Entre limites e possibilidades

participação de crianças na prática pedagógica e intencionalidade docente

Autores

  • Rafaely Karolynne do Nascimento Campos Instituto Federal de Sergipe
  • Tacyana Karla Gomes Ramos Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n33p219-239

Palavras-chave:

Participação, Práticas pedagógicas, Educação infantil, Intencionalidade docente

Resumo

O presente artigo propõe-se a problematizar a intencionalidade pedagógica, imprescindível nas práticas cotidianas com crianças em contextos educativos, como forma de efetivar a participação infantil nas práticas que lhes são dirigidas, numa perspectiva de garantia dos direitos das crianças em contextos de vida coletiva. Participaram da pesquisa um grupo de 17 crianças com idade de três e quatro anos e sua professora, integrantes de uma escola pública de Educação Infantil da cidade de Aracaju/SE. Foram utilizados os procedimentos metodológicos da pesquisa etnográfica: observação participante com anotações em diário de campo e gravações em vídeo. Os dados produzidos revelam que a concretização dos princípios de participação pressupõe que os adultos sejam capazes de possibilitar formas de participação ativa das crianças nas ações pedagógicas que lhes são dirigidas.

Biografia do Autor

Rafaely Karolynne do Nascimento Campos, Instituto Federal de Sergipe

Doutora em Educação e pedagoga do Instituto Federal de Sergipe

Tacyana Karla Gomes Ramos, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Educação e professora da Universidade Federal de Sergipe.

Referências

AGOSTINHO, Kátia Adair. Formas de participação das crianças na Educação Infantil. 349f. Tese de Doutoramento em Estudos da Criança, Área de Especialização em Sociologia da Infância, Universidade do Minho, 2010.

BAE, Berit. Different perspectives on child participation in Early Childhood Education (ECE). Disponível em: http://www.medvirkning.no/artikler/Bae%20on%20child%20participationMarch09.pdf. 2009. Acesso em jan/2020.

BAE, Berit. O direito das crianças a participar - desafios nas interações do quotidiano. Natália Fernandes e Catarina Tomás (Tradução). Da Investigação às práticas, 6 (1), 2015, p. 7 – 30.

BARBOSA, Maria Carmen. Pedagogia da infância. In: OLIVEIRA, D.A.; DUARTE, A.M.C.; VIEIRA, L.M.F. Dicionário: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Básica. Resolução nº 5, de 17 de dezembro, 2009.

CALDEIRA, Ana Maria Salgueiro.; ZAIDAN, Samira. Prática pedagógica. In: OLIVEIRA, D. A.; DUARTE, A. C.; VIEIRA, L. M. F. (Org.). Dicionário: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: Gestrado/UFMG, 2010. Disponível em: https://www.gestrado.net.br/pdf/328.pdf. Acesso em: jan/2020.

CORSARO, William A. Sociologia da Infância. Porto Alegre: Artmed, 2011.

COUTINHO, Ângela Maria Scalabrin; ROCHA, Eloisa Acires Candal. Bases Curriculares para a Educação Infantil? Ou isso ou aquilo. Revista Criança. Brasília: MEC. 43, 2007, p.10-11.

CUNHA, Andréa Carla Pereira Campos; FERNANDES, Natália. Participação infantil: a sua visibilidade a partir da análise de teses e dissertações em sociologia da infância. Perspetivas sociológicas e educacionais em estudos da criança: as marcas das dialogicidades luso-brasileiras, 2012. p. 36-48.

CUSIANOVITCH, Alejandro. Ensayos sobre infancia. Sujeto de derechos y protagonista. Instituto de Formación de jóvenes, adolescentes y niños trabajadores de América Latina y el Caribe. IFEJANT. Vol. 1. Lima, 2006.

CRAIDY, Maria Carmem; KAERCHER, Gládis Elise P. da Silva. Educação Infantil pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001.

DELGADO, Ana Cristina Coll; MULLER, Fernanda. Infâncias, tempos e espaços: um diálogo com Manuel Jacinto Sarmento. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 1, p. 15-24, jan./jun. 2006. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol6iss1articles/sarmento.pdf. Acesso em: jan/2019.

FERNANDES, Natália. Infância, Direitos e Participação: representações, práticas e poderes. Porto: Edições Afrontamento, 2009.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito, Rev. bras. Estud. pedagog. (on-line), Brasília, v. 97, n. 247, p. 534-551, set./dez. 2016.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade.25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

GOBBI, Márcia. Múltiplas linguagens de meninos meninas no cotidiano da Educação infantil. 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=6678-multiplaslinguagens&category_slug=setembro-2010-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 29 de abril 2019.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 1961.

