A elaboração de um audiolivro como recurso didático para a educação financeira de alunos com baixa visão

Autores

  • Valéria Rosa Farto Lopes Secretaria Municipal de Educação de Assis/SP; Doutoranda em Educação pela Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) da Universidade Estadual Paulista (UNESP), São Paulo, Brasil.
  • Carlos Cesar Garcia Freitas Universidade Estadual do Norte do Paraná – Paraná – Brasil
  • Jáima Pinheiro de Oliveira Departamento de Administração Escolar (DAE) da Faculdade de Educação (FAE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14n34p350-376

Palavras-chave:

Educação Financeira, Inclusão Escolar, Baixa visão, Audiolivro.

Resumo

O objetivo desse estudo foi criar um recurso didático, em formato de audiolivro, para o ensino da Educação Financeira direcionado a alunos com baixa visão, de modo que atendesse suas demandas e especificidades. Essa produção partiu de uma narrativa fictícia do universo infantil e fez uso de diferentes elementos de sonoplastia. Participaram da pesquisa cinco estudantes, regularmente matriculados em turmas do terceiro ao sétimo anos da rede pública de ensino do estado de São Paulo e que também frequentavam, no contraturno, uma sala de recursos multifuncionais. A criação e a utilização deste recurso didático geraram diferentes possibilidades de leitura, interpretação e apropriação dos conteúdos pelos leitores, tanto para aqueles com deficiência visual, como para os que não possuíam alteração visual.

Biografia do Autor

Valéria Rosa Farto Lopes, Secretaria Municipal de Educação de Assis/SP; Doutoranda em Educação pela Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) da Universidade Estadual Paulista (UNESP), São Paulo, Brasil.

Professora licenciada da Secretaria Municipal de Educação de Assis/SP; Doutoranda em Educação pela Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) da Universidade Estadual Paulista (UNESP), São Paulo, Brasil.

Carlos Cesar Garcia Freitas, Universidade Estadual do Norte do Paraná – Paraná – Brasil

Doutor em Administração

Universidade Estadual do Norte do Paraná – Paraná – Brasil

Jáima Pinheiro de Oliveira, Departamento de Administração Escolar (DAE) da Faculdade de Educação (FAE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Professora Adjunta do Departamento de Administração Escolar (DAE) da Faculdade de Educação (FAE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora do Programa de Mestrado Profissional em Educação (PROMESTRE/UFMG). Professora Permanente (Voluntária) do Programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP). Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq (PQ-2) vinculada ao Grupo “Deficiências Físicas e Sensoriais” (DefSen/CNPq).

Referências

AEF-BRASIL. Nova Base Nacional Comum Curricular: avanço na educação brasileira. 2018. Disponível em: http://www.aefbrasil.org.br/index.php/bncc. Acesso em: 03. jan. 2019.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Caderno de Educação Financeira: gestão de finanças pessoais. Brasília: BCB, 2013. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/pre/pef/port/caderno_cidadania_financeira.pdf. Acesso em: 06 mar. 2018.

BARBOSA, Rafael de Oliveira. Literatura para os ouvidos? Uma análise comunicacional de práticas de leitura com audiolivros. 2014. 141 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

BLOOM, Benjamin Samuel; HASTINGS, John Thomas; MADAUS, George F.. Manual de avaliação formativa e somativa do aprendizado escolar. São Paulo: McGraw-Hill, 1983.

BONTORIN, Magno Angelito. Educação Financeira e planejamento doméstico: como controlar gastos domésticos com criatividade e capacidade. Curitiba: Apostila, 2013.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 4024 de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: 1961. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l4024.htm. Acesso em: 03 de jun. 2018.

BRASIL. Constituição (1967). Constituição da República Federativa do Brasil de 1967. Brasília, DF: Congresso Nacional, 1967. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao67.htm. Acesso em: 10 jun. 2018.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 5.692 de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Brasília, 1971. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l5692.htm. Acesso em: 08 de jun. 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Congresso Nacional, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 13 nov. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Política Nacional de Educação Especial. Brasília, MEC/SEESP, 1994. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2008/anais/pdf/540_501.pdf. Acesso em: 10 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/lein9394.pdf. Acesso em: 10 mar. 2017.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: matemática / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília : MEC/SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/matematica.pdf. Acesso em: 15 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto nº 3.298 de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências. Brasília, DF, 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm. Acesso em: 10 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE n.2 de 11 de setembro de 2001. Institui diretrizes nacionais para a Educação Especial na educação Básica. Brasília: CNE, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pd. Acesso em: 10 mar. 2017.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Brasília: DF, 2004a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20042006/2004/decreto/d5296.htm. Acesso em: 6 maio 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Saberes e práticas da inclusão: dificuldade de comunicação e sinalização: deficiência visual. Brasília: MEC/SEESP, 2004b.

BRASIL. Ministério da Educação. Saberes e práticas da inclusão: desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos cegos e de alunos com baixa visão. 2.ed. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Especial, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/alunoscegos.pdf. Acesso em: 6 maio 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial.Política nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 13 mar. 2017.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB n.4 de 02 de outubro de 2009. Institui as diretrizes operacionais para o atendimento educacional especializado na educação básica, modalidade Educação Especial. Brasília: CNE, 2009. Disponível em: http://peei.mec.gov.br/arquivos/Resol_4_2009_CNE_CEB.pdf. Acesso em: 10 mar. 2017.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Censo demográfico 2010: características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro: IBGE, 2010b. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/94/cd_2010_religiao_deficiencia.pdf. Acesso em: 01 jun. 2018.

BRASIL. Casa Civil. Decreto 7611 de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a Educação Especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília: DF, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm. Acesso em: 10 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC/SEB/DICEI, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file. Acesso em: 01 jul. 2018.

BRASIL. BNCC. 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/04/BNCC_19mar2018_versaofinal.pdf. Acesso em: 07 maio 2018.

BRASIL. Ministério da Educação.Resolução nº 4 de 17 de dezembro de 2018. Brasília: Ministério da Educação/CNE, 2018. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/55640296. Acesso em: 20 dez. 2018.

CANADÁ. The Path Towards Smarter, More Targeted, and More Effective Financial Literacy: post-symposium report. 2017. Disponível em: https://www.canada.ca/en/financial-consumer-agency/programs/research/effective-financial-literacy.html. Acesso em: 20. maio 2021.

CAMPOS, Marcelo Bergamini. Educação Financeira na Matemática do Ensino Fundamental: uma análise da produção de significados.2012.Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Matemática) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora. Disponível em: http://www.ufjf.br/mestradoedumat/files/2011/05/Disserta%C3%A7%C3%A3o-_-Marcelo-Bergamini-Campos.pdf. Acesso em: 10 mar. 2018.

CONEF. Educação Financeira nas escolas: Ensino Fundamental - livro do professor. Brasília: CONEF, 2014. v. 3. Disponível em: https://issuu.com/edufinanceiranaescola/docs/ef_prof_livro_3_isbn_ok_web?e=11624914/52751670. Acesso em: 19 maio 2018.

EDISON, Thomas A. The phonographand its future. The North American Review.New York: D. AppletonandCompany, v. 126, Ed. 262, p.527-536, Mai. 1878. Disponível em: https://babel.hathitrust.org/cgi/pt?id=uiug.30112074263549&view=1up&seq=559. Acessado em: 13 jan 2021.

ENEF. Estratégia Nacional de Educação Financeira. Plano Diretor

ENEF. 2011. Disponível em: http://www.vidaedinheiro.gov.br/wp-content/uploads/2017/08/Plano-Diretor-ENEF-Estrategia-Nacional-de-Educacao-Financeira.pdf. Acesso em: 26 maio 2018.

ENEF. Estratégia Nacional de Educação Financeira. Orientações, 2012. Disponível em: http://www.vidaedinheiro.gov.br/wp-content/uploads/2017/08/DOCUMENTO-ENEF-Orientacoes-para-Educ-Financeira-nas-Escolas.pdf/. Acesso em: 12 abr. 2018.

FREITAS, Carlos Cesar G.; ROSA, Aparecida Cristina L. Flor da. Educação Financeira sob a perspectiva da teoria da Tecnologia Social: uma discussão teórico-reflexiva. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 12, n. 1, p. 95-111, jan./abr. 2019. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbect/article/view/6721/pdf. Acessado em: 28 dez 2020.

FREITAS JUNIOR, Vanderlei; WOSZEZENKI, Cristiane; ANDERLE, Daniel Fernando; SPERONI, Rafael; NAKAYAMA, Marina Keiko. A pesquisa científica e tecnológica. Revista Espacios, v. 35, n. 9, p.12, 2014. Disponível em: http://www.revistaespacios.com/a14v35n09/14350913.html. Acesso em: 04 ago. 2018.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HADJI, Charles. Avaliação desmistificada. Porto Alegre: ArtMed, 2001.

HERNÁNDEZ-TORRANO, Daniel; SOMERTON, Michelle; HELMER, Janet. Mapping research on inclusive education since Salamanca Statement: a bibliometric review of the literature over 25 years. International Journal of Inclusive Education, Londres, v. 24, n. 1, mar. 2020. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13603116.2020.1747555. Acesso em: 20. maio 2021.

HUANG, Cui.; YANG, Chao.; WANG, Shutao; WU, Wei; SU, Jun; LIANG, Chuying. Evolution of topics in education research: a systematic review using bibliometric analysis. Educational Review, v. 72, n. 3, p. 281–297, fev. 2019. Disponível em: https://www.tandfonline.com/loi/cedr20. Acesso em: 20. maio 2021.

JOHNSTON-RODRIGUEZ, Sara; HENNING, Mary. B. Pre-Service Teachers’ Perception of Financial Literacy Curriculum: National Standards, Universal Design, and Cultural Responsiveness. Education Sciences, Basel, 9(1), 34, p. 1-18, fev. 2019. Disponível em: https://www.mdpi.com/journal/education. Acesso em: 03. jun. 2021.

LAPLANE, Adriana Lia Friszman; BATISTA, Cecília Guarnieri. Ver, não ver e aprender: a participação de crianças com baixa visão e cegueira na escola. Caderno Cedes, Campinas, v. 28, n. 75, p. 209-227, maio/ago. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v28n75/v28n75a05.pdf. Acesso em: 02. jun. 2018.

LEITÃO, José Carlos; FERNANDES, Cleonice Terezinha. Inclusão escolar de sujeitos com deficiência visual na rede regular de ensino brasileira: revisão sistemática. Linhas Críticas, Brasília, v. 17, n. 33, p. 273-289, maio/ago. 2011.

LOPES, Valéria R. Farto; FREITAS, Carlos César G. A Educação Financeira para alunos com deficiência: levantamento de teses e dissertações sob a perspectiva da inclusão na educação básica. In: JORNADA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL, 14., 2018; CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL, 2., 2018, Marília. Anais [...] Marília: UNESP, 2018. p. 670-681. Disponível em: http://ocs-jee.marilia.unesp.br/index.php/JEE. Acesso em: 13 jun. 2018.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da Aprendizagem Escolar. 17. ed. São Paulo, SP: Cortez, 2005.

MASINI, Elsie. F. A educação do portador de deficiência visual: as perspectivas do vidente e do não vidente. Revista Em Aberto. Brasília, Ano 13, n. 60, p. 61-76, out./dez. 1993.

MASSARO, André. Como cuidar de suas finanças pessoais. Brasília: Conselho Federal de Administração, 2015. Disponível em: http://bluehost1.cfa.org.br/wp-content/uploads/2018/02/10cfa-cartilha-financa-pessoal.pdf .Acesso em: 06 mar. 2018.

MARTINS, Maria Helena. O que é leitura. 16. edição. São Paulo: Brasiliense, 1993.

McGILL, Anne. Audio books with struggling readers at the elementary school level. 2016. Thesis (Doctor of Education) – Walden University, Columbia, 2016. Disponível em: https://scholarworks.waldenu.edu/dissertations/3181. Acesso em: 21 maio 2021.

MELO, Amanda Meincke; PUPO, Deise Tallarico. A Educação Especial na perspectiva da inclusão escolar: livro acessível e informática acessível. Brasília: Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Universidade Federal do Ceará, v. 8, 2010. Disponível em: http://educacaoinclusivaemfoco.com.br/colecao-educacao-especial-na-perspectiva-da-inclusao-escolar/. Acesso em: 01 mar. 2018.

