o currículo

Autores

  • Vanessa Galindo Alves de Melo Universidade Federal de Pernambuco- Campus Agreste- UFPE/CAA
  • Juliana Silva Almeida Universidade Federal de Pernambuco- Campus Agreste- UFPE/CAA
  • Conceição Gislane Nóbrega Lima de Salles Universidade Federal de Pernambuco- Campus Agreste- UFPE/CAA

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14n34p21-36

Palavras-chave:

Currículo, Infância, Hospitalidade, Educação Infantil, Anos Iniciais

Resumo

O presente texto parte de uma hospitalidade incondicional como possibilidade de acolher a potência dos gestos e dos dizeres das crianças e da infância que anunciam a existência dos (im)possíveis, dos (des)encontros e (des)convites à composições outras para pensar o currículo. A produção dos dados, com base na inspiração cartográfica, nos levou a deslocamentos junto às crianças-cártografas, por entre linhas molares, moleculares e linhas de fuga. Em meio as formas universalizadas e majoritárias que envolve os currículos, as crianças invencionavam e afirmavam  às existências mínimas: currículos plurais, coloridos, alegres, alteritários, que pulsam vida no território currículoescola da Educação Infantil e dos Anos Iniciais.

Biografia do Autor

Vanessa Galindo Alves de Melo, Universidade Federal de Pernambuco- Campus Agreste- UFPE/CAA

  • Vanessa Galindo Alves de Melo é graduado/a em Pedagogia (Instituto Superior de Educação de Pesqueira- ISEP), tem Mestrado em Educação Contemporânea (Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste. É professora da Educação Infantil e dos Anos Iniciais da Rede Municipal de Ensino de Alagoinha-PE e Pesqueira-PE. Atualmente é Coordenadora Pedagógica na Secretaria Municipal de Educação de Alagoinha-PE. Tem experiência na área de educação, com pesquisa nos seguintes temas: infância, Educação infantil e currículo. Integra o Grupo de Pesquisa Discursos e Práticas Educacionais da Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste. E-mail: vanessa-gam@hotmail.com

Juliana Silva Almeida, Universidade Federal de Pernambuco- Campus Agreste- UFPE/CAA

  • Juliana Silva Almeida é graduada em pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste, tem Mestrado em Educação Contemporânea (Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste. É professora da Educação Infantil da rede provada de Caruaru-PE. Tem experiência na área de educação, com pesquisa nos seguintes temas: infância, Educação infantil e anos iniciais. Integra o Grupo de Pesquisa Discursos e Práticas Educacionais da Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste. E-mail: julianaalmeidaufpe@gmail.com

Conceição Gislane Nóbrega Lima de Salles, Universidade Federal de Pernambuco- Campus Agreste- UFPE/CAA

  • Conceição Gislane Nóbrega Lima de Salles é graduado/a em Pedagogia (Universidade Federal de Pernambuco), tem Mestrado em Educação (Universidade Federal de Pernambuco) e Doutorado em Educação (Universidade Federal de Pernambuco). É professor/pesquisador da Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste. Tem experiência na área de Educação, com pesquisa nos seguintes temas: infância no contexto da educação infantil e nos anos iniciais. É vice-líder do Grupo de Pesquisa Discursos e Práticas Educacionais da Universidade Federal de Pernambuco- Centro Acadêmico do Agreste, registrado no Diretório de Pesquisa do CNPq. E-mail: conceicao.nlima@ufpe.br

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Infância e História: destruição da experiência e origem da história. Belo Horizonte: UFMG/Humanitas, 2005.

AGAMBEN, Giorgio. Meios sem fim: notas sobre a política. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

AGAMBEN, Giorgio. Notas sobre o gesto. Artefilosofia / Instituto de Filosofia, Artes e Cultura / Universidade Federal de Ouro Preto/IFAC, n.4, (jan.2008). Ouro Preto: IFAC, 2008.

