As TIC como instrumento de preservação da identidade social das comunidades campesinas de Petrolina/PE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p175-196

Palavras-chave:

Ensino Campesino, Nucleação, Identidade, TIC

Resumo

A prefeitura de Petrolina/PE realizou nas últimas duas décadas dois processos de nucleação nas escolas rurais, com o objetivo de entender como estes processos influenciaram as sociedades campesinas por eles atingidas e paralelamente identificar como a utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) poderiam ser utilizadas para minimizar os efeitos sociais e administrativos destes processos, é que foi realizado este estudo. Tomando como referência uma pesquisa exploratória e de campo, foi possível qualificar a forma como os fechamentos das escolas campesinas influenciaram na perda de identidade cultural por parte dos membros dos grupos social, que foram levados a conviver com novas sociedades de hábitos culturais próximos, porém distintos; perdendo os laços de convívio que as mantinham unidas, constatação que provavelmente seria minorada se práxis pedagógicas que fizessem usos de novas TIC tivessem sido utilizadas pela gestão municipal nas escolas rurais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elijalma Augusto Beserra, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)

Possui graduação em Direito pela Faculdade dos Guararapes (2008) e graduação em Engenharia Civil pela Universidade de Pernambuco (1995). Atualmente é Analista em Desenvolvimento Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba - CODEVASF/ DF. Tem experiência na área de Direito do Trabalho e em Engenharia Civil, com ênfase em Hidráulica e Saneamento Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: Saneamento, Meio Ambiente, Recursos Hídricos, desenvolvimento de praticas de convivo harmônico com os efeitos da seca e captação de água em mananciais subterrâneos mediante a perfuração e montagem de poços tubulares. Na área educacional apresenta experiência em práxis em Educação de Meio Ambiente e Sociologia, com ênfase em Sociologia do Desenvolvimento Social, Sociologia Ambiental, desenvolvendo temas como: Educação Ambiental, Meio Ambiente, Interdisciplinaridade, Degradação Socioambiental, Saúde Ambiental e Hidráulica e Meio Ambiente através do Projeto Escola Verde da UNIVASF. Participa de Projetos de Pesquisa em Educação Ambiental Interdisciplinar como bolsista em Iniciação Científica do PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência da UNIVASF.

Marcelo Silva de Souza Ribeiro, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)

Possui graduação em Psicologia pelo Centro de Ensino Superior de Maceió (1994), Especialização em Educação Especial (UFAL/1994) e Educação a Distância (SENAC – AL/2011), Especialização em Produção de Mídias para Educação Online (UFBA/2018), Mestrado em Educação em Pesquisa - Université du Québec (2003) e doutorado em Ciências da Educação - Université du Québec à Chicoutimi / Université du Québec à Montréal (2013). Atualmente é pós doutorando da UFBA, Departamento de Educação, vincluado ao grupo de pesquisa FORMACCE, tendo como orientador o prof. Roberto Sidnei Macedo. Professor adjunto da Universidade Federal do Vale do São Francisco, lotado no Colegiado de Psicologia, professor do Mestrado em Psicologia (Univasf), professor programa de Mestrado em Formação Docente da Universidade de Pernambuco – UPE (Campus Petrolina) e editor da Revista de Educação do Vale do São Francisco – Revasf. Coordena do projeto de pesquisa, “A relação das crianças com os seus pais o lugar da brincadeira”; em cooperação internacional com a Université du Québec à Trois Riviéres (UQTR). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Psicologia Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: infância, novas tecnologias, processos inclusivos e formação profissiona

Referências

ANTUNES, Ricardo. O continente do Labor. São Paulo: Boitempo, 2011.

AQUINO, Rubim Santos Leão de; MENDES, Francisco Roberval; BOUCINHAS, André Dutra. Pernambuco em chamas: Revoltas e revoluções em Pernambuco. Recife: Massangana, 2009.

BRASIL. Decreto Nº 7.352, de 4 de novembro de 2010 - dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/docman/marco-2012-pdf/10199-8-decreto-7352-de4-de-novembro-de-2010/file>. Acesso em: 15 Jan. 2018.

BRASIL. Decreto Nº 6.300, de 12 de dezembro de 2011 – dispõe sobre o Plano Nacional de Tecnologia Educacional – PROINFO. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6300.htm>. Acesso em 17 Dez. 2017.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 01 Fev. 2018.

BRASIL. Resolução CNE/CEB 1, de 3 de abril de 2002. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13800-rceb001-02-pdf&category_slug=agosto-2013-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 21 Jan. 2018.

BRASIL. Parecer CNE/CEB nº 36/2001, Aprovado em 4 de dezembro de 2001. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/pet/323-secretarias-112877938/orgaos-vinculados-82187207/12992-diretrizes-para-a-educacao-basica>. Acesso em: 21 Jan. 2018.

BRASIL. Ministério Da Educação. Caderno SECAD, Brasília, 2007. Disponível em: 01 Fev. 2018. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/educacaocampo.pdf>. Acesso em: 01 Jan. 2018.

BRASIL. Ministério Da Educação. Recursos repassados pelo PDDE – Ensino fundamental: município de Petrolina/PE. Disponível em: <http://painel.mec.gov.br/painel/detalhamentoIndicador/detalhes/municipio/muncod/2611101>. Acesso em: 22 Fev. 2018.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande e senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 48ª ed. Recife: Global, 2003.

FNDE. Relatórios da Auditoria Interna – Ano 2016: Relatório de auditoria nº. 7/2016. Disponível em:<http://www.fnde.gov.br/component/k2/item/10885-ai-relatorios-auditoria-interna-2016>. Acesso em: 18 Fev. 2018.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e estatística. Ensino: Matrículas, docentes e rede escolar. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/petrolina/pesquisa/13/5902>. Acesso em: 02 Fev. 2018.

IDEB, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Resultados e metas: Escolas do município de Petrolina/PE. Disponível em: <http://ideb.inep.gov.br/resultado/>. Acesso em: 29 jan. 2018.

INEP. Número de Estabelecimentos de Educação Básica no Ensino Regular: Por localidade e dependência administrativa. Disponível em: <http://inepdata.inep.gov.br/analytics/saw.dll?PortalGo>. Acesso em: 20 Fev. 2018.

INEP. Resultados finais do Censo Escolar: Escolas do município de Petrolina. Disponível em: <http://matricula.educacenso.inep.gov.br/controller.php>. Acesso em 15 Fev. 2018.

PERNAMBUCO. Secretaria de Educação. Relação das Escolas com seus respetivos diretores e endereço: GRE Sertão do Médio São Francisco. Disponível em: <http://www.educacao.pe.gov.br/portal/upload/galeria/15347/GRE%20Sert%C3%A3o%20do%20M%C3%A9dio%20S%C3%A3o%20Francisco%20-%20Petrolina-2018.pdf>. Acessado em: 19 fev. 2018.

REIS, Rafaela da Silva; LEITE, Bruno Silva; LEÃO, Marcelo Brito Carneiro. Percepções sobre a incorporação das TIC em cursos de licenciatura em química no Brasil. Revista Debate e Educação, v. 2, n. 23, p. 1-18, jan./abr. 2019. CEDU. UFAL. Disponível em: < http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/5125/pdf>. Acessado em: 15 mai. 2019.

REIS, Edmerson dos Santos. Educação do Campo: Escola, Currículo e Contexto. Juazeiro: ADAC, 2011.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: Método e Técnicas. 3ª ed, São Paulo: Atlas, 2015.

ROSA, Eliana Cristina. O histórico das TIC1c nos países Brasil e Argentina e a democratização da universidade. Revista de extensão da UFMG, v. 5, n. 1, p. 5-14, jan./jun. 2017. Disponível em: < file:///C:/Users/user/Downloads/207-797-1-PB.pdf>. Acessado em: 14 mai. 2019.

SANTOS, Andréa Cristina Pedrosa dos. A formação continuada e o papel do gestor enquanto fortalecimento das escolas do campo na conquista do espaço democrático e valorização sociocultural campesina. UFPR, Ibaiti. 2014. Disponível em: <http://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/50123/R%20-%20E%20-%20ANDREA%20CRISTIANA%20PEDROSO%20DOS%20SANTOS. pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 01 Jan. 2018.

SIOPE. Sistema de Informações Sobre Orçamentos Públicos em Educação: Dados informados pelo Município de Petrolina. Disponível em: <https://www.fnde.gov.br/siope/relatoriosMunicipais.jsp>. Acesso em: 11 Fev. 2018.

TERRA. 100 maiores PIB’s da agropecuária, 2012. Disponível em: <https://www.terra.com.br/economia/infograficos/pib-agropecuario/>. Acesso em: 4 fev. 2018.

Downloads

Publicado

2019-08-31

Como Citar

BESERRA, Elijalma Augusto; RIBEIRO, Marcelo Silva de Souza. As TIC como instrumento de preservação da identidade social das comunidades campesinas de Petrolina/PE. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 175–196, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n24p175-196. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6868. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê “Tecnologias e educação: usos, efeitos e reflexões sobre a formação no cotidiano das instituições educacionais”

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.