MORAES, Flavio Gomes; FREITAS, Carlos César Garcia. Metodologia para formação em educação financeira. In: STORTO, Letícia Joveilna; BARROS, Eliana Merlin Deganutti; STRIQUER, Marilúcia dos Santos Domingos (Org.). Resultados de pesquisa em ensino: reflexões teórico-metodológicas, experiências docentes e propostas didáticas. 1ed. Londrina: Syntagma Editores, 2019, v. 1, p. 1-300. Disponível em: https://uenp.edu.br/mestrado-ensino-obras/mestrado-ensino-obras-publicadas. Acessadoem: 06 jan 2021.

MORESI, Eduardo. (Org.). Metodologia da Pesquisa. Brasília: UCB/PRPG, 2003.

OCDE. OECD’s Financial Education Project. Financial Market Trends, n. 87, Oct., 2004. Disponível em: https://www.oecd.org/finance/financial-education/33865427.pdf/. Acesso em: 03 jun. 2017.

OCDE. RecommendationonPrinciplesandGoodPractices for Financial EducationandAwareness. DirectoradeforFinancialandEnterprice Affairs. 2005. Disponível em: http://www.oecd.org/finance/financial-education/35108560.pdf/. Acesso em: 09 maio 2018.

OCDE. Financial Education in Schools. OCDE, 2012. Disponível em: https://www.oecd.org/finance/financial-education/FinEdSchool_web.pdf/. Acesso em: 09 maio 2018.

PEREIRA, Monica Luciana S.; BARBOSA, Mayara Lustosa de Oliveira. Ensino e Educação Especial: análise bibliomética e metassíntese qualitativa da produção científica indexada na base Web of Science. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 33, p. 1-32, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial. Acesso em: 02. jun. 2021.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

SÁ, Elizabeth Dias de; CAMPOS, Izilda Maria de; SILVA, Myriam Beatriz. Atendimento educacional especializado: deficiência visual. Brasília: SEESP/SEED/MEC, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aee_dv.pdf. Acesso em: 01 mar. 2018.

SANT'ANNA, Ilza Martins. Aspecto legal. In: Por que avaliar? Como avaliar? Petrópolis: Vozes, 2001.

SAVOIA, José Roberto F.; SAITO, André Taue; SANTANA, Flávia de Angelis. Paradigmas da Educação Financeira no Brasil. Revista de Administração Pública, v. 41, n. 6, nov./dez. 2007. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6620/5204. Acesso em: 15 jan. 2021.

SPRITZER, Mirna. A Peça Radiofônica como prática da palavra, da vocalidade e da escuta. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 34., 2016, São Paulo. Anais [...] São Paulo: Intercom, 2016. p. 1-11. Disponível em: http://portalintercom.org.br/anais/nacional2016/resumos/R11-3138-1.pdf. Acesso em: 05 mar. 2019.

TURECK, Lucia Terezinha Zanato. Criação de um audiolivro e a temática da acessibilidade.2014. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014. Disponível em: http://www.ppglitcult.letras.ufba.br/sites/ppglitcult.letras.ufba.br/files/LUCIA%20TEREZINHA%20ZANATO%20TURECK.pdf. Acesso em: 20 nov. 2018.

VARGAS, Milton. Técnica, tecnologia e ciência. Revista Educação & Tecnologia, Curitiba, v. 6, p. 178-183, maio 2003. Disponível em: http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/revedutec-ct/article/viewFile/1084/687. Acesso em: 04 ago. 2018.

WAGAR, Christopher Ryan. The impact of audiobooks on reading comprehension and enjoyment. 2016. Dissertation (Masters of Education) – Columbia Basin College, Washington, 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/304674071_The_Impact_of_Audiobooks_on_Reading_Comprehension_and_Enjoyment. Acesso em: 21 maio 2021.

ZABALA, Antoni. A Prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

27/04/2022

Como Citar

LOPES, V. R. F.; FREITAS, C. C. G.; OLIVEIRA, J. P. de. A elaboração de um audiolivro como recurso didático para a educação financeira de alunos com baixa visão . Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. 34, p. 350–376, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14n34p350-376. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12052. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos