FORMAÇÃO DE LEITORES: QUESTÕES SOBRE A DIMENSÃO POLÍTICA DA MEDIAÇÃO DIDÁTICA

Autores

  • Adriana Cavalcanti Santos Universidade Federal de Alagoas
  • Silvana Paulina de Souza CEDU/UFAL
  • Giselly Lima de Moraes CEDU/UFAL

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2017v9n18p01

Palavras-chave:

Formação do leitor. Mediação. Didática. Política.

Resumo

A formação do leitor, compreendida como processo de apropriação de conhecimentos por meio de práticas sociais de leitura, requer o desenvolvimento de habilidades para apropriar-se de textos visando à transformação da realidade. Pautado no marco teórico sócio-interacionista da aprendizagem e da linguagem (BAKHTIN, 2012; VIGOTISKY, 1989, 1991), e teóricos críticos da educação e da didática (FREIRE, 2011; CANDAU, 2008), refletiremos sobre: 1) os saberes didático-pedagógicos mediadores entre o sujeito e os textos; e 2) a Didática, processo de reflexão sobre a mediação pedagógica, de natureza multidimensional e caráter político. No atual cenário político do país, é necessário recuperar o caráter emancipatório da leitura por meio da mediação leitora e do ensino e aprendizagem.

Biografia do Autor

Adriana Cavalcanti Santos, Universidade Federal de Alagoas

Professora Adjunto II da UFAL.

Downloads

Publicado

30/08/2017

Como Citar

SANTOS, A. C.; SOUZA, S. P. de; MORAES, G. L. de. FORMAÇÃO DE LEITORES: QUESTÕES SOBRE A DIMENSÃO POLÍTICA DA MEDIAÇÃO DIDÁTICA. Debates em Educação, [S. l.], v. 9, n. 18, p. 01, 2017. DOI: 10.28998/2175-6600.2017v9n18p01. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/3381. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Dossiê "A interface educação e linguagem: pesquisas em leitura, escrita e variação linguística"