OS PRIMEIROS CONTATOS: ROMPENDO O MODELO DA QUEIXA ESCOLAR

Autores

  • Antonio Richard Carias
  • Adinete Sousa da Costa Mezzalira
  • Raquel Souza Lobo Guzzo

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2016v8n15p01

Palavras-chave:

educação fundamental, psicólogo escolar, encaminhamento escolar.

Resumo

O psicólogo escolar ao atuar sob uma perspectiva crítica e preventiva precisa investigar quais são os paradigmas dominantes utilizados na escola que enquadram os alunos a modelos que ditam como devem se portar dentro destas instituições. Pesquisar quais são as ações que são aceitas ou não pela escola desvela qual é a ideologia dominante que tem regido toda a prática e o olhar do educador diante da criança ou do adolescente. Diante disso, a presente pesquisa a partir da análise de 177 registros denominados “Primeiros Contatos” de duas instituições municipais de ensino fundamental, no período de 2004 a 2012, permitiu-nos verificar: o “padrão de comportamento” que conduz a escola a identificar as crianças e adolescentes intitulados “alunos problema” e o discurso presente nestes encaminhamentos. As informações obtidas foram analisadas e interpretadas conforme a unidades de sentidos e as categorias encontradas foram as seguintes: dificuldade de aprendizagem e linguagem; dificuldade nas relações sociais; dificuldade em seguir regras e limites, violência sexual, física e psicológica; crianças e/ou adolescentes com necessidades especiais; negligência familiar; falta escolar; situação de vulnerabilidade; conflito familiar; problema de saúde; adoção; sexualidade; dificuldade financeira; e, mentiras e manipulação.

Downloads

Publicado

22/08/2016

Como Citar

CARIAS, A. R.; MEZZALIRA, A. S. da C.; GUZZO, R. S. L. OS PRIMEIROS CONTATOS: ROMPENDO O MODELO DA QUEIXA ESCOLAR. Debates em Educação, [S. l.], v. 8, n. 15, p. 01, 2016. DOI: 10.28998/2175-6600.2016v8n15p01. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/1085. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos