Representações sociais sobre “ser professor de química”: a formação inicial em foco

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2018v10n21p329-355

Palavras-chave:

Formação inicial de professores. Ensino de química. Conhecimento consensual.

Resumo

O objetivo deste estudo foi investigar as possíveis representações sociais compartilhadas por licenciandos do primeiro e último ano de um curso de Química de uma Universidade Estadual paranaense sobre o “Ser professor de Química”. Foi aplicado o Teste de Associação Livre de Palavras, analisado a partir da Abordagem estruturalista e da Análise de Conteúdo. As representações dos ingressantes tenderam a uma visão mais simplista do ser professor, relacionada ao saber do conteúdo, ao saber ensinar, a experimentação realizada para comprovar teorias, a ter didática, coragem e determinação. Entre os concluintes, a formação inicial tem, de alguma forma, contribuído para que as representações sejam transformadas para patamares mais significativos como a visão do professor mediador, a didática compreendida a partir de diferentes contextos e a concepção do professor reflexivo.    

Biografia do Autor

Tânia do Carmo, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutoranda no Programa de Pós-graduaçaõ em Educação para a Ciência e a Matemática (UEM)

Mestra em Educação para o Ensino de Ciências e Matemática (UEM)

Especialista em Docência no Ensino Superior e Inspeção Escolar (Cândido Mendes)

Graduada em Química (Bacharel e Licenciatura) (UEM)

 

Carlos Alberto de Oliveira Magalhães Júnior, Universidade Estadual de Maringá (UEM) - Campus Goioerê

Professor Adjunto do Departamento de Ciências (DCI) da Universidade Estadual de Maringá.

Professor no Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência e a Matemática (UEM).

Coordenador do Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências, Formação de Professores e Represnetações Sociais (CIENCIAR)

Neide Maria Michellan Kiouranis, Universidade Estadual de Maringá (UEM) - Campus Maringá

Professora Adjunta do Departamento de Química (DQI) da Universidade Estadual de Maringá.

Professora no Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência e a Matemática (UEM).

Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Educação Química – Grupo de Investigação em Educação para a Ciência (GIEDUC).

Referências

ABRIC, J. C. A theoretical and experimental approach to the study of social representations in a situation of interaction. In FARR, R.; MOSCOVICI, S. (Orgs.). Social Representations. Cambridge: University Press, 1984. p. 169-183.

______, J.C. L’étude expérimentale des représentations sociales. In: Jodelet, D. (Ed.). Les représentations sociales. Paris: PUF, 1989. p. 187-203.

______, J. C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: Moreira A. S. P.; Oliveira D.C. Estudos interdisciplinares de representação social. 2. ed. Goiânia: AB, 2000. p. 27-38.

______, J. A. O estudo experimental das representações sociais. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 155-171.

AGUILAR, M. B. R. Representações sociais de alunos secundaristas do Timor-Leste quanto a dimensão escolar da Química. 2011. Dissertação (mestrado) – Interunidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/81/81132/tde-19072011-105710/en.php>. Acesso em 18 de fev. 2018.

ALMEIDA, A. M. O. A pesquisa em representações sociais: proposições teóricometodológicas. In: SANTOS, M. F. S.; ALMEIDA, L. M. (Orgs.). Diálogos com a teoria da representação social. Recife; Maceió: EdUFPE; EdUFAL, 2005. p. 117-160.

ALMEIDA, P. C. A.; BIAJONE, J. Saberes docentes e formação inicial de professores: implicações e desafios para as propostas de formação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 33, n. 2, p. 281-295, maio/ago. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ep/v33n2/a07v33n2.pdf>. Acesso em: 7 fev. 2018.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representações Sociais: aspectos teóricos e aplicações à educação. Revista Múltiplas Leituras, v.1, n. 1, p. 18-43, jan. / jun. 2008. Disponível em: <https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ML/article/view/1169>. Acesso em: 28 de dez. 2017.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 3. ed. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Química, 2001. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/130301Quimica.pdf>. Acesso em: 26 de mar. de 2018.

CARMO, T.; LEITE, J. C.; MAGALHÃES JÚNIOR, C. A. Aspectos metodológicos em representações sociais. In: TRIANI, F.; MAGALHÃES JÚNIOR, C. A.; NOVIKOFF, C. Representações sociais e educação: contextos e perspectivas. Rio de Janeiro: Autografia, 2017. p. 77-112.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações, 10. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

COSTA, H. R.; MARTINS, L. S. P.; SILVA, A. L. P. Contextualização e experimentação na seção “Experimentação no ensino de Química” da revista Química Nova na Escola: uma análise de 2009-2015. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS – ENPEC, 11. 2017, Florianópolis. Anais eletrônicos... Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2017. Disponível em: <http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/resumos/R1674-1.pdf>. Acesso em: 27 de mar. 2018.

COUTINHO, M. P. L. et al. (Orgs.). Representações sociais: abordagem interdisciplinar. João Pessoa: EdUFPB, 2003.

DUARTE.; M. S.; SCHWARTZ, L. B.; , SILVA, A. M. T. B.; REZENDE, F. Perspectivas para além da racionalidade técnica na formação de professores das ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS – ENPEC, 7, 2009, Florianópolis. Anais eletrônicos...Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2009. Disponível em: <http://posgrad.fae.ufmg.br/posgrad/viienpec/pdfs/novo_07.pdf>. Acesso em: 27 de mar. 2018.

FERREIRA, V. C. P.; SANTOS JÚNIOR, A. F.; AZEVEDO, R. C.; VALVERDE, G. A Representação Social do Trabalho: Uma contribuição para o estudo da Motivação. Estação Científica, v. 1, p. 1-13, 2005. Disponível em: <http://victorparadela.com/Artigos/Artigo.RST.pdf>. Acesso em: 9 mar. 2018.

FLAMENT, C. Estrutura e dinâmica das representações sociais. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 177-186.

FREITAS, D.; VILLANI, A. Formação de professores de ciências: um desafio sem limites. Investigações em Ensino de Ciências, v. 7, n. 3, p. 215-230, 2002. Disponível em: <https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/559/351>. Acesso em: 1 fev. 2018.

GALIAZZI, M. C.; GONÇALVES, F. P. A natureza pedagógica da experimentação: uma pesquisa na licenciatura em Química. Química Nova, v.27, n.2, p.326-331, 2004. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/qn/v27n2/19283.pdf>. Acesso em: 18 de mar. 2018.

GALVÃO, C. B., MAGALHÃES JÚNIOR, C. A. O. A relação entre as Representações Sociais de professores sobre Educação Ambiental e os projetos relacionados à Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 33, n. 2, p. 124-141, 2016. Disponível em: <https://periodicos.furg.br/remea/article/view/5641>. Acesso em: 19 de mar. 2018.

GATTI, B. A. Questão docente: formação, profissionalização, carreira e decisão política. In: CUNHA, C.; SOUSA, J. V.; SILVA, M. A. (Orgs) Políticas Públicas de Educação na América Latina: Lições aprendidas e desafios. São Paulo: Autores Associados, 2011. p. 303-324.

GAUTHIER, C. Por uma teoria da Pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Unijuí, 1998.

GIL–PÉREZ, D.; CARRASCOSA, J.; DUMAS–CARRÉ, A.; FURIÓ, C.; GALLEGO, N.; GENÉ, A.; GONZÁLEZ, E.; GUISASOLA, J.; MARTINEZ, J.; PESSOA, A.; SALINAS, J.; TRICÁRICO, H.; VALDÉS, P. ¿Puede hablarse de consenso constructivista en la educación científica? Enseñanza de las Ciencias, Barcelona, v. 17, n. 3, p. 503–512, 1999.

GIORDAN, M. O papel da experimentação no ensino de ciências. Química Nova Na Escola, n.10, nov. 1999. Disponível em: <http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc10/pesquisa.pdf>. Acesso em: 20 de fev. 2018.

