Os procedimentos avaliativos na educação de jovens e adultos e a relação com a dialogicidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p254-265

Palavras-chave:

Educação Libertadora, Evasão Escolar, EJA

Resumo

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) está relacionada com o processo de exclusão social, e os procedimentos avaliativos, nesse contexto, corroboram para a manutenção dessa população em um estado de imobilidade social. A observação da dialogicidade pode favorecer tanto a aprendizagem, como motivar a permanência desses estudantes na escola. Diante disso, tomou-se como objetivo geral:  Averiguar como a evasão escolar e o processo de aprendizagem dos estudantes da EJA podem ser afetados a partir da inobservância da necessidade dialógica na avaliação e nos conteúdos ensinados. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e qualitativa, cuja justificativa se encontra na busca pela melhoria da qualidade na atuação de professores diretamente com os jovens e adultos em questão, e pela evolução da própria EJA. O resultado dessa investigação mostrou que a avaliação, em suma, não se constitui uma tarefa exclusivamente do professor, mas, na medida em que funciona como instrumento de crescimento do estudante, age como um termômetro, e deveria ser entendida como um objeto de incentivo, mais que de classificação.   

Biografia do Autor

Antonio Carlos dos Santos Cruz, Universidad Autónoma de Asssunção (UAA)

Pesquisas e trabalhos realizados voltadas para Avaliação na Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Referências

AUSUBEL, David. P. Aquisição e retenção de conhecimentos: Uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Paralelo Editora, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada. Alfabetização e Diversidade. Coleção Cadernos de EJA. Brasília. 2006

FEITOSA, S. C. S. Método Paulo Freire: princípios e práticas de uma concepção popular de educação. (Dissertação) Mestrado. (1999). Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil, 1999.

FERNANDES, Eliane; et al. Vivência, contexto para motivar a aprendizagem na EJA. 2014. (Especialização) 42f. Universidade de Brasília. Faculdade de Educação. Brasília, 2014.

FRANCO, Maria Laura P. B. Pressupostos epistemológicos da avaliação educacional. In: Cadernos de Pesquisa, n. 74, p. 63-67, 1990.

FREIRE, P. A importância do ato de ler. São Paulo. Cortez, 1986

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREITAS, L. C. Ciclos, seriação e avaliação. São Paulo: Editora Moderna, 2003.

HOFFMANN, J. Avaliação: mito e desafio. São Paulo: Editora Mediação, 23ª ed., 1998.

KOVAKS, Joseph D. Meaningful learning: The essential factor for conceptual change in Limited or Inappropriate Propositional Hierarchies (LIPHs) leading to empowerment of learners. In Teoria da aprendizagem significativa. Contributos do III Encontro Internacional sobre Aprendizagem Significativa, Org. MOREIRA, M. A.; et al, Peniche, 2000.

LIMA, A. O. Avaliação escolar: julgamento ou construção? Petrópolis: Vozes, 1994.

LUCKESI, C. C. Avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo. In: Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez, 1995.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar. 12ª ed., São Paulo: Editora Cortez, 2002.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem: componente do ato pedagógico, São Paulo: Cortez Editora, 2011.

MARQUES, Cristiane Eufrásio. A construção do conhecimento na Educação de Jovens e Adultos. 2010. (Artigo) Graduação. 21f. Instituto Superior de Educação da Faculdade Alfredo Nasser, Aparecida de Goiânia, 2010.

PELLOSO, Silvia M. Reflexões sobre avaliação: esboçando retrato da EJA. In: Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE. v. 1, Curitiba: Governo do Estado do Paraná, 2014.

PICONEZ, Stela C. Bertholo. Educação escolar de jovens e adultos. Campinas: Papirus, 2002.

PORCARO, Rosa Cristina. Os desafios enfrentados pelo educador de jovens e adultos no desenvolvimento de seu trabalho docente. In: EccoS Revista Científica, n. 25, p. 39-57, jan./jun., 2011.

ROMÃO, J. E. Avaliação Dialógica: Desafios e perspectivas. São Paulo: Cortez, 1998.

ROSA, Alexandre Rafael da. Evasão na modalidade EJA: uma análise sob a perspectiva pedagógica na EMEF João Paulo I. 2012. (Monografia) Especialização. 57f. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Porto Alegre, 2012.

SANT’ANNA, I. M. Por que avaliar? Como Avaliar? Critérios e instrumentos. Petrópolis: Vozes, 1995.

SAUL, A. M. Avaliação emancipatória: desafio à teoria e à prática de avaliação e reformulação de currículo. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

VITA, Jaqueline Gedoz; LUCHESE, Terciane Ângela. A sala de aula da EJA, um lugar de relações. In Anais do Seminário Diálogos com a Educação – Desafios da EJA contemporânea. Universidade de Caxias do Sul, 19 out. e 22 nov. 2013.

Downloads

Publicado

22/06/2020

Como Citar

CRUZ, A. C. dos S. Os procedimentos avaliativos na educação de jovens e adultos e a relação com a dialogicidade. Debates em Educação, [S. l.], v. 12, n. 27, p. 254–265, 2020. DOI: 10.28998/2175-6600.2020v12n27p254-265. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/7816. Acesso em: 29 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos