A complexidade do “como fazer” na educação infantil

implicações para a formação docente na perspectiva da artesania

Autores

  • Maria Carmen Silveira Barbosa Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) https://orcid.org/0000-0002-3416-4914
  • Carolina Gobbato Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14nEspp312-331

Palavras-chave:

Educação Infantil, Didática, Formação docente, Docência com crianças, Artesania

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir sobre “como criar um fazer” na docência com crianças pequenas, refletindo sobre didática na Educação Infantil. O corpus analítico compreende dados de entrevistas com quatro pesquisadoras brasileiras e é analisado com base na fundamentação teórica sobre didática, ciência, técnica e docência com crianças pequenas. O primeiro eixo de análise evidencia a complexidade do “como criar um fazer/educar/cuidar” na ação pedagógica em creches e pré-escolas; o segundo reflete sobre a didática na educação em sua articulação política, técnica, ética e pedagógica, distanciando-se da visão tecnicista. Considera-se que uma perspectiva da artesania como docência provoca a criação de currículos e didáticas inventivas e dialógicas na formação docente.

Biografia do Autor

Maria Carmen Silveira Barbosa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Professora Associada da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atua no Programa de Pós-Graduação em Educação, na Linha de Pesquisa: Estudos sobre as Infâncias. Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas e Pós-doutora pela Universitat de Vic, Catalunya, Espanha. Líder do Grupo de Pesquisa em Linguagens, Currículo e Cotidiano de Bebês e Crianças Pequenas - CLIQUE/UFRGS.

Carolina Gobbato, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs)

Professora Adjunta na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs)

Referências

ALLIAUD, Andrea. La maestra modelo y el modelo de maestra. In: ALLIAUD, Andrea; ANTELO, Estasnilao. Los gajes del ofício: enseñanza, pedagogía y formación. Buenos Aires: Aique Grupo Editor, 2009. p. 65–80.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2016.

ARFUCH, Leonor. La entrevista, una invención dialógica. Barcelona: Paidós, 1995.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Três notas sobre formação inicial e docência na Educação Infantil. In: CANCIAN, Viviane Ache; GALLINA, Simone Freitas da Silva; WESCHENFELDER, Noeli (Orgs.). Pedagogias das Infâncias, crianças e docências: na Educação Infantil. Santa Maria/Brasília: UFSM, Centro de Educação Infantil Ipê Amarelo/Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, 2016. p. 131–140.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira; RICHTER, Simonis Sandra. Creche: uma estranha no ninho educacional. Dialogia, São Paulo, n. 17, p. 75–92, jan./jun. 2013. Disponível em: <https://periodicos.uninove.br/index.php?journal=dialogia&page=article&op=view&path%5B%5D=4410>. Acesso em: 11 nov. 2016.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira et al.. O que é básico na Base Nacional Comum Curricular para a Educação Infantil? Debates em Educação, Maceió, v. 8, n.16, p. 11-28, jul/dez. 2016. Disponível em: <https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2492/2131> Acesso em: 05 dez. 2021.

BATTESTIN, Cláudia; GHIGGI, Gomercindo; SANTOS, Robinson dos. A relação do homem com a técnica: a responsabilidade enquanto ponto de partida para a reflexão. Revista Histedbr On-line, Campinas, v. 15, n. 63, p. 342–352, out. 2015. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641189>. Acesso em: 03 mai. 2019.

BORGHI, Battista Quinto. Crescere con i laboratori: Manuale di didattica dei laboratori nella scuola dell'infanzia. 10. ed. Parma: Edizioni Junior, 2016. 170 p.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução n. 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil . Brasília: CNE/CEB, 2009.

CANDAU, Vera Maria. A didática e a formação de educadores – Da exaltação à negação: a busca da relevância. In: CANDAU, Vera, Maria (Org.) A didática em questão. Petrópolis: Vozes, 1983. p. 13–24.

CANDAU, Vera Maria. A revisão da didática. In: CANDAU, Vera, Maria (Org.) Rumo a uma nova didática. Petrópolis: Vozes, 1988. p. 13 - 19.

CIARI, Bruno. Introduzione. In: CIARI, Bruno. Le nuove tecniche didattiche. 1ª Ristampa. Szczecin: Edizioni Dell'asino, 2016. p. 11- 14.

CONTRERAS DOMINGO, José. Pedagogías de la experiencia y la experiencia de la pedagogia. In: CONTRERAS DOMINGO, José; LARA FERRÉ, Nuria Pèrez de (Orgs.). Investigar la experiencia educativa. Madrid: Ediciones Morata, 2010. p. 241–271.

