Estágio de docência na Pós-Graduação

reflexões acerca da formação

Autores

  • Willams dos Santos Rodrigues Lima Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
  • Maria Aparecida Pereira Viana Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2023v15n37p1-21.e14838

Palavras-chave:

Estágio Docente, Ação Docente, Pós-Graduação

Resumo

O artigo tem por objetivo discutir o processo do Estágio de Docência, como parte integrante da formação do pós-graduando, o qual possibilita o contato direto com os elementos que constituem a ação docente. Busca responder a questão: qual a contribuição do estágio de docência na formação de professores no contexto da pós-graduação? A partir da pesquisa qualitativa, o estudo se desenvolve com reflexões e experiências que contribuem com o processo da formação docente. Os resultados indicam que o Estágio em docência tem papel fundamental e indispensável na formação do pós-graduando, por possibilitar uma aproximação com o contexto da sala de aula, contribuindo com a formação dos sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Willams dos Santos Rodrigues Lima, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Mestrando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação - (PPGE/UFAL/CEDU). Especialista em Docência do Ensino Superior. Graduado em Pedagogia, pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Colaborador no Núcleo de Educação a Distância, do Centro de Educação -CEDU/UFAL. Atualmente é Bolsista pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) no mestrado.

Maria Aparecida Pereira Viana, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutora em Educação: Currículo (PUC/SP), com Estágio Científico Avançado de Pós-Doutoramento na Universidade do Minho, Portugal. Mestrado em Educação Brasileira (UFAL), Especialista em Informática Educativa e Metodologia no Ensino Superior e Educação a Distância com ênfase na Docência e na Tutoria em EAD (PUC-RS); Licenciada em Pedagogia Licenciatura Plena (UFAL). Docente do Centro de Educação da UFAL, com atuação na graduação e pós-graduação.

Referências

ALBUQUERQUE, A.; GONÇALVES, T. O.; BANDEIRA, M. C. DOS S. A formação inicial de professores: os impactos do ensino remoto em contexto de pandemia na região Amazônica. EmRede - Revista de Educação a Distância, v. 7, n. 2, p. 102-123, 6 nov. 2020. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/639. Acesso em 17 set. 2022.

ALVES, A. V. S.; BARBOSA, C. R.; DIB, A. Fundamentos pedagógicos e a formação docente: a experiência do estágio à docência. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 6, n. 2, p. 63–88, 2016. DOI: 10.35699/2237-5864.2016.2186. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/2186. Acesso em: 30 ago. 2022.

ALVES, M. G.; RODRIGUES, S. S. Avaliação da aprendizagem na atualidade: possíveis usos do portfólio digital. Anais do CIET:EnPED:2020 - (Congresso Internacional de Educação e Tecnologias | Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância), São Carlos, ago. 2020. ISSN 2316-8722. Disponível em: https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2020/article/view/1329. Acesso em: 19 set. 2022.

BACICH, L; MORAN, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BASTOS, A. V. B et al. Réplica 1 - formar docentes: em que medida a Pós-Graduação cumpre esta missão? Revista de Administração Contemporânea [online]. 2011, v. 15, n. 6, p. 1152-1160. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000600011. Acesso em: 30 ago. 2022.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Portaria n° 76 de 14 de abril de 2010. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 abr. 2010. Seção 1, p. 31-32.

BRASILEIRO, T. S. A. Tecnologias da informação e da comunicação (TICS) e os desafios para a prática pedagógica na educação superior: limites e possibilidades. In: D’ÁVILA, C. M; VEIGA, I. P. A. (org.). Profissão docente na educação superior. 1 ed. Curitiba, CRV, 2013. p. 123-133.

CARABETTA JÚNIOR, V. A utilização de Mapas Conceituais como recurso didático para a construção e inter-relação de conceitos. Revista Brasileira de Educação Médica. v. 37, n. 3, p. 441-447, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-55022013000300017. Acesso em: 18 set. 2022.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2017.

GATTI, B. A. Formação de professores, complexidade e trabalho docente. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 17, n. 53, 2017, p. 721-737. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/de/v17n53/1981-416X-rde-17-53-721.pdf. Acesso em: 10 ago. 2022.

LIMA, G. C. A. de; CÂMARA, I. A. M. P. da. O estágio docente e a formação para a docência na Pós-Graduação: possibilidades com base nas inteligências múltiplas. Revista Educação: Teoria e Prática, Rio Claro, v. 31, n. 64, 2021, p. 1-13. Disponível em: https://doi.org/10.18675/1981-8106.v31.n.64.s14444. Acesso em: 10 set. 2022.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. ed. Rio de Janeiro: E.P.U., 2018.

MATTAR, J. Metodologias ativas para a educação presencial, blended e a distância. São Paulo: Artesanato Educacional, 2017.

MERCADO, L. P. L; VIANA, M. A. P. Formação de professores para aprendizagem na internet: o webquest como investigação orientada. In: MERCADO, L. P. L; VIANA, M. A. P. (org.). Projetos utilizando internet: a metodologia Webquest na prática. Maceió: EDUFAL, 2004.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: BACICH, L; MORAN, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018, p. 35-76.

PIMENTA, S. G. LIMA, M. S. L. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis -Volume 3, Números 3 e 4, p. 5-24, 2006. Disponível em: https://revistas.ufg.br/poiesis/article/view/10542. Acesso em: 08 set. 2022.

UFAL/CEDU. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Educação Física –Licenciatura. Maceió, 2006. Disponível em: https://ufal.br/estudante/graduacao/projetos-pedagogicos/campus-maceio/ppc-educacao-fisica-licanciatura.pdf/view. Acesso em: 20 ago. 2022.

UFAL. Resolução nº 1, de 02 de setembro de 2020: Dispõe sobre o Estágio Docente no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Ufal. Maceió, 2020. Disponível em: https://cedu.ufal.br/pt-br/pos-graduacao/mestrado-e-doutorado-em-educacao/documentos/estagio-docente-1/resolucao-estagio-docente.pdf/view. Acesso em: 25 ago. 2022.

UFAL. Resolução nº. 34/2020-Consuni/Ufal, de 08 de setembro de 2020: Implementa o período letivo excepcional (PLE) para os cursos de graduação da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), regulamenta atividades acadêmicas não presenciais (AANPS) durante a pandemia do novo coronavírus (sars-cov-2), e dá outras providências. Disponível em: https://ufal.br/resolucoes/2020/rco-n-34-de-08-09-2020.pdf. Acesso em: 28 ago. 2022.

INÁCIO, A. L. M et al. Estágio em docência na pós-graduação: perspectivas acerca da formação docente. Revista Transmutare, v. 4, n. 1, p. 1-17, 2019. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rtr/article/view/10435/7318. Acesso em: 12 set. 2022.

Downloads

Publicado

2023-02-02

Como Citar

LIMA, Willams dos Santos Rodrigues; VIANA, Maria Aparecida Pereira. Estágio de docência na Pós-Graduação: reflexões acerca da formação. Debates em Educação, [S. l.], v. 15, n. 37, p. 1–21.e14838, 2023. DOI: 10.28998/2175-6600.2023v15n37p1-21.e14838. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/14838. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: O estágio de docência nos programas de pós-graduação stricto sensu

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.