A brincadeira como princípio da prática pedagógica na educação infantil

brincar, participar, planejar

Autores

  • Suzana Marcolino UFAL
  • Maria Walburga dos Santos Universidade Federal de São Carlos (UFSCAr)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n33p287-311

Palavras-chave:

Educação Infantil, Currículo, Brincadeira

Resumo

Este artigo visibiliza a temática currículo nas creches e pré-escolas brasileiras, tendo como referência as proposições da Resolução CNE/CEB n. 5, de 17 de dezembro de 2009, e as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEIs). Metodologicamente, exploramos ideias e conteúdos advindos de levantamento realizado via questionário a respeito do brincar antes e no período que as escolas estiveram fechadas devido a pandemia da COVID-19, respondido por docentes participantes de cursos de formação continuada e atualização oferecidos por duas universidades federais, buscando tanto conhecer quanto comunicar repertórios e criações em torno do brincar e da docência, como também identificar e problematizar desafios e contribuições que circunscrevem as práticas atuais, atentando aos marcadores da diferença.

Referências

ALVES, Kallyne Kafuri. A luta pela afirmação do direito à educação infantil nos desafios de sua expansão. Laplage em Revista, Sorocaba, v. 4, n.1, p. 238-253, jan. 2018. Disponível em: http://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/425/653. Acesso em: 1 fev. 2021.

ALVES, Kallyne Kafuri; CÔCO, Valdete. Desafios e perspectivas para a formação de professores em instituições conveniadas de Educação Infantil: diálogo com os marcos legais. Humanidades & Inovação, v. 6, n. 15, 2019.

ANJOS, Cleriston Izidro; FRANCISCO, Deise Juliana. Educação Infantil e tecnologias digitais: reflexões em tempos de pandemia. Revista Zero-a-Seis, Santa Catarina, v. 23, n. especial, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/79007. Acesso em: 8 ago. 2021.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira. Práticas cotidianas na Educação Infantil. Brasília: MEC, SEB, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei n. 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394/96, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2003. Acesso em: 18.jun. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: MEC, SEB, 2010. Disponível em: http://www.uac.ufscar.br/domumentos-1/diretrizescurriculares_2012.pdf. Acesso em: 8 ago. 2021.

BUFALO, Joseane Maria Parice. Creche: lugar de criança, lugar de infância: um estudo sobre as práticas educativas em um CEMEI de Campinas. 1997. 117f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP, 1997. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/252787. Acesso em: 8 ago. 2021.

CAVALLEIRO, Eliane dos Santos. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na Educação Infantil. São Paulo: Contexto 2003.

CÔCO, Valdete, VIEIRA, Maria Niceia de Andrade; GIESEN, Karina. Docência na educação infantil: desafios e perspectivas da formação inicial em pedagogia. Momento - Diálogos em Educação, n. 28, v. 1, p. 417-435, 2019.

COUTINHO, Angela Scalabrin; CÔCO, Valdete. Educação Infantil, políticas governamentais e mobilizações. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 15, e2016266, p. 1-15, 2020. Disponível em: https://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa. Acesso em: 11 jun. 2021.

DARIO JR, Ivan Rubens; SILVA, Luciana Ferrreira da. A escola como experiência: entrevista com Walter Omar Kohan. Revista Eletrônica de Educação (REVEDUC), v. 12, n. 1, p. 298-304, jan./abr. 2018.

FERNANDES, Florestan. As trocinhas do Bom Retiro. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 15, n. 1, p. 229–250, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643855. Acesso em: ago. 2021.

FERRAZ, Eucanaã. Cada coisa. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

FINCO, Daniela. Brincadeiras, invenções e transgressões de gênero na educação infantil. Revista Múltiplas Leituras, v. 3, n. 1, jan./jun. 2010, p. 119-134.

GARCIA, Vanessa Ferreira. Educação infantil e educação das relações étnico-raciais: motivações docentes, possibilidades e desafios nos centros de educação infantil de Sorocaba (SP). Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba: SP, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/11161. Acesso em: ago. 2021.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOBBI, Márcia. 2010. Múltiplas linguagens de meninas e meninos na educação no cotidiano da Educação Infantil. In: I SEMINÁRIO CURRÍCULO EM MOVIMENTO, ago. 2010, Belo Horizonte. Anais [...]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=6678-multiplaslinguagens&category_slug=setembro-2010-pdf&Itemid=30192. Acesso em: jul. 2021.

HENNING, Carlos Eduardo. Interseccionalidade e pensamento feminista: as contribuições históricas e os debates contemporâneos acerca do entrelaçamento de marcadores sociais da diferença. Mediações, Londrina, v. 20, n. 2, p. 97-128, jul./dez. 2015.

HOYUELOS, Alfredo. Cultura de la infancia y âmbitos de juego. In: HOYUELOS, Alfredo; RIERA, Maria Antonia. Complejidad y relaciones em educación infantil. Barcelona: Ediciones Octaedro, 2015. p. 113-130.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O educar como lugares da infância e da Educação Infantil. In: SANTOS, Maria Walburga dos; TOMAZZETTI, Cleonice Maria; MELLO, Suely Amaral (Orgs.). Eu ainda sou criança: educação infantil e resistência. São Carlos: EDUFSCar, 2018. p. 33-45.

LOPES, Alice Casimiro.; MACEDO, Elizabeth. Teorias do currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

MARCOLINO, Suzana; MELLO, Suelly Amaral. Temas das brincadeiras de papéis na educação infantil. Psicologia: Ciência e Profissão [online], n. 35, v. 2, 2015, p. 457-472.

MALAGUZZI, Loris. La educación infantil en Reggio Emilia. 3. ed. Barcelona: Octaedro; Rosa Sensat, 2011.

OLIVEIRA. Fabiana. Um estudo sobre a creche: o que as práticas educativas produzem e revelam sobre a questão racial? Dissertação. (Mestrado em Educação) - Centro de Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

OLIVEIRA, Fabiana; ABRAMOWICZ, Anete. Educação e diferença: no caminho da multidão. In: ABRAMOWICZ, Anete; VANDENBROECK, Michel (Orgs.). Educação Infantil e diferença. Campinas, SP: Papirus, 2013.

OSTETTO, Luciana. Educar e cuidar: questões atuais sobre educação infantil no Brasil. Conferência proferida no Encontro dos Profissionais de Educação Infantil da Rede Pública Municipal de Chapecó. Chapecó, 21 jul. 1997.

RINALDI, Carla. Diálogos com Reggio Emilia. São Paulo: Paz & Terra, 2018.

ROSEMBERG, Fúlvia. Relações raciais e rendimento escolar. Cadernos de Pesquisa, n. 63, nov, 1987. Disponível em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/cp/arquivos/787.pdf. Acesso em: ago. 2021.

ROSEMBERG, Fúlvia. Raça e educação inicial. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 77, p. 25-34, 1991. Disponível em:http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/cp/arquivos/839.pdf. Acesso em: ago. 2021.

ROSEMBERG, Fúlvia. Educação infantil, classe, raça e gênero. Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas), São Paulo, v. 96, p. 3-86, 1996. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/814/824.Acesso em: ago. 2021.

ROSEMBERG, Fúlvia; MARIANO, Carmem Lúcia Sussel. A convenção internacional sobre os direitos da criança: debates e tensões. Cadernos de Pesquisa [online]. 2010, v. 40, n. 141, pp. 693-728.

SANTOS, Maria Walburga dos; CARDOSO, Marilete Calegari. Pandemia, tecnologias e o distanciamento das crianças. Revista Cocar, n. 9, edição especial, 2021, p. 1-18. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/4123. Acesso em: ago. 2021.

SARMENTO, M.J. As culturas da infância nas encruzilhadas da 2ª modernidade. Braga: Instituto de Estudos da Criança, Universidade do Minho, 2003.

SOARES, Natália. Os direitos das crianças nas encruzilhadas da protecção e da participação. Revista Zero-a-Seis, Florianópolis, v. 7, n. 12, 2005.

Souza, Érica Renata de Marcadores sociais da diferença e infância: relações de poder no contexto escolar. Cadernos Pagu [online], n. 26, p. 169-199, 2006.

SOUZA, Marcia Lucia Anacleto de. Por uma educação antirracista desde a creche. In: TELES, Maria Amélia de Almeida; SANTIAGO, Flávio; FARIA, Ana Lucia Goulart de. Por que a creche é uma luta de mulheres? São Carlos: Pedro & João editores, 2018. p. 91-116.

TIRIBA, Lea. Ensaiando práticas de formação teórico-brincantes. Ritimo, 24 fev. 2015. Disponível em: https://www.ritimo.org/Ensaiando-praticas-de-formacao-teorico-brincantes. Acesso em: ago. 2021.

Downloads

Publicado

22/12/2021

Como Citar

MARCOLINO, S.; SANTOS, M. W. dos . A brincadeira como princípio da prática pedagógica na educação infantil: brincar, participar, planejar. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 33, p. 287–311, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n33p287-311. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12684. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate