Narrativas de si e os sentidos da formação em pedagogia nos agradecimentos de trabalhos acadêmicos

Autores

  • Angelica Silvana Pereira Universidade Federal de Santa Catrina (UFSC)
  • Mariana Lins de Oliveira Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Jeane Félix da Silva Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14n35p76-92

Palavras-chave:

Narrativas de si., Relação com os saberes., Vida universitária.

Resumo

No âmbito deste artigo nos interessa discutir acerca dos sentidos atribuídos à vida universitária e à formação em Pedagogia nas narrativas que constituem os textos de gratidão de 189 Trabalhos de Conclusão, durante os anos de 2015 e 2018. Os Agradecimentos configuram-se como uma prática cultural que se processa pela escrita, e como tal, são locus privilegiado de narrativas de si. As análises tecidas a partir da teoria cultural, apontam que os Agradecimentos revelam um exercício de escrita de si e uma estratégia que permite aos/às estudantes refletirem sobre os modos como vão se constituindo ao longo dos seus processos formativos, indicando desafios, saberes e afetos experienciados na universidade.

Biografia do Autor

Angelica Silvana Pereira, Universidade Federal de Santa Catrina (UFSC)

Mestra e doutora em Educação. Professora do Departamento de Estudos Especializados em Educação, Centro de Ciências de Educação da UFSC.

Mariana Lins de Oliveira, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Mariana Lins de Oliveira, pedagoga, mestre e doutora em educação pela Universidade Federal de Pernambuco, professora adjunta do Departamento de Psicopedagogia da Universidade Federal da Paraíba. 

Jeane Félix da Silva, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutora em Educação (2012), com estágio de pós-doutorado (2013-2015), pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Mestra em Educação (2005) e Pedagoga (2002) pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Professora Adjunta vinculada ao Centro de Educação da Universidade Federal de Alagoas (Cedu/UFAL) e do Programa de Pós-graduação em Educação da UFPB.
Vice-líder dos seguintes grupos de pesquisa: Grupo de Pesquisa Juventudes, Culturas e Formação (GPEJUV/UFAL); Grupo de Estudos e Pesquisas em Pedagogia, Trabalho Educativo e Sociedade (GEPPTES/UFPB) e Grupo de Estudos Gênero, Educação Diversidade e Inclusão (GEDI/UFPB)

Referências

CHARLOT, Bernard. Dos fundamentos antropológicos de uma teoria da relação com o saber. Revista Internacional Educon, Volume 2, n. 1, jan./mar. 2021, Aracaju, 2021.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez, 2013.

COULON, Alain. O ofício de estudante: a entrada na vida universitária. Educ. Pesquisa., São Paulo, v. 43, n. 4, p. 1239-1250, out./dez., 2017.

CULLER, Jonathan. Teoria Literária. São Paulo: Beca, 1999.

DINIZ, Débora. Carta de uma orientadora: O primeiro projeto de pesquisa. Brasília: Letras Livres, 2013.

FELIX, Jeane; OLIVEIRA, Mariana Lins. A educação não-escolar como potencializadora de processos (trans)formativos de jovens universitários/as. Interfaces Científicas. Aracaju. V.9, N.3, p. 83-95. Número Temático, 2020.

FERLINI, Maria Amazilia Penna de Moraes. Bibliotecas e Bibliotecários Universitários: representações no gênero discursivo Agradecimentos em teses e dissertações. 2013. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2013, Porto Alegre, BR-RS.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? In: FOUCAULT, Michel. Estética: literatura e pintura, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001 (Ditos e escritos III).

FOUCAULT, Michel. A Escrita de Si. In: FOUCAULT, Michel. Ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004 (Ditos e Escritos V).

LARROSA, Jorge. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. Belo Horizonte: Autêntica 2006.

LARROSA, Jorge. La experiência de la lectura. Barcelona: Lertes, 1996.

LARROSA, Jorge. Tecnologías del yo y educación: notas sobre la construcción y la mediación pedagógica de la experiencia de sí. In: LARROSA, Jorge (Org). Escuela, poder y subjetivacion. Madrid: Graficas Pinares, 1995, p.259-327.

LARROSA, Jorge. Tremores – Escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. 23ª ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

MOITA LOPES, Luis Paulo. Práticas narrativas como espaço de construção das identidades sociais: uma abordagem socioconstrucionista. In: RIBEIRO, Branca Telles; LIMA, Cristina Costa; DANTAS, Maria Tereza Lopes (orgs). Narrativa, identidade e clínica. Rio de Janeiro: Edições IPUC/CUCA, 2001.

PEREIRA, Angelica S. Repertórios Culturais nos Textos de Agradecimento dos Trabalhos de Conclusão do Curso de Pedagogia. Universidade Federal de Santa Catarina, 2020. Relatório de Pesquisa EED/CED/UFSC.

RAGO, Margareth. A aventura de contar-se – Feminismos, escrita de si e invenção da subjetividade. Campinas: Ed. Unicamp, 2013.

REIS, Rosimeire. Diálogos entre as Questões de Pesquisa que Orientam a Teoria da Relação com o Saber de Bernard Charlot e da Pesquisa Biográfica em Educação de Christine Delory-Momberger. Revista Internacional Educon - 672, Volume 2, n. 3, e21023003, set./dez. 2021.

Downloads

Publicado

31/08/2022

Como Citar

PEREIRA, A. S.; LINS DE OLIVEIRA, M. .; FÉLIX DA SILVA, J. . Narrativas de si e os sentidos da formação em pedagogia nos agradecimentos de trabalhos acadêmicos. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. 35, p. 76–92, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14n35p76-92. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13757. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê "Estudantes da universidade, narrativas e relação com o saber"