DALHBERG, Gunilla; MOSS, Peter; PENCE, Alan. Qualidade na Educação da Primeira Infância: perspectivas pós-modernas. Porto Alegre: Artmed, 2003.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Relações do docente-bacharel do ensino superior com o saber didático-pedagógico: dissonâncias e rupturas entre saberes e práticas. Em Aberto, Brasília, v. 29, n. 97, p. 61–72, 2016. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/documents/186968/485895/Docência+universitária/f8c892fb-7f13-4845-9c84-968489023775?version=1.0. Acesso em: 13 ago. 2017.

GANDIN, Luis Armando et al. (Ed.). Editorial. Educação & Realidade – Seção Temática: Didática na educação básica, Porto Alegre, v. 40, n. 2, p. 321–326, 02 abr./jun. 2015. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/issue/view/2543. Acesso em: 02 out. 2016.

GIACOIA JUNIOR, Oswaldo. Ética, técnica, educação. In: MORAES, Eduardo Jardim de; BIGNOTTO, Newton (Orgs.). Hannah Arendt: diálogos, reflexões e memórias. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001. p. 48–62.

GOBBATO, Carolina; BOITO, Crisliane; BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Uma docência sem autoria: o uso do livro didático na Educação Infantil. In: SANTOS, Maria Walburga dos; TOMAZZETTI, Cleonice Maria; MELLO, Suely Amaral (Orgs.). Eu ainda sou criança: educação infantil e resistência. São Carlos: EdUFSCar, 2018. p. 235–250.

HALTENHOFF, Maria Loreto Nervi. Existe la pedagogía? In: HALTENHOFF, María Loreto Nervi; HALTEFNHOFF, Hugo Nervi (Orgs.). Existe la pedagogía? Hacia lá construción del saber pedagógico. Santiago del Chile: Editorial Universitaria, 2007. p. 17–50.

HEVESI, Katalin. A participação da criança no cuidado do seu corpo. In: FALK, Judit. Educar os três primeiros anos: A experiência Pikler-Lóczy. São Carlos: Pedro & João Editores, 2004. p. 79-86.

MANTOVANI, Susanna. L'educazione dei più piccoli (nido e servizi educativi per l'infanzia). In: SILVA, Clara; FRESCHI, Enrica; SHARMAHD, Nima (Orgs.). Enzo Catarsi, un pedagogista al plurale: scritti in suo rocordo. Firenze: Firenze University Press, 2015. p. 55–63.

MARIN, Alda Junqueira. A didática, as práticas de ensino e alguns princípios para a pesquisa e docência. In: MARIN, Alda Junqueira; PIMENTA, Selma Garrido. Didática: teoria e prática. 2ª ed. Araraquara: JM Editora Comercial, 2015. p. 17–37.

MILLS, Charles Wright. Sobre o artesanato intelectual e outros ensaios. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. Tradução de: Maria Luiza X. de A. Borges.

MOSS, Peter. De la dictadura a la política democrática de la educación. In-fan-cia Latinoamericana: Revista Digital de la Asociación de Maestros Rosa Sensat, Barcelona, v. 19, p. 12–31, abr. 2017. Disponível em: <https://www.rosasensat.org/magazines/infancia-latinoamericana/19/ilat_19.pdf>. Acesso em: 10 mai. 2019.

NIGRIS, Elisabetta. A "didática da maravilha": um novo paradigma epistemológico. In: GOBBI, Marcia Aparecida; PINAZZA, Mônica Appezzato (Orgs.). Infância e suas linguagens. São Paulo: Cortez, 2014. p. 137–154.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. O estágio curricular no processo de tornar-se professor. In: OSTETTO, Luciana Esmeralda. Educação Infantil: Saberes e fazeres da formação de professores. 4. ed. Campinas: Papirus, 2010. Cap. 7. p. 127-138.

PIMENTA, Selma Garrido. Para uma ressignificação da didática: ciências da educação, pedagogia e didática (uma revisão conceitual e uma síntese provisória). In: PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Didática e formação de professores: percursos e perspectivas no Brasil e em Portugal. São Paulo: Cortez, 2011. p. 23–87.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. 7. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2012. 295 p.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. A pedagogia e a Educação Infantil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 1, n.16, p. 27-34, jan. 2001. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rbedu/a/v3P9wYtgnVDf3DcVcywdLSK/?format=pdf&lang=pt> Acesso em: 15 jul. 2021.

SENNETT, Richard. O artífice. 5ª ed. Trad. Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Record Editora, 2015.

Downloads

Publicado

10/06/2022

Como Citar

BARBOSA, M. C. S. .; GOBBATO, C. A complexidade do “como fazer” na educação infantil: implicações para a formação docente na perspectiva da artesania. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. Esp, p. 312–331, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14nEspp312-331. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12669. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)