ALVES, Nilda. Cultura e cotidiano escolar. In: 25ª Reunião Anual da ANPEd. Maio/Jun/Jul/Ago Nº 23, Anais... Caxambu, MG, 2003. p. 62-74. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/drzj7WstvQxKy7t5GssT4mk/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 24 mai. 2019.

BACHELARD, Gaston. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BARROS, Laura Pozzana de; KASTRUP, Virgínia. Cartografar é acompanhar processos. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCOSSIA, Liliana da. (orgs.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015, p. 52-75.

BARROS, Manoel de. Livro sobre nada. 3ª ed. Rio de Janeiro- São Paulo. Editora Record, 1996. Disponível em: https://cs.ufgd.edu.br/download/Livrosobrenada-manoel-de-barros.pdf. Acesso em: 10 nov. 2018.

BARROS, Manoel de. Memórias inventadas: As Infâncias de Manoel de Barros. São Paulo: Planeta do Brasil, 2010.

BARROS, Manoel de. Poemas rupestres. Rio de Janeiro: Record, 2004. 75 p.

BRASIL. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana, na forma definida nesta Resolução. Seção 1, p. 44-46. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/reso510.pdf. Acesso em: 18 jul. 2019.

BURITY, Joanildo. Hospitalidade, amizade e os imperativos da ordem social. In: LOPES, Alice Casimiro Lopes; SISCAR, Marcos (Orgs.). Pensando a política com Derrida: responsabilidade, tradução, porvir. – São Paulo: Cortez, 2018.

CARVALHO, Janete Magalhães (Org.). Infância em territórios curriculares. Petrópolis, RJ: DP&A, 2012.

CARVALHO, Janete Magalhães. Cotidiano escolar como comunidade de afetos. Petrópolis, RJ: DP et alii; Brasília, DF: CNPq, 2009.

CORAZZA, Sandra Mara. O que se transcria em educação? Porto-Alegre-RS: Doisa, 2013.

CRUZ, Rosimeire Costa de Andrade. A pré-escola vista pelas crianças. 2009. Trabalho apresentado no GT 07 Educação de Crianças de 0 a 6 anos. Anais da 32ª Reunião Científica da ANPEd. Caxambu, Outubro de 2009. Disponível em: http://32reuniao.anped.org.br/arquivos/trabalhos/GT07-5619--Int.pdf. Acesso em: 05 mai. 2018.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs - capitalismo e esquizofrenia, vol. 4 / tradução de Suely Rolnik - São Paulo: Ed. 54, 1997.

DELEUZE, Gilles; PARNET, Claire. Diálogos. Trad. Eloisa Araújo Ribeiro. São Paulo: Escuta, 1998.

DERRIDA, Jacques. Anne Dufourmantelle convida Jacques Derrida a falar Da Hospitalidade. Tradução de AntonioRomane._ São Paulo: Escuta, 2003.

FARIA, Ana Paula R. LOURENÇO, Suzany Goulart. Por uma política do sensível na experiência do currículo: encontros e desencontros. In: CARVALHO, Janete Magalhães (Org.). Infância em territórios curriculares. Petrópolis, RJ: DP&A, 2012, p. 154-168.

HANSEN, João Adolfo (2002) “Educando príncipes no espelho”. In FREITAS, Marcos Cezar de  KUHLMANN JR, Moysés. (orgs.) Os intelectuais na história da infância. São Paulo: Cortez Editora, 61-98

KOHAN, Walter Omar. A infância da educação: O conceito devir-criança. In: KOHAN, Walter Omar. (org.) Lugares da infância: filosofia. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

KOHAN, Walter Omar. Infância e filosofia. In: SARMENTO, Manuel; GOUVEIA, Maria Cristina S. (Orgs.). Estudos da Infância: Educação e Práticas Sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

KOHAN, Walter Omar. Infância, estrangeiridade e ignorância. Ensaios de filosofia e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

KOHAN, Walter Omar. Paulo Freire: um menino de 100 anos. - 1 ed. - Rio de Janeiro: NEFI, 2021.

LAPOUJADE, David. As existências mínimas. São Paulo: n-1 edições, 2017, 128p.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira da Educação, jan./abr., n.19, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/Ycc5QDzZKcYVspCNspZVDxC/?format=pdf&lang=pt. Acesso em 20 abr. 2019.

Larrosa, Jorge. O enigma da infância: ou o que vai do impossível ao verdadeiro. In: Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. Tradução de Alfredo Veiga-Neto. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p. 183-198.

LARROSA, Jorge. Pedagogia Profana: danças, piruetas e mascaradas. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

LOPES, Alice Casimiro. Por um currículo sem fundamentos. Linhas Críticas, vol. 21, núm. 45, maio-agosto, 2015, pp. 445-466 Universidade de Brasília Brasília, Brasil. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/1935/193542556011.pdf. Acesso em: 24 mai.2019.

MAIA, Marta Nidia Varella Gomes. Datas comemorativas – uma construção ideológica que persiste na educação infantil. – Trabalho apresentado no GT 07 Educação de Crianças de 0 a 6 anos. Anais da 38ª Reunião Científica da ANPEd. São Luiz do Maranhão, Outubro de 2017. Disponível em: http://38reuniao.anped.org.br/sites/default/files/resources/programacao/trabalho_38anped_2017_GT07_25.pdf. Acesso em: 05 mai. 2019.

MASSCHELEIN, JAN E-ducando o Olhar: a necessidade de uma pedagogia pobre. Educação & Realidade, vol. 33, núm. 1, enero-junio, 2008, pp. 35-47. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3172/317227051005.pdf. Acesso em 31 nov. 2021.

PEREIRA, Dulcimar. Entre conversas, bonecos e currículos. In: CARVALHO, Janete Magalhães (Org.). Infância em territórios curriculares. Petrópolis, RJ: DP&A, 2012, p. 94-111.

RAMOS, Tacyana Karla Gomes. Possibilidades de organização de práticas educativas na creche em parceria com os bebês: o que “dizem” as crianças? Trabalho apresentado no GT 07 Educação de Crianças de 0 a 6 anos. Anais da 34ª Reunião Científica da ANPEd. Natal, Outubro de 2011. Disponível em: http://34reuniao.anped.org.br/images/trabalhos/GT07/GT07-1092%20int.pdf. Acesso em: 05. Mai. 2018.

SAMPAIO, Carmen Sanches; RIBEIRO, Tiago; SOUZA, Rafael de; Conversa como metodologia de pesquisa: uma metodologia menor. In: RIBEIRO, Tiago.; SOUZA, Rafael de; SAMPAIO, Carmen Sanches. Conversa como metodologia de pesquisa: por que não? Rio de Janeiro: Ayvu, 2018, p. 21-40.

SKLIAR, Carlos. A escuta das Diferenças. Ed. Mediação. 1ª ed. 2019.

SKLIAR, Carlos. Derrida & a educação. 1ed., Belo Horizonte: Autêntica, 2008ª.

SKLIAR, Carlos. La infância, La ninez, Las interrupciones. Childhood & Philosophy, vol. 8, núm. 15, enero-junio, 2012, pp. 67-81, Universidade do Estado do Rio de Janeiro Maracanã, Brasil. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=512051606004 Acesso em: 31 mai.2018.

SKLIAR, Carlos. Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse aí?. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Downloads

Publicado

27/04/2022

Como Citar

GALINDO ALVES DE MELO, V.; SILVA ALMEIDA, J. .; NÓBREGA LIMA DE SALLES, C. G. . “Porque se sujar faz mais alegria!”: a hospitalidade dos dizeres das crianças e da infância para pensar o currículo. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. 34, p. 21–36, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14n34p21-36. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13406. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Infância, narrativa e educação: diálogos pela alteridade