Narrativas sobre o estágio supervisionado no curso de física licenciatura

uma figura do aprender na formação inicial

Autores

  • Willdson Robson Silva do Nascimento Universidade Estadual do Maranhão
  • Eanes Correia Universidade Federal de Sergipe (UFS)
  • Veleida Anahi da Silva Universidade Federal de Sergipe (UFS)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14n35p260-278

Palavras-chave:

Ensino de Física, Estágio Supervisionado, Figuras do Aprender, Narrativas, Relação com o saber

Resumo

O artigo tem como objetivo compreender que relação com o ensinar o discente estabelece durante o componente curricular Estágio Supervisionado Anos Finais do Ensino Fundamental, no curso de Física Licenciatura da Universidade Estadual do Maranhão, a partir das primeiras experiências narradas com a regência de aulas para formação pedagógica. Desta forma, se pergunta: que relação com o ensinar o licenciando estabelece durante o estágio supervisionado aliado a regência de aula para a sua formação pedagógica? É um estudo qualitativo do tipo exploratório-descritivo, tendo como instrumento de constituição de dados as narrativas dos discentes, balanço do saber, relatório final de estágio, e a organização de dados, baseada em análise de conteúdo. Utilizou-se a Relação com o Saber, de Bernard Charlot. Assim, o que fez sentido na relação com o ensinar dos discentes no lugar-saber, estágio, a partir das dimensões identitária, social e epistêmica com a Física, podem ser percebidos por meio das narrativas dos próprios licenciandos.

Biografia do Autor

Willdson Robson Silva do Nascimento, Universidade Estadual do Maranhão

Licenciado em Física, Mestre e Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Campus Bauru. Docente da Universidade Estadual do Maranhão. Membro do Grupo de Pesquisa Ensino de Ciências e Inclusão Escolar- ENCINE/UNESP/CNPq. Membro do Grupo de Estudo e Pesquisa Educação e Contemporaneidade - EDUCON/UFS/CNPq.

 

 

Veleida Anahi da Silva, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Licenciada em Ensino de Ciências e Matemática, Doutora em Ciências da Educação pela Universidade de Paris VIII, docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática e em Educação da Universidade Federal de Sergipe. Líder do Grupo de Pesquisa Educação e Contemporaneidade – EDUCON/UFS/CNPq.

Referências

BRETON, H. Investigação narrativa: entre detalhes e duração. REPI – Revista Educação, Pesquisa e Inclusão, Boa Vista, v. 1, n. 1 (especial), p. 12-22, 2020. Disponível em: https://revista.ufrr.br/repi/article/view/e20201. Acesso em 15 mar. 2022

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CES 9/2002. Diário Oficial da União, Brasília, 26 de março de 2002.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 2/2002. Diário Oficial da União, Brasília, 4 de março de 2002.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

CHARLOT, B. (2000). Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre, RS: Artmed.

CHARLOT, B. Os jovens e o saber: perspectivas mundiais. Porto Alegre, Artmed, 2001.

CHARLOT, B. Relação com o saber, Formação de Professores e Globalização: questões para a educação hoje. 1ªed. Porto Alegre: ARTMED, 2005.

CHARLOT, B. A mobilização no exercício da profissão docente. [16 de março, 2012]. Rio de Janeiro: Revista Contemporânea de Educação. Entrevista concedida ao I Colóquio Internacional de Formação Inicial e Continuada de Professores de Línguas Estrangeiras.

CHARLOT, B. Educação ou Barbárie? Uma escolha para a sociedade contemporânea. Tradução Sandra Pina. São Paulo: Cortez, 2020.

CORREIA, E. S. O CORPO-OUTRO: discursos e sentidos de estudantes de graduação da Universidade Federal de Sergipe. 2022. Tese (Doutorado em Educação- Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão.

CORREIA, E. S.; SILVA, V. A.; NASCIMENTO, W. R. S.; CHARLOT, Y. C. A Unidade Dialética Ensino e Aprendizagem: Um Processo Não Linear. Revista Internacional Educon, Aracaju, v.1, n. 1, p. 1-12, 2020.

DELORY-MOMBERGER, C. Fundamentos epistemológicos da pesquisa biográfica em educação. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.27, n.01, p.333-346, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102- 46982011000100015&lng=pt&nrm=isso Acesso em 10 mar. 2022.

FRANCISCO, W. A Relação com Saber e o Ensino de Química: fundamentos teóricos para analisar o processo de aprendizagem em atividade de sala de aula. Investigações em Ensino de Ciências, Rio Grande do Sul, v.24, p. 01-21, 2019.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FLICK, U. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

JOSSO, Marie-Christine. A transformação de si a partir da narração de histórias de vida. Educação, Porto Alegre, v. 3, n. 63, p. 413-438, 2007. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/2741 Acesso em 10 marc. 2022.

LIMA, G. K. Discursos na Relação Transferencial Monitor/Criança em um Observatório Astronômico. 2020. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência- Programa de Pós-graduação em educação para a ciência, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru.

ORLANDI, E. P.. Análise de discurso: princípios & procedimentos. 10. ed. Campinas, SP: Pontes, 2012.

PÊCHEUX, M. (1981). A língua inatingível: o discurso na história da linguística. Campinas, Pontes, 2004.

LACAN, J. Seminário II (1954-1955): o eu na teoria de Freud e na Técnica da psicanálise. Rio de Janeiro: (Zahar), 1975.

YOSHIKAWA, R. C. S. Contradições na Atividade de Aprendizagem em Ciências: uma crítica à “inclusão” de alunos com deficiência visual. 2019. Tese (Doutorado em Educação)- Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DO MARANHÃO. Portal da Saúde. DECRETOS. Disponível em: https://www.saude.ma.gov.br/decretos/ . Acesso em 26 jan. 2022.

TUAN, Yi-Fu. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. 1930. Tradução de Lívia de Oliveira, São Paulo: Difel, 1983.

VYGOTSKY, L. Pensamento e linguagem. SP, Martins Fontes,1988.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO. Projeto Pedagógico do Curso de Física Licenciatura. Disponível em: http://www.fisica.uema.br/wp-content/uploads/2018/03/Projeto-Pedag%C3%B3gico-do-Curso-de-F%C3%ADsica-Licenciatura.pdf . Acesso em: 10 fev. 2022.

Downloads

Publicado

31/08/2022

Como Citar

NASCIMENTO, W. R. S. do .; CORREIA, E. .; DA SILVA, V. A. Narrativas sobre o estágio supervisionado no curso de física licenciatura: uma figura do aprender na formação inicial. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. 35, p. 260–278, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14n35p260-278. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13643. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê "Estudantes da universidade, narrativas e relação com o saber"

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)