GONÇALVES, F. P.; MARQUES C. A. Contribuições pedagógicas e epistemológicas em textos de experimentação no ensino de química. Investigações em Ensino de Ciências, v.11, n.2, p.219-238, 2006. Disponível em: <https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/494/297>. Acesso em: 30. out. 2011.

HILGER, T. R.; STIPCICH; M. S.; MOREIRA, M.A. Representações Sociais sobre Física Quântica entre estudantes de graduação brasileiros e argentinos. Lat. Am. J. Phys. Educ. vol. 11, n. 1, mar. 2017. Disponível em: <http://www.lajpe.org/mar17/1303_Rafaela_2017.pdf >. Acesso em: 24 de mar. 2018.

MADEIRA, M. C. Representações Sociais: pressupostos e implicações. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 72, n. 171, p. 129-144, maio/ago. 1991. Disponível em: <http://rbep.inep.gov.br/index.php/rbep/article/view/1292/1266>. Acesso em: 28 de fev. 2018.

MAGALHÃES JÚNIOR, C. A. O.; TOMANIK, E, A. Representações sociais e direcionamento para a educação ambiental na Reserva Biológica das Perobas, Paraná. Investigações em Ensino de Ciências, v. 17, n. 1, p. 227-248, 2012. Disponível em: < https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/214/148>. Acesso em 28 de fev. 2018.

MALDANER, O. A. A formação inicial e continuada de professores de Química. Ijuí: Ed. Unijuí, 2000.

MARQUES, S. C.; OLIVEIRA, D. C.; GOMES, A. M. T. Aids e representações sociais: uma análise comparativa entre subgrupos de trabalhadores. Psicologia: Teoria e Prática, v. 6, n. spe, p. 91-104, 2004.

MIRANDA, C. L. As representações sociais de licenciandos em Química sobre “Ser Professor”. 2014. Dissertação (mestrado) – Interunidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/81/81132/tde-15012015-154923/pt-br.php>. Acesso em: 16 de jan. 2018.

MIRANDA, C. L.; REZENDE, D. B.; LISBÔA, J. C. F. A licenciatura e a construção das representações sociais sobre o ser professor de Química. Investigações em Ensino de Ciências, v. 20, n. 2, p. 1-11, 2015. Disponível em: <https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/40/18>. Acesso em: 16 de jan. 2018.

MIZUKAMI, M. G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

MOLINER, P. Les métodes de répérage et de identification de noyaudes representations sociales. In: Guimelli, C. (ed). Structures et transformationsdes représentations sociales. Neuchâtel, Delachaux et Niestlé, 1994. p. 199-252.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

______. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2003.

NAIFF, D. G. M.; NAIFF, L. A. M.; SOUZA, M. A. As representações sociais de estudantes universitários a respeito das cotas para negros e pardos nas universidades públicas brasileiras. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 9, n. 1, p. 216-229, 2009. Disponível em: <http://www.revispsi.uerj.br/v9n1/artigos/pdf/v9n1a17.pdf>. Acesso em: 2 de mar. 2018.

NETO, P. C. P.; QUEIROZ, S. L.; ZANON, D. A. As disciplinas pedagógicas na formação e na construção de representações sobre o trabalho docente: visões de alunos de licenciatura em Química e Física. Educar, n. 34, p. 75-94. Editora UFPR. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/er/n34/05.pdf >. Acesso em: 15 de jan. 2018.

OLIVEIRA, D. C.; MARQUES, S. C.; GOMES, A. M. T.; TEIXEIRA, M. C. T. Análise das Evocações Livres: uma Técnica de Análise Estrutural das Representações Sociais. In: MOREIRA, A. S. P.; CAMARGO, B. V.; JESUINO, J. C.; NÓBREGA, S. M. Perspectiva Teórico- Metodológicas em Representações Sociais, João Pessoa, UFPB, 2005. p. 573-602.

