O trato com o conteúdo Jogo no Ensino Médio: perspectivas, conteúdos, metodologias e práticas de avaliação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p667-684

Palavras-chave:

Educação Física escolar. Jogo. Ensino Médio.

Resumo

A presente pesquisa discute o trato com o conteúdo jogo no Ensino Médio a partir de estudos e de experiências realizadas na Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará. Por via da pesquisa bibliográfica, temos como objetivo: discutir as perspectivas, as metodologias, os possíveis conteúdos e as práticas de avaliação que podem direcionar o trato com o fenômeno do jogo no Ensino Médio. Apontamos que o ensino do jogo no Ensino Médio deve perpassar por três perspectivas, que são: 1 – O jogo é um fenômeno que transcende a conceituação de prática corporal. 2 - É preciso produzir estudo e compreensão sobre o jogo, superar o fazer pelo fazer. 3 - As experiências corporais devem provocar uma reflexão ampliada sobre o jogo.

Biografia do Autor

Renan Santos Furtado, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Graduado em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal do Pará (UFPA) no ano de 2017. Especialista em Educação Física escolar pela Escola Superior Madre Celeste (ESMAC) no ano de 2018. Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPA (PPGED) no ano de 2019. Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPA (PPGED). Professor da Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará. Professor da SEDUC/PA entre 2017 e 2018. Membro do Centro Avançado de Estudos em Educação e Educação Física (CAÊ), integrando a linha de pesquisa: Estudos de Formação e Práticas Pedagógicas em Educação e Educação Física. Atua como Revisor do periódico Arquivos em Movimento (UFRJ). Possui aproximação, estudos e pesquisas nos seguintes temas: Processos e Práticas Colaborativas de Formação de Professores; Educação Física Escolar; Práticas Corporais e Questões Epistemológicas e Filosóficas da Educação Física. Apresenta experiência na Educação Física escolar e na formação continuada de professores como áreas de intervenção e pesquisa a partir de vínculos institucionais, empregatícios e programas de políticas públicas.

Carlos Nazareno Ferreira Borges, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Possui Graduação (Licenciatura Plena) em Educação Física pela Fundação Educacional do Estado do Pará (1990) e Graduação (Bacharelado) em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011); Mestrado (2000) e Doutorado (2005) em Educação Física pela Universidade Gama Filho; Pós-doutorado em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atualmente é docente associado IV da Universidade Federal do Pará, atuando na graduação em Educação Física e Pedagogia. É docente do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal do Pará (PPGED/UFPA), atuando na linha de Formação de professores, trabalho docente, teorias e práticas educativas; formador de agentes sociais do programa PELC do Ministério da Cidadania. Revisor da Revista Brasileira de Ciência do Esporte, Revisor da Revista Movimento, Revisor da revista Pensar a Prática; Revisor da Revista Licere. Revisor da Revista da Educação Física/UEM. Revisor da Revista Brasileira de Educação Física e Esportes (REBEFE/USP). É Líder do Centro de Estudos Avançados em educação e Educação Física (CAÊ); membro do Grupo de Estudo e Pesquisa, Lazer e Ludicidade (Moçarai/UFPA). Tem experiência na área de Educação Física e Ciências Sociais, atuando principalmente nos seguintes temas: sociologia do Esporte e das Práticas Corporais; Estudos políticos e Estudos culturais em Educação Física, Esporte, Lazer, Saúde e Educação; formação de Professores, Trabalho docente e Teorias Educacionais; Metodologias de ensino. Políticas públicas e políticas sociais. Gestão social

Referências

AGAMBEN, G. Profanações. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007.

ALMEIDA, F. Q. GOMES, I. M. Traçados analíticos e esforços de autointerpretação: uma entrevista com Valter Bracht. IN: ALMEIDA, Felipe. GOMES, Ivan (orgs.). Valter Bracht e a Educação Física: um pensamento em movimento. Vitória: EDUFES; Ijuí, RS: Unijuí, 2014.

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaio sobre literatura e história da cultura (Obras Escolhida v. I). São Paulo: Brasiliense, 2012.

BETTI, M. Educação Física e sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.

BETTI, M; GOMES-DA-SILA, P. N. Corporeidade, jogo, linguagem: a Educação Física nos anos iniciais do ensino fundamental. São Paulo: Cortez, 2019.

BRACHT, V. Educação Física e aprendizagem social. Porto Alegre, Magister, 1992.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Ministério da Educação, 2017.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BREGOLATO, R. A. Cultura corporal do jogo. São Paulo: Ícone, 2007.

BROUGÉRE, G. A criança e a cultura lúdica. Rev. Fac. Educ. vol. 24 n. 2 São Paulo July/Dec. 1998.

CAILLOIS, R. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2017.

CAPARROZ, E. F. Entre a educação física na escola e a educação física da escola. 3. ed. Campinas, SP: Autores associados, 2007.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

COLL, C. Ensino, aprendizagem e discurso em sala de aula. São Paulo: Editora Artmed, 1997.

DAOLIO, J. Educação Física brasileira: autores e atores da década de 80. Campinas, SP: Papirus, 1998.

DARIDO, S. C. Os conteúdos da Educação Física escolar: tendências, dificuldades e possibilidades. Perspectivas em Educação Física Escolar, Niterói, v. 2, n. 1 (suplemento), 2001.

DARIDO, S.C. Educação Física escolar: compartilhando experiências. São Paulo, Phorte, 2011.

FARIA, Bruno et al. Inovação pedagógica na educação física. O que aprender com práticas bem sucedidas? Ágora para la EF y el deporte, Nº12 (1) 2010, 11-28

FREIRE, J. B. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da educação física. ed. 4. São Paulo: Editora Scipione, 1994.

FREIRE, J. B. O jogo: entre o riso e o choro. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

FREIRE, P. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

FREITAS, L. C. Crítica da Organização do Trabalho Pedagógico e da Didática. São Paulo: Papirus, 1995.

FURTADO, R et al. O jogo nas aulas de educação física na educação infantil: do interesse pedagógico da educação física à produção de compreensão das crianças. Revista Kinesis, Santa Maria, v. 37, p.01-12, 2019.

GONZÁLEZ, F. J. FENSTERSEIFER, P. E. Entre o “não mais” e o “ainda não”. Penando saídas do não-lugar da EF na escola I. Cadernos de Formação RBCE, p. 9-24, set. 2009.

GONZÁLEZ, F. J. FENSTERSEIFER, P. E. Entre o “não mais” e o “ainda não”. Penando saídas do não lugar da EF na escola II. Cadernos de Formação RBCE, p. 9-24, set. 2010.

HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1980.

KANT, I. Crítica da faculdade do juízo. Rio de Janeiro: Editora Forense, 2010.

KISHIMOTO, T. M. O jogo e a educação infantil. IN: KISHIMOTO, T. M. (org.). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortes, 2011.

KUNZ, E. Educação Física: ensino & mudanças. Ijuf: Unijuf, 1991.

KUNZ, E. Transformações Didático-Pedagógicas do Esporte. Ijui: Unijuf, 1994.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Editora Cortez, 1990.

LOVISOLO, H. R. Educação Física: arte da mediação. Rio de Janeiro: Sprint Editora, 1995.

SCHILLER, F. A educação estética do homem. São Paulo: Editora Iluminuras, 1995.

MACHADO, T et al. As práticas de desinvestimento pedagógico na Educação Física escolar. Movimento, Porto Alegre, v. 16n n. 02, p. 129-147, abril/junho de 2010.

MARX, K. O capital: crítica da economia política: Livro I: o processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez Editora, 2002.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Martin Claret,

WERNECK, C; FERREIRA, H (orgs.). Lazer, recreação e educação física. Belo Horizonte: Autência, 2003.

WITTGENSTEIN, L. Investigações filosóficas. São Paulo: Abril cultural e Industrial, 1975.

Downloads

Publicado

22/06/2020

Como Citar

FURTADO, R. S.; BORGES, C. N. F. O trato com o conteúdo Jogo no Ensino Médio: perspectivas, conteúdos, metodologias e práticas de avaliação. Debates em Educação, [S. l.], v. 12, n. 27, p. 667–684, 2020. DOI: 10.28998/2175-6600.2020v12n27p667-684. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/8900. Acesso em: 29 jan. 2023.

Edição

Seção

Dossiê "Séries televisivas, games e aplicativos: entretenimento e cenários de aprendizagens"

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)