Uma cultura de diálogo em aulas de química

argumentações sobre suplementação alimentar

Autores

  • Joanna de Paoli Universidade de Brasília (UnB) Secretaria de Estado de Educação (SEEDF)
  • Patrícia Fernandes Lootens Machado Universidade de Brasília (UnB)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p878-905

Palavras-chave:

Argumentação, Ensino de Ciências, Suplementos alimentares

Resumo

Este trabalho objetiva analisar processos de elaborações argumentativa por alunos de Ensino Médio, em um debate motivado por um estudo de caso sobre a dilemática dos usos dos suplementos alimentares. A partir do estudo da gênese e desenvolvimento da argumentação, identificamos e analisamos em que medida a intervenção pedagógica em aulas de Química, por meio do ensino de conceitos, apoia a complexificação de seus discursos relativos a processos alimentares e cuidados com a saúde na busca de um corpo socialmente idealizado. Como resultado e contribuições para a área de ensino, defendemos a essencialidade da prática argumentativa heterogênea – não como uma ação pontual ou fragmentada – mas como uma cultura fundamental a ser estabelecida no processo de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joanna de Paoli, Universidade de Brasília (UnB) Secretaria de Estado de Educação (SEEDF)

Professora de Química da Secretaria de Educação do Distrito Federal (DF), Licenciada em química pela Universidade de Brasília (UnB) e Mestre em Ensino de Ciências (PPGEC - UnB). Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências (PPGEduC-UnB), membro do Círculo Vigotskiano - Grupo de Estudos em Teoria Histórico-Cultural (UnB) e pós-graduada em Psicomotricidade Escolar (IMPI). Eixos de interesse: Educação Química, Ensino em Ciências, Ensino da argumentação; Educação Científica e Cidadania; Questões Sociocientíficas; Inclusão de pessoas com deficiência, Inclusão de pessoas com transtorno do espectro autista.

Patrícia Fernandes Lootens Machado, Universidade de Brasília (UnB)

Professora Associada no Instituto de Química da Universidade de Brasília, bacharel em química pela UFC. Possui Mestrado e Doutorado em Ciência de Materiais pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais da UFRGS. Tem pós-doutorado em Educação Química Catholic University of America (CUA) em Washington, DC, EUA. Eixos de interesse: Educação Química, com ênfase no ensino de Ciências e de Química; Educação Científica e Cidadania; Educação CTS; Questões Sociocientíficas; Formação de Professores de Ciências.

Referências

AZEVEDO, M. N.; ABIB, M. L. V. S. O arco-íris em foco: a linguagem como mediação do ensino e da aprendizagem sobre conhecimentos físicos. Rev. Bras. Educ., v.23, 2018.

BILLIG, M. Argumentando e pensando: uma abordagem retórica à psicologia social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância Sanitária. Regulamento Técnico para Fixação de Identidade e Qualidade Alimentos para Praticantes de Atividades Físicas. Portaria n. 222, mar., 1998.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria da Vigilância Sanitária. Dispõe sobre alimentos para atletas. Resolução-RDC n. 18, 27 de abr., 2010.

BRETON, P. A argumentação na comunicação. Bauru SP: EDUSC, 1999.

CACHAPUZ, A. PRAIA, J. JORGE, M. Da Educação em Ciência às orientações para o Ensino das Ciências: um repensar epistemológico. Ciência & Educação, v. 10, n. 3, p. 363-381, 2004.

COVRE, M. L. M. O que é cidadania. São Paulo: Brasiliense, 1995.

DALLO, L.; PALUDO, K. I. Idolatria ao corpo na sociedade contemporânea: implicações aos adolescentes. X Congresso Nacional de Educação. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba, 7-10 de nov., 2011.

DAMIANI, M. F.; ROCHEFORT, R. S.; CASTRO, R. F.; DARIZ, M. R.; PINHEIRO, S. N. S. Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Cadernos de Educação, n.45, p.57-67, 2014.

DRIVER, R.; NEWTON, P. Establishing the norms of a scientific argumentation in classrooms. Paper prepared for presentation at the ESERA Conference, Roma, 2-6, set., 1997.

HIRSCHBRUCH, M. D.; FISBERG, M.; MOCHIZUKI, L. Consumo de suplementos por jovens frequentadores de academias de ginástica em São Paulo. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, Niterói, v. 14, n. 6, dez., p. 539-543, 2008.

IBRAIM, S. S.; JUSTI, R. Ações docentes favoráveis ao ensino envolvendo argumentação: estudo da prática de uma professora de química. Investigações em ensino de ciências (online), v. 23, p. 311-330, 2018.

JIMÉNEZ-ALEIXANDRE, M. P. 10 ideas clave: competencias en argumentación y uso de pruebas. Barcelona: Graó. 2010.

LE COUTEUR, P. Natural or Man-Made Chemicals. Presentation at ChemEd. Vancouver, B.C., Canada, 2005.

LEITÃO, S. O lugar da argumentação na construção de conhecimento em sala de aula. In: LEITÃO, S.; DAMIANOVIC, M. C. (Orgs.). Argumentação na escola: o conhecimento em construção. Campinas: Pontes Editores, 2011.

LOPES, A. F.; MENDONÇA, E. S. Ser jovem, ser belo: a juventude sob holofotes na sociedade contemporânea. Rev. Subjetividade, Fortaleza, v. 16, n. 2, ago., p. 20-33, 2016.

MALDANER, O. A. Formação de professores para um contexto de referência conhecida. In: NERY, B. K; MALDANER, O. A. (Orgs.) Formação de professores: compreensões em novos programas e ações. Ijuí: ed. Unijuí, 2014.

MARRAPA, M. Suplementos alimentares Esporte Espetacular Globo. [s.d.]. (7m36s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=gISf_MSqc5c>. Acesso em 10 set. 2020.

MENDES, M. R. M.; SANTOS, W. L. P. Argumentação em discussões sociocientíficas. Investigações em Ensino de Ciências, v. 8, n. 3, p. 621-643, 2013.

NOGUEIRA, F. R.; SOUZA, A.; BRITO A. Prevalência do uso e efeitos de recursos ergogênicos por praticantes de musculação nas academias brasileiras: uma revisão sistematizada. Rev. Bras. de Ativ. Física & Saúde, v.18, n. 1, mai., p. 16-30, 2013.

OSBORNE, J.; ERDURAN, S.; SIMON, S. Enhancing the quality of argumentation in School Science. Journal of research in Science Teaching, v. 41, n. 10, p. 994-1020, 2004.

PERFACE, I. ANVISA proíbe venda de quatro suplementos alimentares. 2014. (3m34s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=YjvGZFBuryY>. Acesso em 10 set. 2020.

PLANTIN, C. A argumentação: história, teorias, perspectivas. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

SÁ, L. P. Estudo de casos na promoção da argumentação sobre questões sociocientíficas no ensino superior de Química. 2010. 278 f. Tese de Doutorado - Departamento de Química, Universidade de São Carlos, São Carlos, 2010.

SÁ, L. P.; FRANCISCO, C. A.; QUEIROZ, S. L. Estudos de caso em química. Química Nova, v. 30, n. 3, p. 731-739, 2007.

SANTOS, W. L. P.; MORTIMER, E. F. Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem CTS (Ciência-Tecnologia-Sociedade) no contexto da Educação Brasileira. Revista Ensaio-Pesquisa em Educação em Ciências, v. 2 n. 2, p.133-162, dez., 2002.

SASSERON, L. H.; DUSCHL, R. Ensino de ciências e as práticas epistêmicas: o papel do professor e o engajamento dos estudantes. Investigação em Ensino de Ciências, v.21, n. 2, 52-67, 2016.

SILVA, L. M. L.; BIESEK, S. Guia alimentar para atletas. In: BIESEK, S.; ALVES, L. A. GUERRA, I. (Orgs.) Estratégias e Suplementação no esporte. Barueri, SP: Manole, 2 ed., p. 163-176, 2010.

TOULMIN, S. Os usos do argumento. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VIGOTSKI, L. S. Pensamiento y habla. Buenos Aires: Colihue, 2007.

VIGOTSKI, L. S. Obras Escogidas III: Problemas del desarrollo de la psique. Madri: Machado Grupo de Distribuición, 2012a.

VIGOTSKI, L. S. (1928-1931) Obras Escogidas IV: Paidología del adolescente – Problemas de la psicología infantil. Madri: Machado Grupo de Distribuición, 2012b.

VIGOTSKI, L. S. Obras Escogidas V: Fundamentos de defectología. Madri: Machado Grupo de Distribuición, 2012c.

VIGOTSKI, L.S. Teoria e método em psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

VILLANI, C. E. P.; NASCIMENTO, S. S. A argumentação e o Ensino de Ciências: uma atividade experimental no laboratório didático de física do ensino médio. Investigações em Ensino de Ciências, v. 8, n. 3, p. 187-209, 2003.

VOLÓCHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Editora 34, 2 ed., 2018.

ZEIDLER, D. L.; SADLER, T. D.; SIMMONS, M. L.; HOWES, E. V. Beyond STS: a research-based framework for socioscientific issues education. Wiley InterScience, 23, mar., p. 357-377, 2005.

Downloads

Publicado

2021-11-30

Como Citar

PAOLI, Joanna de; MACHADO, Patrícia Fernandes Lootens. Uma cultura de diálogo em aulas de química: argumentações sobre suplementação alimentar. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. Esp2, p. 878–905, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13nEsp2p878-905. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/11266. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.