OLIVEIRA, M. S. B. S. Representações sociais e sociedades: a contribuição de Serge Moscovici. Revista Brasileira de Ciências Sociais. v. 19, n. 55, p. 180-186, 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v19n55/a14v1955.pdf>. Acesso em: 15 de dez. 2017.

OLIVEIRA, J. R. S. Contribuições e abordagens das atividades experimentais no ensino de ciências: reunindo elementos para a prática docente. Acta Scientiae, v. 12, n. 1, jan./jun. 2010. Disponível em: < http://w3.ufsm.br/laequi/wp-content/uploads/2015/03/contribui%C3%A7%C3%B5es-e-abordagens-de-atividades-experimentais.pdf>. Acesso em: 28 de jan. 2018.

PAULA, R. M. Representações sociais de estudantes do Ensino Médio da cidade de Jundiaí sobre “orgânico”. 2011. Dissertação (mestrado) – Interunidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < https://www.google.com.br/search?q=Representa%C3%A7%C3%B5es+sociais+de+estudantes+do+Ensino+M%C3%A9dio+da+cidade+de+Jundia%C3%AD+sobre+%E2%80%9Corg%C3%A2nico&oq=Representa%C3%A7%C3%B5es+sociais+de+estudantes+do+Ensino+M%C3%A9dio+da+cidade+de+Jundia%C3%AD+sobre+%E2%80%9Corg%C3%A2nico&aqs=chrome..69i57j69i59.523j0j9&sourceid=chrome&ie=UTF-8 > Acesso em: 18 de mar. 2018.

PELLISSON, M. C. R. M. Análise de um memorial de formação: a afetividade no processo de constituição de uma professora. In: LEITE, S. A. S. (Org.) Afetividade e práticas pedagógicas. São Paulo: Caso do Psicólogo, 2011. p. 281-311.

PEREIRA, C. S. Representação social de licenciandos sobre seu objeto de estudo - a Química. 2016. 101p. Tese (doutorado) – Interunidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/81/81132/tde-07102016-144931/pt-br.php>. Acesso em: 1 mar. 2018.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In PIMENTA, S. G. (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2012. p. 15 - 35.

PINTO NETO, P. C. P.; QUEIROZ, S. L.; ZANON, D. A. V. As disciplinas pedagógicas na formação e na construção de representações sobre o trabalho docente: visões de alunos de licenciatura em Química e Física. Educar: 34, 75-94, 2009.

ROCHA, A. G. Representações Sociais sobre novas tecnologias da informação e da comunicação: novos alunos, outros olhares. 2009. Dissertação (mestrado) - Pós-graduação em Educação da Universidade Católica de Santos, Santos, 2009. Disponível em: <http://biblioteca.unisantos.br:8181/bitstream/tede/155/1/Adauto%20da%20Rocha.pdf >. Acesso em: 7 de jan. 2018.

SÁ, C. P. A construção do objeto de pesquisa em representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998.

______. Núcleo Central das representações Sociais. Petrópolis: vozes, 2002.

SCHNETZLER, R. P. Minhas trilhas de aprendizagem como educadora química. In: CARVALHO, A. M. P.; CACHAPUZ, A. F.; PÉREZ-GIL, D. (orgs.). O ensino das ciências como compromisso científico e social: os caminhos que percorremos. Editora Cortez, 2012. p. 91-112.

______. A pesquisa em ensino de química no brasil: conquistas e perspectivas. Quím. Nova, vol.25, suppl.1, p. 14-24, 2002. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/qn/v25s1/9408.pdf >. Acesso em: 15 dez. 2017.

SCHON, Donald A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÕVOA, A. (Org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: D. Quixote e IIE, 1992. p. 77-92.

SHULMAN, L. S. Those Who Understand: Knowledge Growth in Teaching. Educational Researcher, v.15, n.2. fev. 1986, p.4-14. Disponível em: < http://www.fisica.uniud.it/URDF/masterDidSciUD/materiali/pdf/Shulman_1986.pdf >. Acesso em: 10 mar. 2018.

______. Research on teaching: a historical and personal perspective. In: SHULMAN, L. S. (Org.) The wisdom of practice: essays on teaching learning, and learning to teach. San Francisco: Jossey-Bass, 2004. p. 364-381.

SILVA, C. S.; OLIVEIRA, L. A. A. Formação Inicial De Professores De Química: Formação Específica E Pedagógica. In: NARDI, R. (org). Ensino de ciências e matemática I: temas sobre a formação de professores [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. Disponível em: < https://static.scielo.org/scielobooks/g5q2h/pdf/nardi-9788579830044.pdf >. Acesso em: 7 fev. 2018.

SILVA, L. H. A., ZANON, L. B. A experimentação no ensino de ciências. In: SCHNETZLER, R. P. e ARAGÃO, R. M. R. (Orgs.). Ensino de Ciências: fundamentos e abordagens. Piracicaba: CAPES/UNIMEP, 2000.

SILVA, F. A. N. Representações sociais da disciplina Química entre alunos dos centros de excelência de Aracajú. 2011. 110p. Dissertação (mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade de Federal de Sergipe, São Cristovão, 2011. Disponível em: < https://www.sigaa.ufs.br/sigaa/public/programa/defesas.jsf?lc=pt_br&id=224 >. Acesso em: 8 mar. 2018.

SUART, R. C.; MARCONDES, M. E. R. A manifestação de habilidades cognitivas em atividades experimentais investigativas no ensino médio de química. Ciências & Cognição, v. 14, n. 1, p. 50-74, 2009.

STEDILE, N. L. R. Processos de ensinar e aprender: aprendizagem da docência na educação superior. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 14, 2008, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre, 2008. CD-ROM.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, M.; RAYMOND, D. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, ano XXI, n. 73, Dezembro/2000. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/es/v21n73/4214.pdf >. Acesso em: 21 fev. 2018.

TARTUCE, G. L. P. B.; NUNES, M. M. R.; ALMEIDA, P. C. A. Aluno do ensino médio e atratividade da carreira docente no Brasil. Cadernos de Pesquisas. V. 40, n.140, p. 445-447, 2010. Disponível em: < http://www.scielo.br/readcube/epdf.php?doi=10.1590/S0100-15742010000200008&pid=S0100-15742010000200008&pdf_path=cp/v40n140/a0840140.pdf&lang=pt >. Acesso em: 18 fev. 2018.

TEIXEIRA, M. C. T. V.; BALÃO, S. M. S.; SETTEMBRE, F. M. Saliência de conteúdos de representação social sobre o envelhecimento: análise comparativa entre duas técnicas associativas. Revista Enfermagem UERJ, v. 16, n.4, p. 518-524, 2008. Disponível em: < http://www.facenf.uerj.br/v16n4/v16n4a11.pdf >. Acesso em: 28 jan. 2018.

TOMANIK, E. A.; TOMANIK, M. C. O Ambiente Conhecido: Estudo das Representações Sociais Sobre a Natureza Compartilhadas pelos Adolescentes de Porto Rico, Paraná. In: UEM. Nupélia/Peld. A planície de inundação do alto rio Paraná: Site 6. Maringá: Nupélia, relatório de pesquisa, 2002. Disponível em: < http://www.peld.uem.br/Relat2002/pdf/comp_social_econ_Ambiente.pdf>. Acesso em: 28 de abril 2017.

VOGEL, M. Influências do PIBID na representação social de licenciandos em Química sobre ser “professor de Química”. 2016. 220p. Tese (doutorado) – Interunidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/81/81132/tde-02062016-105635/pt-br.php>. Acesso em: 18 mar. 2018.

Downloads

Publicado

31/08/2018

Como Citar

CARMO, T. do; MAGALHÃES JÚNIOR, C. A. de O.; KIOURANIS, N. M. M. Representações sociais sobre “ser professor de química”: a formação inicial em foco. Debates em Educação, [S. l.], v. 10, n. 21, p. 329–355, 2018. DOI: 10.28998/2175-6600.2018v10n21p329-355. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/4903. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos