Análise dos estilos de aprendizagem de alunos do Ensino Técnico na disciplina de Operações Unitárias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p431-452

Palavras-chave:

Estilos de aprendizagem, Ensino técnico e profissionalizante, Modelo de Felder-Silverman.

Resumo

A necessidade de um novo perfil profissional estimula a busca por um método de ensino que supra as demandas atuais da sociedade. Este estudo teve como objetivo a análise dos diferentes estilos de aprendizagem de alunos de curso Técnico em Química da disciplina de Operações Unitárias do Instituto Federal do Espírito Santo – Campus Vila Velha, visando tornar a disciplina, que tem um caráter integrador e interdisciplinar, mais acessível ao público heterogêneo de alunos. Para identificação dos estilos de aprendizagem foi aplicado um questionário baseado no modelo Felder & Silverman (1988). Por intermédio de testes estatísticos identificou-se predominância pelo estilo intermediário. Porém, para diferentes semestres, turnos e gêneros observaram-se preferências pontuais distintas, fato que constitui um desafio ao professor mediador. Em continuação a este estudo, serão inseridas na disciplina práticas pedagógicas buscando atender os diferentes perfis de alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Izabela de França Schaffel, Instituto Federal do Espírito Santo (IFES)

Técnica em Química (2016) e atualmente cursando Bacharel em Química Industrial pelo Instituto Federal do Espírito Santo - IFES, campus Vila Velha ES. Desenvolve trabalhos de pesquisa (iniciação cientifica) voltados a área de química analítica, com o controle de qualidade do óleo residual de fritura e educação, com a análise dos estilos de aprendizagem de alunos da disciplina de operações unitárias.

Adriana Elaine da Costa, Instituto Federal do Espírito Santo (IFES)

Mestre (2005) e Doutora (2011) em Engenharia Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), tendo realizado período de mobilidade acadêmica de Doutorado na Universitat Politècnica de Calatunya (Barcelona - Espanha, 2010). Graduada em Engenharia Química pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2003). Atualmente, Professora e Pesquisadora no Instituto Federal do Espírito Santo - IFES, em Vila Velha-ES. Ministra disciplinas das áreas de Fenômenos de Transportes, Processos Industriais Orgânicos, Cálculo de Reatores e Operações Unitárias. Desenvolve trabalhos de pesquisa (iniciação científica e trabalhos de conclusão de curso) voltados para as áreas Desenvolvimento de Processos Químicos e Biotecnológicos, Simulação e Otimização de Processos e Educação.

Estela Cláudia Ferretti, Instituto Federal do Espírito Santo (IFES)

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2003) e doutorado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Tem experiência na área de Engenharia Química, com ênfase em Tratamento de Resíduos e Tratamento de Águas de Abastecimento e Residuárias.

Fátima Peres Zago de Oliveira, Instituto Federal Catarinense (IFC)

É doutora em Educação Científica e Tecnológica (UFSC/2017); mestre em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004); e, graduada em Matemática - Licenciatura Plena pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (1990) e em Ciências pela Fundação Educacional Unificada do Oeste de Santa Catarina (1988). Professora titular do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal Catarinense. Conhece as Feiras de Matemática desde a sua primeira edição (1985) e é coordenadora da comissão permanente das Feiras de Matemática. Atua na organização e na formação de professores de Feiras desde 1999 e participa da Comissão Permanente das Feiras de Matemática desde a sua constituição em 2001. Atua e pesquisa na área de Matemática, com ênfase em Educação Matemática e formação de professores, com os principais temas: educação matemática crítica, feiras de matemática, iniciação científica, CTS, ciência e tecnologia e processo civilizatório.

Janaína Karine Andreazza, Centro Universitário Sociesc (UNISOCIESC)

Possui graduação em Engenharia de Alimentos pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003) e doutorado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (2007). Atualmente, professora e pesquisadora dos cursos de graduação em engenharia química e engenharia mecânica do Centro Universitário Sociesc (UNISOCIESC), em Joinville-SC, e docente online para Ânima Digital. Ministra disciplinas das áreas de Fenômenos de Transportes, Simulação e Controle de Processos, Modelagem Numérica e Operações Unitárias. Desenvolve trabalhos de pesquisa (iniciação científica e trabalhos de conclusão de curso) voltados para as áreas de Simulação de Processos na área de biomedicina e de indústria químicas e alimentícias.

Referências

BELHOT, R.V.; FIGUEIREDO, R.S.; MALAVÉ, C.O. O Uso da Simulação no Ensino de Engenharia. In: XXIX CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO DE ENGENHARIA, 2001, Porto Alegre, RS. Anais. Porto Alegre, 2001.

BELHOT, R.V.; FREITAS, A.A.; DORNELLAS, D.V. Benefícios do Conhecimento dos Estilos de Aprendizagem no Ensino de Engenharia de Produção. In: XXXIII CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO DE ENGENHARIA, 2005, Campina Grande, PB. Anais. Campina Grande, 2005.

BENFATTI, E.F.; FRANCO, L.R.; BUSTAMANTE, D.B. Ajustando as Dinâmicas Individuais e de Grupo aos Estilos de Aprendizagem para um Ambiente Virtual. Florianópolis SC, 2005.

BORGES, L. C; FERREIRA, D. F. Comparação de duas aproximações do teste t com variâncias heterogêneas através de simulação. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 23, n. 2, p. 390-403, 1999.

CURY, H.N. Estilos de Aprendizagem de Alunos de Engenharia. In: XXVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO DE ENGENHARIA, 2000, Ouro Preto, MG.

FELDER, R.M.; BRENT, R. Understanding Student Differences. Journal of Engineering Education, v.94, n 94 (1), p. 57-72, 2005.

FELDER, R.M.; SILVERMAN, L.K. Learning and Teaching Styles in Engineering Education. Engineering Education, v.78, n.7, p. 674-681, 1988.

FELDER, R.M.; SOLOMAN, B.A. Index of Learning Styles (ILS). 1991. Disponível em: <http://www.ncsu.edu/felder-public/ILSpage.html>. Acesso em julho 2017.

FELDER, R.M.; SPURLIN, J.E. Applications, Reliability, and Validity of the Index of Learning Styles. International Journal of Engineering Education, v.21, n.1, p. 103-112, 2005.

JESUS, E.M.S ; VIEIRA, M. L. C. ; SANTOS, D. V. ; CARVALHO, A. A. . Metodologias de ensino e os estilos de aprendizagem na graduação em farmácia: um estudo piloto. POLÍTICA E GESTÃO EDUCACIONAL (ONLINE) , v. 21, p. 621-639, 2017.

KEIRSEY, DAVID & BATES, MARILYN. Please Understand Me – Character & Temperament Types. Gnosology Books Ltd. 1984

KOLB, D. Experiential learning. Englewood Cliffs. New Jersey: Prentice Hall. 1984.

KURI, Nidia Pavan. Tipos de Personalidade e Estilos de Aprendizagem: Proposições para o Ensino de Engenharia. 2004. 337 f. Tese (Doutorado) – Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, São Carlos, 2004.

LOPES, W.M.G. ILS – Inventário de Estilos de Aprendizagem de Felder-Saloman: Investigação de sua Validade em Estudantes Universitários de Belo Horizonte. Dissertação (Mestrado) – Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Florianópolis: Centro Tecnológico da Universidade Federal de Santa Catarina, 2002.

MYERS, Isabel Briggs; MYERS, Peter B. Gifts Differing: Understanding Personality Type. 2ª ed. Editora Nicholas Brealey Publishing. 2004.

PEREIRA, Luiz Teixeira do Vale; BAZZO, Walter Antonio. Ensino de Engenharia: na busca do seu aprimoramento. Florianópolis: Editora da UFSC. 1997.

ROSÁRIO, Jeane de Almeida. Estilos de aprendizagem de alunos de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos da UFSC: O caso da disciplina de Análise e Simulação de Processos, 2006. 113 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

SATTHERTHWAITE, F. E. An approximate distribution of estimates of variance components. Biometric Bulletin, London, v. 2, p. 110-114, 1946.

SILVA, R. B. V.; FERREIRA, D. F. Alternativas para o teste t com variâncias heterogêneas avaliadas por meio de simulação. Ciência e Agrotecnologia, Lavras , v. 27, n. 1, p. 185-191, 2003.

SNEDECOR, George W.; COCHRAN, Wilian G. Statistical Methods. 7ª edição. Editora: Iowa State University. 1980.

VALASKI, Joselaine; MALUCELLI, Andreia; REINEHR, Sheila. Revisão dos Modelos de Estilos de Aprendizagem Aplicados à Adaptação e Personalização dos Materiais de Aprendizagem. In: XXII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 2011, Aracaju. Anais. Aracaju, 2011.

ZWYNO, Malgorzata S. A Contribution to Validation of Score Meaning for Felder- Soloman’s Index of Learning Styles. In: American Society for Engineering Education Annual Conference & Exposition, 2003, Nashville. Anais. Nashville, 2003.

Downloads

Publicado

2019-08-31

Como Citar

SCHAFFEL, Izabela de França; DA COSTA, Adriana Elaine; FERRETTI, Estela Cláudia; DE OLIVEIRA, Fátima Peres Zago; ANDREAZZA, Janaína Karine. Análise dos estilos de aprendizagem de alunos do Ensino Técnico na disciplina de Operações Unitárias. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 431–452, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n24p431-452. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6895. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Dossiê “Práticas, pesquisas e reflexões sobre a educação profissional, científica e tecnológica no Brasil"

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.