Orientação sexual e o processo de inclusão na formação de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p125-144

Palavras-chave:

Inclusão, Orientação Sexual, Formação de Professores

Resumo

A formação de professores deve ser um ambiente propício para debates e proposições que superem uma educação, por vezes, preconceituosa, excludente e discriminatória. Diante disso, fizemos um estudo, de cunho quantitativo, a partir da orientação sexual de estudantes do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas de uma Instituição de Ensino Superior (IES) localizada no Estado de Goiás, Brasil. Assim, apresentamos, neste texto, como é concebida a orientação sexual e a possível inclusão de estudantes pertencentes ao grupo LGBT no meio acadêmico. Para a coleta de dados, utilizamos questionários de natureza estruturada. Percebemos a fundamental importância de discussões sobre a orientação sexual na formação de professores, especialmente na constituição de um espaço dialógico, aberto a uma educação menos desigual, e que as habilidades humanas sejam potencializadas, até mesmo na sensibilização do respeito para as diferenças.

Biografia do Autor

Glaucimila Adrielly Belem Lopes Vasconcelos, Instituto Federal Goiano (IFGoiano)

Professora de Ciências na Secretaria de Educação do Estado de Goiás.

Elisabete Alerico Gonçalves, Instituto Federal Goiano (IFGoiano)

Professora D.E. (PEBTT), nos Cursos de Licenciatura do Instituto Federal Goiano, Campus Urutaí - Goiás. Atualmente trabalha com linhas de pesquisa na área da Educação, Ensino e Epistemologia - no campo da Metateoria Estruturalista. 

Indiara Cristina Pereira Almeida, Instituto Federal Goiano (IFGoiano)

Servidora, na área de Educação, no Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí.

Paulo Vitor Teodoro de Souza, Instituto Federal Goiano (IFGoiano) Universidade de Brasília (UnB)

Professor no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano e Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências na Universidade de Brasília, com estudos na área de Formação de Professores, Modelagem na Educação em Ciências e Inclusão.

Referências

ADOBO, G.; GUEDES, V.L. Enfrentamento e violência no caminho LGBT pela conquista de direitos. Agenda Ibero Americana para a Difusão da Ciência e da Tecnologia, 2014. Disponível em: http://www.dicyt.com/noticia/enfrentamento-e-violencia-no-caminho-lgbt-pela-conquista-de-direitos. Acesso em: 13 de janeiro de 2018.

ARAGUAIA, M. Orientação Sexual. Brasil Escola. 2011. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/sexualidade/orientacao-sexual.htm>. Acesso em 11 de marco de 2018.

BAILEY, J. M.; VASEY, P. L.; DIAMOND, L. M.; BREEDLOVE S. M.; VILAIN, ERIC; EPPRECHT, M. Sexual Orientation, Controversy, and Science. Psychological Science in the Public Interest, v. 17, n. 2, p. 45–101, 2016.

BARRETO, L. C. Com quantas cores se faz uma docência? Desvelando a homofobia no espaço escolar. 2017. 109 f. Dissertação (Mestrado em Memória, Linguagem e Sociedade) – Universidade Federal do Sudoeste da Bahia, Vitória da Consquista – BA, 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

______. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Versão encaminhada ao CNE. Brasília: MEC, 2018. Disponível em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/04/BNCC_EnsinoMedio_embaixa_site.pdf, acessado em 13 de jun. 2018.

______. Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação. Conselho Pleno. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Resolução n. 2, de 15 de junho de 2012. Lex: Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica, Brasília, p. 514-542, 2013. Brasília-DF, 2013b.

_______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília, DF: MEC/SEF, 1997.

______. Resolução n.º 001, de 22 de março de 1999. Estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à questão da Orientação Sexual. Conselho Federal de Psicologia. Brasília-DF, 22/03/1999.

______. Resolução n.º 175, de 14 de maio de 2013. Dispõe sobre a habilitação, celebração de casamento civil, ou de conversão de união estável em casamento, entre pessoas do mesmo sexo. Brasília-DF, 2013a.

______. Projeto de Decreto Legislativo – PDC, n.º 234, de 02 de junho de 2011.

_______. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Cadernos SECAD, n.º 4. Gênero e Diversidade Sexual na Escola: reconhecer diferenças e superar preconceitos. MEC/Brasília, 2007.

DINIS, N.F. Educação, Relações de Gênero e Diversidade Sexual. Educação Social, Campinas, vol. 29, n. 103, p. 477-492, 2008.

FERREIRA, R. C. O gay no ambiente de trabalho: análise dos efeitos de ser gay nas organizações contemporâneas. 2007. 126 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade, e Ciências da Informação e Documentação. Brasília: Dissertação de Mestrado – Universidade de Brasília, Brasília/DF, 2007.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2002.

GESSER, M.; OLTRAMARI, L. C.; PANISSON, G. Docência e concepções de sexualidade na educação básica. Psicologia & Sociedade, v. 27, n. 3, p. 558-568, 2015.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

JENNINGS, T.; SHERWIN, G. Sexual orientation topics in elementary teacher preparation programs in the USA. Teaching Education, v. 19, n. 4, p. 261-278, 2008.

KOTLINSKI, K. Legislação e Jurisprudência LGBTTT: Lésbicas –Gays –Bissexuais –Travestis –Transexuais –Transgêneros. Brasília: Letras Livres, 2007.

MAGALHÃES, J. C.; RIBEIRO, P. R. C. Para além de um corpo transparente: investigando métodos e estratégias de esquadrinhar o sujeito homossexual. História, Ciências, Saúde, v.22, n.2, p.461-481, 2015.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E.M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisa, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 6 ed. – São Paulo; Atlas, 2006.

MIRANDA, C. P. V.; MORORÓ, R. M.; ROCHA, S. M. B. S.; TEODÓSIO, T. B. T.; SILVA, M. A. M.; VIANA, R. S. Educação em saúde e sexualidade: experiência com adolescentes do programa de erradicação do trabalho infantil. Revista Sanare, v. 16, n. 2, p. 103-108, 2017.

OLIVEIRA, T. Educar para conviver. Carta Capital, 2013. Disponível em: http://www.cartacapital.com.br/educacao/carta-fundamental-arquivo/educar-para-conviver. Acesso em: 10 de março de 2018.

PEREIRA, A. J.; NICHIATA, L. Y. I. A sociedade civil contra a AIDS: demandas coletivas e políticas públicas. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 7, p. 3249-3257, 2011.

RODRIGUES, C. P.; WECHSLER, A. M. A sexualidade no ambiente escolar: a visão dos professores de educação infantil. Cadernos de Educação: Ensino e Sociedade, v. 1, n. 1, p. 89-104, 2014.

RUFINO, C. B.; PIRES, L. M.; OLIVEIRA, P. C.; SOUZA, S. M. B.; SOUZA, M. M. Educação sexual na prática pedagógica de professores da rede básica de ensino. Revista eletrônica de enfermagem, v. 15, n. 4, 983-991, 2013.

SENA, T. Os relatórios Masters e Johnson: gênero e as práticas psicoterapêuticas sexuais a par psicoterapêuticas sexuais a partir da década de 70. Estudos Feministas, v. 18, n. 1, p. 221-239, 2010.

SILVA, E. A.; SILVA, S. A. A. Delineamento de características que definem o aluno ingressante das Faculdades Unidas do Vale do Araguaia. Revista Univar, 2010.

SILVA, R. M. S.; AMAURO, N. Q.; SOUZA, P. V. T.; RODRIGUES FILHO, G. Democratização do ensino superior: no contexto da educação brasileira. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v.12, n.1, p. 294-312, 2017.

SIQUEIRA, M. V. S.; SARAIVA, L. A. S.; CARRIERI, A. P.; LIMA, H. K. B.; ANDRADE, A. J. A. Homofobia e violência moral no trabalho no Distrito Federal. Organizações e Sociedade, Salvador, v. 16, n. 50, p. 447-461, 2009.

SOUZA, V.; GAZZINELLI, M. F.; SOARES, A. N.; FERNANDES, M. M.; OLIVEIRA, R. N. G.; FONSECA, R. M. G. S. O jogo como estratégia para abordagem da sexualidade com adolescentes: reflexões teórico-metodológicas. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 70, n. 2, p. 394-401, 2017.

TREVISAN, J. S. Devassos no Paraíso: A homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. Rio de Janeiro: Record, 2007.

YARED, Y.B.; LOCKS, G.A. Educação e Sexualidade: a compreensão de professoras de ciências e biologia sobre a diversidade sexual. Percursos, v.13, n. 2, p. 155-168, 2012.

Downloads

Publicado

31/08/2019

Como Citar

VASCONCELOS, G. A. B. L.; GONÇALVES, E. A.; ALMEIDA, I. C. P.; DE SOUZA, P. V. T. Orientação sexual e o processo de inclusão na formação de professores. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 125–144, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n24p125-144. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/5560. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos