Conhecimentos clássicos, trabalho educativo e ensino de Ciências: articulações possíveis a partir da pedagogia histórico-crítica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n26p302-322

Palavras-chave:

Educação, Ensino de Ciências Naturais e Biologia, Formação de professores, Materialismo histórico dialético

Resumo

A pedagogia histórico-crítica (PHC) é a teoria da educação embasada no materialismo histórico-dialético. Sob essa perspectiva, a especificidade da educação no contexto escolar consiste na transmissão e apropriação dos conhecimentos historicamente elaborados. Visto isso, este ensaio teórico objetivou discutir sobre possíveis interações entre os princípios ‘conhecimentos clássicos’ e ‘trabalho educativo’ respaldados na PHC, articulando-os ao ensino de Ciências e Biologia. A partir do diálogo com os referenciais teóricos, enfatizamos que a socialização dos conhecimentos clássicos, na forma de conteúdos escolares, por meio do trabalho educativo, é condição precípua para que o ensino de Ciências se concretize sob a perspectiva histórico dialética.

Biografia do Autor

Josiane de Cássia Zaneti, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2009), campus de Jaboticabal. Mestre (2012) e doutora (2019) pelo Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, campus de Bauru e membro do Grupo de Pesquisa "Formação e Ação de Professores de Ciências e de Educadores Ambientais". Áreas de interesse: formação de professores, ensino de ciências e biologia.

Hederson Aparecido de Almeida, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá (2013), na qual atuou como bolsista do PIBID de Biologia (2012-2013). Mestre em Educação para a Ciência e a Matemática pela Universidade Estadual de Maringá (2016). Doutorando do programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência da UNESP de Bauru. Integrante do grupo de pesquisa Formação e Ação de Professores de Ciências e de Educadores Ambientais da UNESP. Atua na área de educação, com ênfase em estudos da linguagem analógica no ensino de Ciências e Biologia e formação de professores.

Matheus Zaffani Borges, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Campus Jacarezinho (2017). Mestrando do Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus Bauru. Integrante do grupo de pesquisa "Formação e Ação de Professores de Ciências e de Educadores Ambientais" (UNESP). Áreas de interesse: formação docente, gênero e sexualidade, educação sexual, ensino de ciências e biologia, pedagogia histórico-crítica.

Renato Eugênio da Silva Diniz, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de São Carlos (1985), mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (1992), doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (1998) e livre-docência em Didática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquista Filho (2005). Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Formação de Professores, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de biologia, ensino de ciências, educação ambiental, professor de ciências e material didático.

Referências

BATISTA, E. L.; LIMA, M. R. A pedagogia histórico-crítica como teoria pedagógica transformadora: da consciência filosófica à prática revolucionária. In: MARSIGLIA, A. C. G.; BATISTA, E. L. (org.). Pedagogia Histórico-crítica: desafios e perspectivas para uma educação transformadora. Campinas: Autores Associados, 2012.

BEDUSCHI, R. S. O ensino de evolução biológica sob o olhar da Pedagogia Histórico Crítica: em busca das significações dos professores de Biologia. 2018. 87 f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, DF, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/12/BNCC_19dez2018_site.pdf>. Acesso em: 19 jan. 2019.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais. Brasília: MEC / SEF, 1998. 138 p. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencias.pdf>. Acesso em 17 jan. 2019.

CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; JORGE, M. Da educação em Ciências às orientações para o ensino das Ciências: um repensar epistemológico. Ciência & Educação, Bauru, v. 10, n. 3, p. 363-381, 2004.

CAMPOS, R. S. P. A perspectiva Histórico-Crítica e a prática docente de ensino de Biologia. 2017. 181 f. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2017.

CARVALHO, I. N.; NUNES-NETO, N. F.; EL-HANI, C. N. Como selecionar conteúdos de Biologia para o Ensino Médio? Revista de Educação, Ciências e Matemática, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 67-100, 2011.

DUARTE, N. A individualidade para-si: contribuições a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2013.

DUARTE, N. A importância da concepção de mundo para a educação escolar: porque a pedagogia histórico-crítica não endossa o silêncio de Wittgenstein. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 7, n. 1, p. 8-25, jun. 2015.

DUARTE, N. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Quatro ensaios crítico-dialéticos em filosofia da educação. 1ª. reim. Campinas: Autores associados, 2008.

FERREIRA, C. G. O conceito de clássico na pedagogia histórico-crítica. In: JORNADA DO HISTEDBR: pedagogia histórico-crítica, educação e revolução: 100 anos da revolução russa, 14, 2017, Foz do Iguaçu. Anais [...]. Foz do Iguaçu: Unioeste, 2017. p. 1-11. Disponível em: <http://midas.unioeste.br/sgev/eventos/HISTEDBR/anais>. Acesso em: 12 dez. 2018.

GERALDO, A. C. H. Didática de Ciências e de Biologia na perspectiva da pedagogia Histórico-Crítica. 2006. 201 f. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2006.

GIARDINETTO, J. R. O Conceito de Saber Escolar "Clássico" em Dermeval Saviani: implicações para a Educação Matemática. Boletim de Educação Matemática, Rio Claro, v. 23, n. 36, p. 753-773, ago. 2010. Disponível em: <http://www.redalyc.org/pdf/2912/291221905010.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2018.

KRASILCHIK, M. Reformas e Realidade: o caso do ensino de Ciências. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 1, p. 85-93, 2000.

LAVOURA, T. N.; MARSIGLIA, A. C. G. A pedagogia histórico-crítica e a defesa da transmissão do saber elaborado: apontamentos acerca do método pedagógico. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 33, n. 1, p. 345-376, jan./abr. 2015.

LAVOURA, T. N.; MARTINS, L. M. A dialética do ensino e da aprendizagem na atividade pedagógica histórico-crítica. Interface, Botucatu, v. 21, n. 62, p. 531-541, set. 2017. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832017000300531&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 16 jan. 2019.

LAVOURA, T. N.; MEIRELES, A. C. O “Aprender a aprender” pedagógico e a reprodução da alienação na educação escolar. In: DOS SANTOS, C. F. (org.). Crítica ao esvaziamento da educação escolar. Salvador: EDUNEB, 2013. p. 83-113.

LESSA, S.; TONET, I. Introdução à filosofia de Marx. 2. ed. Editora Expressão Popular: São Paulo, 2011.

MALANCHEN, J. Cultura, Conhecimento e currículo: contribuições da pedagogia histórico-crítica. Campinas: Autores Associados, 2016.

MARSIGLIA, A. N. G. PINA, L. D.; MACHADO, V. O.; LIMA, M. A Base Nacional Comum Curricular: um novo episódio do esvaziamento da escola no Brasil. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 9, n. 1, p. 107-121, abr. 2017.

MATTHEWS, M. Construtivismo e o ensino de Ciências: uma avaliação. Cad. Cat. Ens. Fís., v. 17, n. 3, p .270-294, dez. 2000.

LIPORINI, T. Q. O ensino de sistemática e taxonomia biológica no ensino médio da rede estadual no município de São Carlos, SP. 2016. 86 f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2016.

PEREIRA, L. M. Os sentidos atribuídos por professores de Biologia à função social de seu trabalho. 2017. 261 f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2017.

REID, D. V.; HODSON, D. Ciência para todos en secundaria. Madrid: Narcea, 1993.

ROSA, J. M. A apropriação dos princípios fundamentais da teoria da evolução e os alcances abstrativos na concepção de mundo. 2018. 256 f. Tese (Doutorado em Educação Escolar) - Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2018.

ROSA, J. M.; MARTINS, L. M. Reflexões sobre o ensino da taxonomia e da sistemática filogenética e o desenvolvimento do pensamento abstrato. Obutchénie: R. de Didat. e Psic. Pedag. Uberlândia, v. 1, n. 2, p. 376 - 410, maio/ago. 2017.

SANTOS, C. S. Ensino de Ciências: abordagem histórico crítica. Campinas: Armazém do Ipê, 2005.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

SAVIANI, D. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre a educação política. 39. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

SILVA, E. M. O trabalho educativo e a natureza humana: fundamentos ontológicos da pedagogia histórico-crítica. 2017. 115 f. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2017.

TAFFAREL, C. N. Z. Teoria pedagógica marxista, educação e luta de classes. In: DOS SANTOS, C. F. (org.). Crítica ao esvaziamento da educação escolar. Salvador: EDUNEB, 2013. p. 17-36.

Downloads

Publicado

06/04/2020

Como Citar

ZANETI, J. de C.; DE ALMEIDA, H. A.; ZAFFANI BORGES, M.; DA SILVA DINIZ, R. E. Conhecimentos clássicos, trabalho educativo e ensino de Ciências: articulações possíveis a partir da pedagogia histórico-crítica. Debates em Educação, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 302–322, 2020. DOI: 10.28998/2175-6600.2020v12n26p302-322. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/7307. Acesso em: 27 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê “Pedagogia histórico-crítica, psicologia histórico cultural e ensino de ciências”