Iniciação Científica e Formação Docente

conhecimentos matemáticos manifestados em contexto colaborativo

Autores

  • Gabriel Linhares de Sousa Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza
  • Marcilia Chagas Barreto Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2024v16n38pe15980

Palavras-chave:

Iniciação Científica, Formação docente, Conhecimentos matemáticos, Pesquisa colaborativa

Resumo

Diante da diversidade de conhecimentos que atravessam a formação docente, a Iniciação Científica surge como possibilidade formativa. Em contexto colaborativo de pesquisa e formação, este estudo de caso com cinco sujeitos teve como objetivo analisar os conhecimentos manifestados por bolsistas de IC, imersos em um contexto que buscava a colaboração para a sua formação docente em Matemática. Identificou-se que o conhecimento matemático para o ensino mais manifestado foi o conhecimento de conteúdo e de ensino. A partir do ambiente colaborativo, os(as) bolsistas de IC demonstraram construir aprendizagens significativas para sua formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcilia Chagas Barreto, Universidade Estadual do Ceará

Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2002), com estágio pós-doutoral na Universidade de Quebec à Chicoutimi, em Educação Matemática(2006-2007). Mestra em Estudos Pós Graduados em Supervisão e Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1985). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Piauí (1979). Atualmente é professora adjunto M da Universidade Estadual do Ceará, vinculada ao curso de pedagogia e ao Programa de Pós-Graduação em Educação. Lidera o Grupo de Pesquisa Matemática e Ensino (MAES). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de matemática, aprendizagem da matemática, educação matemática, formação de professores.

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. Professores iniciantes: egressos de programas de iniciação à docência. Revista Brasileira de Educação, [S. l.], v. 23, ed. 230095, 2018.

BALL, D. L. With an eye on the mathematical horizon: Dilemmas of teaching elementary school mathematics. Elementary School Journal, [S. l.], v. 93, n. 4, p. 373-397, 1993.

BALL, D. L.; THAMES, M. H.; PHELPS, G. Content Knowledge for Teaching: what makes it special? Journal of Teacher Education, [S. l.], v. 59, n. 5, p. 389- 407, 2008.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRIDI, J. C. A. A pesquisa nas universidades brasileiras: implicações e perspectivas. In: MASSI, L.; QUEIROZ, S. L.(org.). Iniciação científica: aspectos históricos, organizacionais e formativos da atividade no ensino superior brasileiro. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp Digital, 2015, p. 13-36.

DUVAL, R. Registros de representação semiótica e funcionamento cognitivo do pensamento. Tradução de Méricles Thadeu Moretti. Revista Eletrônica de Educação Matemática, Florianópolis, v. 7, n. 2, p. 266-297, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/ index.php/revemat/article/view/1981-1322.2012v7n2p266. Acesso em: 10 jan. 2023.

GRANDO, R. C.; NACARATO, A. M.; LOPES, C. E. Narrativa de aula de uma professora sobre a investigação estatística. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 39, n. 4, p. 985-1002, out./dez. 2014. Disponível em: http://www.ufrgs.br/edu_realidade. Acesso em: 22 abr. 2022.

IBIAPINA, M. L. M. Pesquisa Colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Editora Liber Livro, 2008.

IBIAPINA, I. M. L. M. Reflexões sobre a produção do campo teórico-metodológico das pesquisas colaborativas: gênese e expansãoIvana. In: IBIAPINA, M. L. M.; BANDEIRA, H. M. B.; ARAUJO, F. A. M. Pesquisa colaborativa: multirreferenciais e práticas convergentes. 1. ed. Piauí: EDUFPI, 2016.

KIRSCH, D. B. A iniciação científica na formação inicial de professores: repercussões no processo formativo de egressas do curso de pedagogia. 2007. 111f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007.

LAGE, M. C. Utilização do software NVivo em pesquisa qualitativa: uma experiência em EaD. ETD - Educação Temática Digital, [S. l.], n. 12, p. 198-226, 2011. Disponível em: https://nbn-resolving.org/urn:nbn:de:0168-ssoar-243727. Acesso em: 22 abr. 2022.

LIMA, F. H. Um método de transcrições e análise de vídeos: a evolução de uma estratégia. In: Encontro Mineiro De Educação Matemática (VII EMEM), 7., 2015, São João Del Rei. Anais [...]. São João Del Rei: Universidade Federal de São João Del Rei, 2015. v. 7. p. 1-11.

MASSI, L.; QUEIROZ, S. L.(org.). Iniciação científica: aspectos históricos, organizacionais e formativos da atividade no ensino superior brasileiro. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp Digital, 2015.

MINAYO, C. O desafio da pesquisa social. In: DESLANY, S. F.; GOMES, R.; MINAYO, C. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 30-58.

MINAYO, M. C. S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, [S. l.], v. 17, n. 3, p. 621-626, 2012.

MIOLA, A. F. S.; PEREIRA, P. S. As contribuições de uma proposta de formação continuada para o desenvolvimento profissional de professores de Matemática. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 7., 2018, Foz do Iguaçu. Anais [...], Foz do Iguaçu: Sbem, 2018. Disponível em: http://www.sbemparana.com. br/viisipem/portuguese/index.php. Acesso em: 22 abr. 2022.

NUNES, T.; CAMPOS, T. M.; MAGINA, S.; BRYANT, P. As estruturas aditivas: avaliando e promovendo o desenvolvimento dos conceitos de adição e subtração em sala de aula. In: NUNES, T.; CAMPOS, T. M.; MAGINA, S.; BRYANT, P. Educação matemática 1: números e operações numéricas. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

O'NEILL, M. How to apply NVivo in a PhD using the NVivo toolkit. University of the Sunshine Coast, Queensland, 2013.

SANTOS, T. J. F. A linguagem revelando o desenvolvimento do pesquisador na prática da Iniciação Científica. 2016. 375f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Letras, Língua e Literatura Francesa) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8146/tde-05082016-132904/pt-br.php. Acesso em: 22 de abril de 2022.

SCHULMAN, L. S. Those who understand: the knowledge growths in teaching. Educational Researcher, [S. l.], p. 4-14, fev. 1986.

SCHULMAN, L. S. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernoscenpec, São Paulo, v. 4, n. 2, p.196-229, dez. 2014.

VERGNAUD, Gerard. A criança, a Matemática e a realidade: problemas do ensino da Matemática na escolar elementar. Curitiba: Actas, 2009.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução Cristhian Matheus Herrera. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

YIN, R. K. Pesquisa qualitativa do início ao fim. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: Penso, 2016.

Downloads

Publicado

2024-01-22

Como Citar

SOUSA, Gabriel Linhares de; BARRETO, Marcilia Chagas. Iniciação Científica e Formação Docente: conhecimentos matemáticos manifestados em contexto colaborativo. Debates em Educação, [S. l.], v. 16, n. 38, p. e15980, 2024. DOI: 10.28998/2175-6600.2024v16n38pe15980. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/15980. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Formação de professores que ensinam Matemática: contextos e práticas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.