Representações sociais e formação docente em Química

estudo de temas emergentes e racionalidades subjacentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2023v15n37pe14912

Palavras-chave:

Formação docente, Representações sociais, Docência em química

Resumo

São investigadas as representações sociais de estudantes universitários da área de Química, matriculados em uma disciplina denominada Introdução ao Campo da Docência, acerca de temas concernentes ao magistério. Foi realizada a coleta de dados via questionário e a interpretação destes ocorreu por meio de análise de conteúdo. As reflexões construídas têm potencial para aperfeiçoar o planejamento e o desenvolvimento da formação docente, com foco reorientado para a racionalidade crítica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Ventura Fonseca, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Carlos Ventura Fonseca é professor Adjunto-1 da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), sendo vinculado ao Departamento de Ensino e Currículo (DEC) da Faculdade de Educação (FACED). Tornou-se professor da universidade em janeiro de 2017. Possui doutorado em Educação (2014), com tese versando sobre a formação de professores de Química e estruturas curriculares das licenciaturas. Em 2010, obteve o título de mestre em Química, com dissertação desenvolvida na linha de pesquisa Educação em Química. Em 2007, graduou-se em Licenciatura em Química. Toda a formação acadêmica (graduação e pós-graduação) foi realizada na UFRGS. Foi professor da rede estadual e da rede privada de ensino médio do Rio Grande do Sul (2007-2013). Atuou em cursos técnicos integrados ao ensino médio, quando foi professor efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (2013-2017). Tem experiência em docência e pesquisa na área de Educação em Química, tendo como foco de trabalho os seguintes temas: representações sociais, ensino de Química e Ciências, materiais didáticos, formação inicial e formação continuada de professores. Atualmente, desenvolve seu trabalho em cursos de graduação (Licenciatura em Química, Licenciatura em Pedagogia e Licenciatura em Educação do Campo - Ciências da Natureza) e no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde. 

Referências

ABRIC, J-C. Pratiques sociales et représentations. Paris: P.U.F, 1994.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representações Sociais: aspectos teóricos e aplicações à Educação. Em Aberto, Brasília, ano 14, n.61, p.60-78, 1994.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório Síntese de Área Química (Bacharelado/Licenciatura) - Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes, 2017.

CERICATO, I. L. A profissão docente em análise no Brasil: uma revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 97, n. 246, p. 273-289, 2016.

CRUSOÉ, N. M. de C. A teoria das representações sociais em Moscovici e sua importância para a pesquisa em educação. Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação, [S. l.], n. 2, p. 105-114, 2004.

CUNHA, M. I. da. O tema da formação de professores: trajetórias e tendências do campo na pesquisa e na ação. Educação e pesquisa, São Paulo, v. 39, p. 609-626, 2013.

DINIZ-PEREIRA, J. E. Da racionalidade técnica à racionalidade crítica: formação docente e transformação social. Perspectivas em Diálogo: revista de educação e sociedade, v. 1, n. 1, p. 34-42, 2014.

DINIZ-PEREIRA, J. E. Síntese sistemática de pesquisas sobre práticas pedagógicas no Brasil: uma análise da produção acadêmica dos Programas de Pós-Graduação em Educação Conceito 7 Capes (2006-2015). Práxis Educativa, [s.l.], v. 17, p. 1-29, 2022.

ESTEBAN, M.P.S. Pesquisa Qualitativa em Educação: Fundamentos e Tradições. Porto Alegre: AMGH, 2010.

FARIAS, I. M. S. de. et al. Didática e Docência: aprendendo a profissão. Brasília: Líber

Livro, 2009.

FERNANDES, R. C. A. Inovações pedagógicas no ensino de ciências dos anos iniciais: um estudo a partir de pesquisas acadêmicas brasileiras (1972-2012). Tese (Doutorado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2015.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de Conteúdo. 3. ed. Brasília: Líber Livro Editora, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

JODELET, D. Représentation Sociale: phénomène, concept et théorie. In: MOSCOVICI, S. (Dir.). Psychologie sociale. 2. ed. Paris: P.U.F., 1990.

LIBÂNEO, J. C. Finalidades educativas escolares em disputa, currículo e didática. In: LIBÂNEO, J. C.; et al. (Orgs.). Em defesa do direito à educação escolar: didática, currículo e políticas educacionais em debate. Goiânia: CEPED/Espaço Acadêmico, 2019.

LOCATELLI, C.; DINIZ-PEREIRA, J. E. Quem são os atuais estudantes das licenciaturas no Brasil? Perfil socioeconômico e relação com o magistério. Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 26, n. 3, p. 225–243, 2019.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MESQUITA, S. S. A. Referenciais do “bom professor” de ensino médio: exercício de articulação teórica. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 48, n. 168, p. 506-531, 2018.

MILLAR, R. Um currículo de ciências voltado para a compreensão por todos. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, p. 146-164, dez., 2003.

MOSCOVICI, S. Social psychology and developmental psychology: extending the conversation. In: DUVEEN, G.; LLOYD, B. (ed.). Social Representations and the Development of Knowledge. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

MOURA, G. N.; CHAVES, S. N. Visões e virtudes pedagógicas do ensino experimental da química. In: VII ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 2009, Florianópolis. Anais do... Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2009.

OLIVEIRA, I. T.; STEIL, L. J.; FRANCISCO-JUNIOR, W. E. Pesquisa em ensino de química no Brasil entre 2002 e 2017 a partir de periódicos especializados. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 48, n. contínuo, p. e239057-e239057, 2022.

SCHNORR, S. M.; PIETROCOLA, M. Educação em Ciências e Matemática no Brasil: uma Revisão Sistemática de 25 Anos de Pesquisa (1994–2018). Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, p. e37242-30, 2022.

SANTOS, R. M.; RECEPUTI, C. C.; PEREIRA, T. M. A Teoria das Representações Sociais nos Encontros Nacionais de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC) no período de 2007 a 2017. Crítica Educativa, [S. l.], v. 5, n. 1, p. 308–323, 2019.

SILVA, O. B.; QUEIROZ, S. L. Mapeamento da pesquisa no campo da formação de professores de química no Brasil. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 62-93, 2016.

SILVA, R. R.; MACHADO, P.F.L.; TUNES, E. Experimentar sem medo de errar. In: SANTOS, W. L. P. dos; MALDANER, O. A. (org.). Ensino de Química em foco. Ijuí: Editora Unijuí, 2013.

VEIGA, I. P. A. Docência como Atividade Profissional. In: VEIGA, I. P. A.; D’ÁVILA, C. (Org.). Profissão Docente: novos sentidos, novas perspectivas. 2. ed. Campinas: Papirus, 2010.

Downloads

Publicado

2023-05-10

Como Citar

FONSECA, Carlos Ventura. Representações sociais e formação docente em Química: estudo de temas emergentes e racionalidades subjacentes. Debates em Educação, [S. l.], v. 15, n. 37, p. e14912, 2023. DOI: 10.28998/2175-6600.2023v15n37pe14912. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/14912. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Formação Docente: Políticas e Práticas sob a perspectiva Human

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.