HART, Roger. Children’s participation: from tokenism to citizenship. Florence: Unicef, 1992.

KRAMER, Sonia. Educação ou Tutela? A criança de 0 a 6 anos. São Paulo: Loyola, 1988.

KRAMER, Sonia. Autoria e Autorização: Questões Éticas na Pesquisa com Crianças. Cadernos de Pesquisa, n. 116, p. 41-59, julho/ 2002.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e Pedagogos, para quê? 12 ed. São Paulo: Cortês, 2010.

LIRA, Claúdia Dantas de Medeiros. A participação das crianças no desenvolvimento do currículo na educação infantil. Dissertação de mestrado em Educação Brasileira. 163f. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2017.

MARCHI, Rita de Cássia. O “ofício de aluno” e o “ofício de criança”: articulações entre a sociologia da educação e a sociologia da infância, Revista Portuguesa de Educação, 2010, 23(1), pp. 183-202.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia; KISHIMOTO, Tizuko Morchida; PINAZZA, Mônica Appezzato (orgs.). Pedagogia(s) da Infância: dialogando com o passado construindo o futuro. Porto Alegre: Artmed, 2007.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia; FORMOSINHO, João. Pedagogias transmissivas e pedagogias participativas na escola de massas. IN: OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia; PASCAL, Christine. Documentação Pedagógica e avaliação na educação infantil: um caminho para transformação. Alexandre Salvaterra (tradução). Porto Alegre: Penso, 2019, p. 03-25.

PARRINI, Chiara. Ocasiões e protagonismo: o fazer e o saber das crianças no cotidiano. In: FORTUNATI, Aldo (Orgs.). Paula Baggio (Tradução). Por um currículo aberto ao possível: protagonismo das crianças e educação. Porto Alegre: Buqui, 2016, p. 74- 101.

PEDROSA, Maria Isabel; CARVALHO, Ana Maria Almeida. Análise qualitativa de episódios de interação: uma reflexão sobre procedimentos e formas de uso. Revista Psicologia: Reflexão e Crítica, 2005, 18(3), pp.431-442. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/prc/v18n3/a18v18n3.pdf. Acesso em: 10 de Jan. 2019.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. Por que ouvir crianças? Algumas questões para um debate científico multidisciplinar. In: CRUZ, Silvia Helena Vieira (org.). A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008. p. 43 – 51.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Crianças: educação, culturas e cidadania activa: Refletindo em torno de uma proposta de trabalho. Perspectiva, Florianópolis, v. 23, n. 01, p. 17-40, jan./jul. 2005.

SARMENTO, Manuel Jacinto. A reinvenção do ofício de criança e de aluno. Revista Atos de Pesquisa em Educação, v. 6, n. 3, p. 581-602, set./dez. 2011.

SARMENTO, Manuel Jacinto; FERNANDES, Natália; TOMÁS; Catarina. Políticas Públicas e Participação Infantil, Educação, Sociedade & Culturas, nº 25, 2007, p. 183-206.

SILVA, Adriana Aparecida Rodrigues da. A Participação das crianças na roda de conversa: possibilidades e limites da ação educativa e pedagógica na educação infantil. Dissertação de mestrado em Educação. 237f. Pontifícia Universidade Católica de Goiás, 2015.

SILVA, Márcia Vanessa. As formas de participação social de bebês nas práticas cotidianas vivenciadas no contexto de uma creche municipal. 300f. Dissertação (Mestrado em Educação Brasileira). Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.

TOMÁS, Catarina Almeida. Há muitos mundos no mundo... Direitos das crianças, Cosmopolitismo Infantil e Movimentos Sociais de Crianças – diálogos de crianças de Portugal e Brasil. Tese de Doutoramento, Braga, Universidade do Minho, 2006.

VASCONCELOS. Giselle Silva Machado de. A participação infantil nas ações pedagógicas: um estudo das relações educativas em um contexto de educação infantil pública. 301f. Tese de doutorado. Universidade Federal de Santa Catarina, 2017.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. A prática pedagógica do professor de Didática. 2. Ed. Campinas, Papirus, 1992.

WOODHEAD, Martin. Early childhood development: A Questions of Rights? International Journal of Early Childhood, 37(3), 79–98, 2005.

Downloads

Publicado

22/12/2021

Como Citar

CAMPOS, R. K. do N. .; RAMOS, T. K. G. . Entre limites e possibilidades: participação de crianças na prática pedagógica e intencionalidade docente. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 33, p. 219–239, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n33p219-239. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12662. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate