Retalhos de experiências exitosas em Educação Profissional e Tecnológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p564-585

Palavras-chave:

Interdisciplinaridade, Sustentabilidade, Práticas pedagógicas, Educação integrada, Educação Profissional e Técnica de Nível Médio.

Resumo

Este artigo relata experiências exitosas de ensino-aprendizagem, no contexto da Educação Profissional Técnica de Nível Médio, a partir de práticas pedagógicas interdisciplinares. A discussão acontece no âmbito dos trabalhos desenvolvidos, durante a Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (SEPE), por alunos dos cursos técnicos integrado ao ensino médio do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense, Campus Araquari, num evento satélite conhecido como Painel de Integração de Conhecimentos (PIC). Como exemplo, será discutido o processo de desenvolvimento de um protótipo de piso térmico, construído com materiais reciclados. Nesse caso, o objetivo foi estudar condições favoráveis a promoção de conforto térmico para leitões. A proposta tecnológica desenvolvida pelos alunos é apresentada como uma estratégia didática, tendo em vista a transformação da escola em ambiente de criação de ferramentas de trabalho, possibilitando interações com a natureza capazes de promover resultados favoráveis aos indivíduos e à sociedade.

Biografia do Autor

Leandro Marcos Salgado Alves, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Catarinense (IFC)

Formação em Física, com ênfase em Física da matéria condensada. Com atuação principalmente nos seguintes temas: física de plasma, tratamento de materiais, descarga com barreira dielétrica, reator de plasma com geometria planar operado em pressão atmosférica. Mestrado e doutorado em Ciências, com ênfase em supercondutores e materiais de baixa dimensionalidade. Atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento de novos materiais e estudo de suas propriedades físicas e estruturais. Atualmente professor de Física do IFC, campus Araquari.

Reginaldo Leandro Plácido, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Catarinense (IFC)

Doutorado em Educação pela UNIMEP (Capes 5). Doutoramento Intercalar em História da Educação na Universidade de Lisboa, Mestre em Teologia e História pelo IEPG da Escola Superior de Teologia (Capes 7). Graduação em Pedagogia pela Univille (2005) e graduação em Teologia pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. Professor do Programa de Graduação Stricto Sensu em Educação Profissional e Tecnológica/IFC. Professor EBTT do Instituto Federal Catarinense, campus Araquari. Coordenador Geral de Programas e Políticas de Ensino (Pró-reitoria de Ensino) do Instituto Federal Catarinense Participa dos grupos de Pesquisa: Educação e Protestantismo - GPEP (UNIMEP-SP); Saberes, Fazeres e Discursos da Docência (IFC); Observatório social: culturas, linguagens e subjetividades (IFC). Desenvolve Pesquisa em História das instituições escolares; História e Política da Educação Profissional e Tecnológica. História, Filosofia e Política da Educação na Primeira República; História e Teologia do Protestantismo no Brasil.

Filipe Pereira Faria, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Catarinense (IFC) Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico vinculado ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - Campus Araquari-SC, no qual ministra a disciplina de Física junto aos cursos Técnicos Integrados ao ensino Médio e as disciplinas de Física Geral (I, II e III) junto ao curso de Licenciatura em Química. Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência (FC/Unesp - Campus de Bauru). Licenciado em Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (FCT/UNESP - Campus de P. Prudente) e Mestre em Educação para a Ciência (FC/Unesp - Campus de Bauru). Tem experiência no ensino de Física e outras disciplinas científicas para estudantes de nível fundamental, médio e superior. Atua em Ensino, Pesquisa e Extensão na área de Ensino de Ciências com ênfase no Ensino de Física e Química, principalmente nos seguintes temas: Filosofia, História e Sociologia da Ciência no Ensino de Ciências, Epistemologia, Formação inicial e continuada de professores e Experimentação para o Ensino de Ciências. 

Michel Luís Rohr, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Catarinense (IFC)

É estudante do curso técnico em agropecuária integrado ao ensino médio no Instituto Federal Catarinense - IFC, no campus Araquari. Bolsista de Iniciação científica de nível médio do IFC. Possui ensino-fundamental-(primeiro-grau) pela Escola Selma Teixeira Graboski (2016).

Referências

ALVES, Cláudio José. O desenho como suporte para os artistas viajantes no Brasil Imperial. V Encontro de História da Arte. Campinas: IFCH/Unicamp, 2009.

BRASIL. Acordo entre o Estado de Santa Catarina e o governo federal. Página 38 da seção 1 do diário oficial da união (dou) de 4 de março de 1954.

______. Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909. Cria nas capitais dos Estados da República Escolas de Aprendizes Artífices, para o ensino profissional primário gratuito. Disponível em: <http://www.ufpr.edu.br/a-instituição/documentos-institucionais>. Acesso: 07 jan. 2019.

______. Instituto Federal Catarinense, Campus Araquari. Regimento interno do Painel de integração do IFC – Campus Araquari, 2018.

______. Lei nº. 378, de 13 de janeiro de 1937. Dá nova organização ao Ministério da Educação e Saúde Pública. Publicada no Diário Oficial da União no dia 15/01/1937, Página 1210, Coluna 1. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1930-1939/lei-378-13-janeiro-1937-398059-publicacaooriginal-1-pl.html>. Acesso: 07 jan. 2019.

______. Lei n. 6.545 de 30 de junho de 1978. Dispõe sobre a transformação das Escolas Técnicas Federais de Minas Gerais, do Paraná, e Celso Suckow da Fonseca, do Rio de Janeiro, em Centro Federais de Educação Tecnológica. 1978.

______. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. D.O.U. Seção 1, de 30 de dezembro de 2008. Brasília, DF, 2008.

______. MEC/Setec. Concepção e diretrizes – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Brasília: MEC/Setec, 2008.

______. Ministério da Educação. Decreto-Lei nº 4.127, de 25 de fevereiro de 1942. Estabelece as bases de organização da rede federal de estabelecimentos de ensino industrial. Disponível em: <http://legis.senado.gov.br/legislacao/ListaNormas.action?numero=4127&tipo_norma=DEL&data=19420225&link=s>. Acesso em: 07 jan. 2019.

CRISTOFOLINI, Nilton José; POCERA, Joverci Antonio; MONZANI,Rodrigo Martins; OLIVEIRA, Sueli Regina. Os 50 anos do ensino agrícola em Araquari - uma história de sucesso! Instituto Federal Catarinense Campus Araquari. Jaraguá do Sul: Gráfica Arte Impressa, 2009.

CRUZ, Maria Waleska. A pesquisa em sala de aula – interlocução entre teoria e prática: uma crítica na trama necessária. In: Aprender e ensinar: diferentes olhares e práticas [recurso eletrônico] / organizadoras Maria Beatriz Jacques Ramos, Elaine Turk Faria. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: PUCRS, 2011. 299 p. Disponível a partir do <http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/Ebooks/Pdf/978-85-397-0076-9.pdf> Acesso em 14 Jan. 2019.

CUNHA, L. A. O ensino de ofícios artesanais e manufatureiros no Brasil escravocrata. São Paulo/Brasília: UNESP/Flacso, 2000.

DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. Campinas: Editora Autores Associados, 2011.

DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Nº 63 DE 18 DE MARÇO DE 1954 – SEÇÃO 1, p.38. Disponível em: <http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2467153/dou-secao-1-18-03-1954-pg-38>. Acesso em 13 jan. 2019.

DOMINGUES, Heloísa M. B. "O Jardim Botânico do Rio de Janeiro". In Espaços da Ciência no Brasil - 1800 a 1930. Org. DANTES, Maria Amélia. Editora FIOCRUZ, 2001. p. 27-56.

FERREIRA, C. M. et al. Biodigestor para o gás do lixo orgânico. Exacta, Belo Horizonte, EditoraUniBH. V. 4, n. 2 – Edição Especial Interdisciplinaridade. P.5-17, 2011.

FERREIRA, Jr. Amarilio. História da Educação brasileira: da colônia ao século XX. São Carlos: EdUFSCar, 2010.

FREITAS, H.T. Manejo para desmame de leitões aos 21 dias de idade. 1996. 43f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 1996.

GARCIA, Francisco Aírton. Escola de Iniciação Científica Carlos Gomes de Oliveira: 1959-1970. 1989. 34 f. Monografia (Especialização)-Curso de História da América, Departamento de História, Fundação Universidade da Região de Joinville, Joinville, 1989.

GASPAR, Alberto. A educação formal e a educação informal em ciências. Ciência e Público. s.d. Disponível em: http://www.casadaciencia.ufrj.br/Publicacoes/terraincognita/cienciaepublico/artigos/art14_aeducacaoformal.pdf. Acesso em 14 Jan. 2019.

GÜTTSCHOW, Gisele Gutstein. Escola de Iniciação Agrícola de Araquari - SC: criação, currículos e formação profissional (1954-1967). 2018. Tese (Doutora em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Setor de Educação. Universidade Federal do Paraná. Curitiba/PR.

FONSECA, C. S. História do ensino industrial no Brasil. 5 vols. Rio de Janeiro: SENAI/DN/DPEA, 1986

MAXIM Integrated Products. DS18B20 - Programmable Resolution 1-Wire Digital Thermometer. 2015. Disponível em: <https://datasheets.maximintegrated.com/en/ds/DS18B20.pdf>. Acesso em: 23 de Abr. de 2018.

