A proposta do ensino pela pesquisa em um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p383-401

Palavras-chave:

Ensino de Ciências, Ensino Tecnológico, Institutos Federais, Ensino pela Pesquisa, Formação de Professores.

Resumo

Esse artigo relata uma investigação que objetiva construir resposta para a pergunta Como a pesquisa em sala de aula está inserida nas propostas pedagógicas da área das Ciências da Natureza em um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia? Foi feita análise documental em Planos de Ensino nos componentes da área das Ciências da Natureza em três câmpus de um Instituto Federal no estado do Rio Grande do Sul. Nesses Planos de Ensino foram analisadas as informações encontradas nas seções objetivo geral, metodologia e avaliação. As informações aí encontradas foram tratadas por meio da Análise Textual Discursiva de onde emergiram três categorias: Os objetivos presentes nos Planos de Ensino, As possibilidades pedagógicas do professor e As propostas de avaliação presentes nos Planos de Ensino. Conclui-se ao final do artigo que a concepção de pesquisa desses professores investigados ainda privilegia formas transmissivas e tradicionais de ensino, sendo a pesquisa tratada como de investigação científica e não como princípio pedagógico. 

Biografia do Autor

Marcus Eduardo Maciel Ribeiro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-riograndense (IFSul)

Doutor em Educação em Ciências e Matemática pela PUCRS. Possui graduação em QUÍMICA - BACHARELADO (1991), graduação em LICENCIATURA EM CIÊNCIAS (1986) e graduação em QUÍMICA - LICENCIATURA (1990) e Mestrado em Educação em Ciências e Matemática, todas pela PUCRS - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Atualmente é professor de Química do Instituto Federal Sul-rio-grandense - IFSul e professor colaborador no PPGECE na Universidade Federal do Rio Grande, FURG. Coordenou o 35º EDEQ - Encontro de Debates sobre o Ensino de Química. Tem experiência na área de ENSINO de Química desde 1987, no Ensino Médio. Pesquisa nas linhas do Ensino pela Pesquisa, PIBID e Formação de Professores por meio de Comunidades de Prática.

Referências

AMORIM, M.M.T. A organização dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia no conjunto da educação profissional brasileira. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto, 1994.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional da Educação. Câmara Nacional de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica/Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

CACCIAMANI, J.L.M.; RIBEIRO, M.E.M.; SANTOS, S.A. A pesquisa como princípio pedagógico na construção curricular no ensino de química e na formação de professores. In: PASTORIZA, B.S.; SANGIOGO, F.A.; BOSENBECKER, V.K. (org.). Reflexões e Debates em Educação Química: ações, inovações e políticas. Curitiba: CRV, 2017. p. 209-230.

COLL, C., POZO, J.I., SARABIA, B., VALLS, E. Os Conteúdos na Reforma: ensino e aprendizagem de conceitos, procedimentos e atitudes. Porto Alegre: Artmed, 2000.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 6. ed. Campinas: Autores Associados, 2003.

GARDNER, H. Inteligência: um conceito reformulado. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

GONÇALVES, F. P.; MARQUES, C. A. Contribuições pedagógicas e epistemológicas em textos de experimentação no ensino de Química. Investigações em Ensino de Ciências, v.11, n.2, p.219-238, 2006.

LESSARD-HÉBERT, M.; GOYETTE, G.; BOUTIN, G. Investigação qualitativa: fundamentos e práticas. Lisboa: Instituto Piaget, 2012.

LISO, M.R.J.; GUADIX, M.A.S.; De MANUEL, E.T. Química cotidiana para la alfabetización cientifica: realidade o utopia? Educación Química. v. 13, n. 4, p. 259-266. Outubro de 2002.

LUCKESI, C.C. Avaliação da aprendizagem: componente do ato pedagógico. São Paulo: Cortez, 2011.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.E.D.A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 2012.

MÁRQUEZ, C.; ROCA, M.; GÓMEZ, A.; PUJOL, R.M. La construcción de modelos explicativos complejos mediante preguntas mediadoras. Investigación em la escuela. Barcelona. 2004.

MORAES, R.; GALIAZZI, M.C. Análise textual discursiva. Ijuí: Editora UNIJUÍ. 2011.

MORAES, R.; GALIAZZI, M.C.; RAMOS, M.G. Pesquisa em sala de aula: fundamentos e pressupostos. In: MORAES, Roque, LIMA, Valderez M. do R. (org.). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

NOÉ, M. A importância das listas de exercícios. Sem data. Site Brasil Escola. https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/a-importancia-das-listas-exercicios.htm. Último acesso: 10 jun 2018.

OMNIA, Rede. Quem somos. Sem data. http://www.redeomnia.com/quem-somos. Último acesso em: 10 jun 2018.

PACHECO, E.M. Institutos federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. In: PACHECO, E. (org.). Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Brasília e São Paulo: Moderna, 2011.

___________. Fundamentos político-pedagógicos dos institutos federais: diretrizes para uma educação profissional e tecnológica transformadora. Natal: IFRN, 2015.

PACHECO, E.M.; PEREIRA, L.A.C.; SOBRINHO, M.D. Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: limites e possibilidades. Linhas Críticas. v. 16, n. 30, p. 71-88. Brasília, 2010.

RAMOS, M.G.; RIBEIRO, M.E.M.; GALIAZZI, M.C. Análisis Textual Discursivo en proceso: investigando la percepción sobre el aprendizaje de profesores y futuros graduados em Química. Campo Abierto, v. 34 n. 2, p. 125-140, 2015.

RIBEIRO, M.E.M.; ROSA, M.P.A.; SOUZA, M.M.L.; RAMOS, M.G. O educar pela pesquisa como proposta de reorganização curricular: relato de uma atividade de formação de professores. Anais do 33º Encontro de Debates sobre Ensino de Química. Ijuí, 2013.

RIBEIRO, M.E.M.; RAMOS, M.G. O interesse dos alunos em aulas de Química no contexto de uma comunidade de prática de professores: um estudo de caso. IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Atas ... Águas de Lindoia, 2013. Disponível em http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/ixenpec/atas/resumos/R1487-1.pdf .

SILVA, L. H. A.; ZANON, L. B. A experimentação no ensino de ciências. In: SCHNETZLER, R.P.; ARAGÃO, R. M. R. Ensino de Ciências: fundamentos e abordagens. Piracicaba: CAPES/UNIMEP, 2000. p.120-153.

SPECHT, C.C.; RIBEIRO, M.E.M.; RAMOS, M.G. Estudo das perguntas de professores e estudantes em aulas de Química. Revista Thema. v. 14, n. 1. p. 225 – 242. 2017.

THIESEN, J.G.; RIBEIRO, M.E.M. A influência da iniciação à pesquisa na construção da aprendizagem no ensino de Ciências nos anos iniciais: relato de uma prática docente. Revista Thema. v. 15, n. 2, p. 603 – 620. 2018.

WARTHA, E.J.; SILVA, E.L.; BEJARANO, N.R.R. Cotidiano e Contextualização no Ensino de Química. Química Nova na Escola, v. 35, n. 2, p. 84 - 91. Maio de 2013.

Downloads

Publicado

31/08/2019

Como Citar

RIBEIRO, M. E. M. A proposta do ensino pela pesquisa em um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 383–401, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n24p383-401. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6375. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê “Práticas, pesquisas e reflexões sobre a educação profissional, científica e tecnológica no Brasil"

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)