Antropologia e educação: interdisciplinaridade e aspectos do ensino, leitura e trabalho de campo

Anderson Tibau

Resumo


A possibilidade de construção da interdisciplinaridade entre os campos da antropologia e da educação é abordada, neste texto, a partir da exposição do itinerário de formação e aspectos da prática pedagógica de um professor do curso de licenciatura em pedagogia do Instituto de Educação da Universidade Federal Fluminense em Angra dos Reis. Isto posto, objetiva fazer a síntese integrada de algumas referências clássicas do campo da antropologia, relativizar modos de conceber e realizar a leitura de textos antropológicos e apresentar estratégias de construção do olhar antropológico e do desenvolvimento de etnografias. Trata-se de perceber, dentro de um amplo processo de diálogo e cruzamento de saberes, como se constituiu a disciplina antropológica e o lugar ocupado pela teoria e pela prática no ensino e aprendizado da antropologia e educação.


Palavras-chave


antropologia; educação; interdisciplinaridade; ensino; pesquisa; aula campo

Texto completo:

PDF

Referências


BARTH, Fredrik. O Guru, o Iniciador e Outras Variações Antropológicas (organização de Tomke Lask). Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2000.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica; In: FERREIRA, Marieta de Moraes & AMADO, Janaína (orgs.). Usos & abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1998a.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998b. BOURDIEU, Pierre. Questões de Sociologia. Rio de Janeiro: Editora Marco Zero Ltda, 1983.

BOURDIEU, Pierre. Sistemas de ensino e sistemas de pensamento; In: BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1974.

BRANDÃO, Zaia (org.). A Crise dos Paradigmas e a Educação. São Paulo: Editora Cortez, 1994.

DaMATTA, Roberto. Você tem cultura?; In: DaMATTA, Roberto. Explorações – ensaios de sociologia interpretativa. Rio de Janeiro: Rocco, 1986. DaMATTA, Roberto. O ofício do etnólogo, ou como ter “Anthropological Blues”; In: NUNES, Edson de Oliveira (org.). A aventura sociológica – objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978. DAUSTER, Tania. An interdisciplinary experience in anthropology and education: memory, academic project and political background; In: Virtual Brazilian Anthropology – Vibrant. [on-line]. v. 12, n. 2. Brasília, DF. January 1, 2016. Disponível na Word

Wide Web: ISSN 1809-4341

DAUSTER, Tania; TOSTA, Sandra Pereira & ROCHA, Gilmar (orgs.). Etnografia e educação: culturas escolares, formação e sociabilidades infantis e juvenis. Rio de Janeiro: Lamparina, 2012.

DAUSTER, Tania. Um saber de fronteira – entre a antropologia e a educação; In: DAUSTER, Tania (org.). Antropologia e educação. Um saber de fronteira. Rio de Janeiro: Editora Forma & Ação, 2007.

DAUSTER, Tania. Construindo pontes – a prática etnográfica e o campo da educação; In: DAYRELL, Juarez (org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1996.

DAUSTER, Tania. Navegando contra a corrente? O educador, o antropólogo e o relativismo; In: BRANDÃO, Zaia (org.). A Crise dos Paradigmas e a Educação. São Paulo: Editora Cortez, 1994.

DAVY, Georges. La foi jurée - étude sociologique du problème du contrat. La formation du lien contractuel. Paris: Librairie Félix Alcan, 1922.

DAYRELL, Juarez (org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1996.

DURHAM, Eunice Ribeiro. Uma nova visão da antropologia; In: DURHAM, Eunice Ribeiro (org.). Malinowski – Antropologia. Coleção Grandes Cientistas Sociais. São Paulo: Editora Ática, 1986.

GEERTZ, Clifford. O saber local – novos ensaios em antropologia interpretativa.

Petrópolis: Editora Vozes, 2000.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1989. GENNEP, Arnold van. Os ritos de passagem: estudo sistemático dos ritos da porta e da soleira, da hospitalidade, da adoção, gravidez, nascimento, infância, puberdade, iniciação, ordenação, coroação, noivado, casamento, funerais estações, etc. Petrópolis: Editora Vozes, 2013.

INGOLD, Timothy. O dédalo e o labirinto: caminhar, imaginar e educar a atenção; In: Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 21, n. 44, p. 21-36, jul./dez. 2015.

INGOLD, Timothy. Da transmissão de representações à educação da atenção; In: EDUCAÇÃO, Porto Alegre, vol. 33, n.1, jan./abr. 2010.

LASK, Tomke. Apresentação; In: O Guru, o Iniciador e Outras Variações Antropológicas (organização de Tomke Lask). Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2000.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Como se faz um etnógrafo; In: LÉVI-STRAUSS, Claude. Tristes trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

MALINOWSKI, Bronislaw. Introdução: o assunto, o método e o objetivo desta investigação; In: DURHAM, Eunice Ribeiro (org.). Malinowski – Antropologia. Coleção Grandes Cientistas Sociais. São Paulo: Editora Ática, 1986.

MAUSS, Marcel. As técnicas do corpo; In: MAUSS, Marcel. Sociologia e antropologia.

São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

MEAD, Margaret. Sexo e temperamento. São Paulo: Perspectiva, 1988.

MINNER, Horace. Body ritual among the Nacirema; In: American Anthropologist, vol. 58, pp. 503-507, 1956.

OLIVEIRA, Amurabi. Etnografia e pesquisa educacional: por uma descrição densa da educação; In: Educação Unisinos, setembro/dezembro 2013.

ROCHA, Gilmar. Inventário do Saber. Diálogos entre antropologia, educação e patrimônio cultural; In: IV Reunião Equatorial de Antropologia. XIII Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste. 04 a 07 de agosto de 2013 – Fortaleza. Vol. 1, 2014, Anais do Congresso.

TIBAU, Anderson. Marcel Mauss e Roger Chartier: as técnicas do corpo e o leitor entre limitações e liberdade, In: Educação on-Line (PUCRJ), v. 9, p. 01-10, 2012a. TIBAU, Anderson. Pelos mares da baía da Ilha Grande; In: DAUSTER, Tania; TOSTA, Sandra Pereira & ROCHA, Gilmar (orgs.). Etnografia e educação: culturas escolares, formação e sociabilidades infantis e juvenis. Rio de Janeiro: Lamparina, 2012b. TIBAU, Anderson. Acerca da socialização e da sociabilidade no grafite; In: DAUSTER, Tania (org.). Antropologia e educação. Um saber de fronteira. Rio de Janeiro: Editora Forma & Ação, 2007.

VELHO, Gilberto. Antropologia e educação: “diálogo e perspectivas”; In: DAUSTER, Tania; TOSTA, Sandra & ROCHA, Gilmar (orgs.). Etnografia e educação. Rio de Janeiro: Lamparina, 2012.

VELHO, Gilberto. Observando o familiar; In: NUNES, Edson de Oliveira (org.). A aventura sociológica – objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n23p346-363

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.