MORAES, N. et al. Fatores de risco associados à diarréia, mortalidade e ao baixo desempenho dos leitões. Concórdia, v. 178, p. 1 – 5, 1991.

MORAES, N. Fatores que limitam a produção de leitões na maternidade. Concórdia, v. 2, n. 9, p. 1 – 5, 1993.

MORAES, Roque. Educar pela Pesquisa: Exercício de aprender a aprender. In: MORAES, Roque; LIMA, Valderez Marina do Rozário. Pesquisa em sala de aula: Tendências para educação em novos tempos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

NESSLER, Duval. A prática do futebol: o veículo de socialização dos educandos do colégio agrícola de Araquari. 1994. 53 f. Trabalho de conclusão do Curso de Pós-graduação em educação física escolar. UNIVILLE, Joinville, 1994.

OLIVEIRA, E. S. Memória histórica da Faculdade de Medicina da Bahia. Concernente ao ano de 1942. Universidade Federal da Bahia: Salvador, p. 83-87, 1992.

PACHECO, E. M. (Org.). Institutos Federais: uma revolução na Educação profissional e Tecnológica. Brasília/DF, São Paulo/SP: Moderna, 2011.

PLACIDO, Reginaldo Leandro. Uma leitura do Colégio Izabela Hendrix no início do ‘seculo XX: implantação, fixação e consolidação. 229 f. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 2012.

PLACIDO, Reginaldo Leandro; SCHONS, Manuir; SOUZA, Maria José Carvalho de. Utilização das estratégias de ensino-aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Revista Dynamis, Blumenau: Editora FURB, v. 23, n. 1, p. 40-57, 2017.

PLACIDO, Reginaldo Leandro; DE LUCCA, Anelise Grünfeld; SOUZA, Gabriela Cristina. Uma proposta didática para o ensino de química: a aplicação do jogo químicasa. Revista Formação@Docente, Belo Horizonte: Editora Izabela Hendrix, v. 10, n. 1, p. 89-110, 2018.

ROHR, Michel Luís; CHAVES, Jefferson de Oliveira; ALVES, Leandro Marcos Salgado. Integrando Agropecuária, Física e Informática para o bem-estar animal: conforto térmico para suínos. Anais do Encontro Nacional de Computação dos Institutos Federais (ENCompIF/CSBC), [S.l.], v. 5, n. 1/2018, july 2018. Disponível em: <http://portaldeconteudo.sbc.org.br/index.php/encompif/article/view/3565>. Acesso em: 07 jan. 2019.

ROHR, M. L. et al. Piso térmico para Suínos. X Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar (MICTI), 2017b.

ROHR, M. L. et al. Utilização de piso térmico na suinocultura. II Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (SEPE), 2017a.

ROPPA L. Os principais fatores que afetam o Desempenho dos suínos de engorda. Pork World, 1: 24-27, 2001.

ROSSI, L. A.; Cardoso, P. E. R.; Beraldo, A. L. Desempenho de placas de argamassa de cimento e casca de arroz aquecidas por resistência elétrica. In: Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola, 31., Salvador, 2002. Anais. Salvador: SBEA, p. 249-252, 2002.

SCAVARDA, Levy. A Escola Naval através do tempo. Subsídios para História Marítima do Brasil, Rio de Janeiro, v. XIV, p. 9-294, 1955.

SHIGUNOV NETO, A.; MACIEL, L. S. B. O ensino jesuítico no período colonial brasileiro: algumas discussões. Revista Educar, Curitiba: Editora UFPR, n. 31, p. 169-89, 2008.

SILVEIRA, L. A. et al. Construção e rendimento de carneiro hidraulico de pvc. In: IV Congresso Estadual de Iniciação Científica do IF goiano, 2015.

SOBESTIANSKY, J. Wentz, I. Silveira, PRS. Sesti LAC. Suinocultura intensiva: produção, manejo e saúde do rebanho. Concórdia, EMBRAPA – CNPSA. 388p, 1998.

SOUZA, Antônia de Abreu; NUNES, Claudio Ricardo Gomes de Lima; OLIVEIRA, Elenice Gomes de. Políticas públicas para a educação Profissional e tecnológica no Brasil. Fortaleza: Edições UFC, 2011.

Downloads

Publicado

31/08/2019

Como Citar

ALVES, L. M. S.; PLÁCIDO, R. L.; FARIA, F. P.; ROHR, M. L. Retalhos de experiências exitosas em Educação Profissional e Tecnológica. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 564–585, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n24p564-585. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6910. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê “Práticas, pesquisas e reflexões sobre a educação profissional, científica e tecnológica no Brasil"